sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Corrida Nº 170 - Mini Maratona dos Jogos Abertos Municipais - Jamu's - Ubiratã-PR (14nov2018)

.
Pelo fato de eu não ter participado de algumas provas de pista nos Jogos Abertos Municipais aqui em Ubiratã, a minha equipe (Panorama) acabou perdendo a segunda colocação geral dos jogos e para tentar "compensar" isso que fiz, resolvi participar da última prova. A tal Mini-Maratona.

.
Vencer é uma mistura de luta, esforço, otimismo e principalmente não desistir nunca...



Segue os dados gerais da prova:

Prova número: 170
Nome da prova: Mini-Maratona dos Jogos Abertos Municipais - Jamu's
Cidade: Ubiratã-PR
Data: 14 de novembro de 2018
Distância: 4,6kms
Tempo: 16min01seg
Media por quilômetro: 3min28seg
Número de atletas: não divulgado
Equipe Representada: Panorama (Conj. Novo Ubiratã, Parque do Lago e Ipê e Jardim Panorama)



Devido a bagunça feita nas provas de pista dos Jogos Abertos Municipais aqui em Ubiratã neste ano de 2018, eu acabei ficando muito insatisfeito com os organizadores e acabei não participando de algumas provas de pista e isso acabou custando a queda do Panorama, bairro que represento, do segundo para o terceiro lugar na classificação geral.
Para tentar redimir essa minha atitude feita, acabei aceitando o convite para correr e montar uma boa equipe para participar da última prova dos jogos intitulada como Mini-Maratona.

Não foi fácil, pois ninguém queria correr.
Uns diziam ter compromissos, outros estavam lesionados e outros por motivos pessoais não queriam participar. Enfim... Não foi nada fácil mesmo.
Porém, apesar de tudo eu tinha que dar o exemplo e fazer a minha parte.


No dia da prova apareceram várias pessoas. No entanto, foram apenas para participar e não para competir, pois diziam não ter velocidade para correr.
Os poucos que foram para competir tentei dar algumas dicas e partimos para a largada que teve mudança este ano e que também desaprovei e com isso o percurso foi reduzido.


No ano passado a largada foi na Avenida Nilza esquina com a Rua Brasília, praticamente em frente ao Banco do Brasil e seguia até a Avenida dos Pioneiros e voltava. Passava em frente ao banco e descia até a esquina com a Rua Ernesto Novais de Souza e fazia o retorno e finalizava em frente ao banco (local da largada).
Mulheres fazia uma volta (2.550 metros) e homens duas voltas (5.100 metros).

Já este ano a largada foi no centro da Praça Horácio Ribeiro, que também fica em frente ao banco e fazia praticamente o mesmo trajeto. A única diferença é que o retorno era feito em frente ao banco, não descendo até a rua Ernesto. Mulheres faziam uma volta (2.300 metros) e homens duas voltas (4.600 metros).
Essa mudança se deu porque alegaram que a lombada gigante que tem em frente à prefeitura quando se subia do retorno da rua Ernesto Novais de Souza era perigosa e os atletas podiam tropeçar e cair. Porém, aleguei que ela era menos perigosa do que as placas de pisos quebradas e soltas a menos de 30 metros de onde seria a largada e posterior chegada. Sem contar que tínhamos que descer e subir um meio-fio para sair da praça e entrar na rua.
Seria mais fácil alguém tropeçar e cair por ali do que na lombada que tinha toda uma sinalização no chão. Diferente do meio-fio e pisos quebrados que iríamos enfrentar logo na largada e depois na chegada. Todo cuidado era pouco ali.
Mas, enfim... Vamos para a prova assim mesmo.

Como previsto, a largada se deu as 19:15h e como no ano passado saí no meu ritmo e vários atletas começaram na minha frente. Bem como, dois garotos da APAE. Mas, ninguém seria páreo pra mim. Pelo menos enquanto não houver um incentivo maior e um apoio com instruções, treinos e criação de uma equipe de corredores por parte da Secretaria Municipal de Esportes de Ubiratã eu serei sempre imbatível em provas de media e longa distância por aqui.
Não tô aqui querendo me engrandecer. Mas, essa é a realidade da minha cidade e tenho um sonho de ver isso mudado antes de parar de correr.
Se eu parasse hoje, a representatividade competitiva na modalidade de atletismo do município em outras cidades pararia junto. E eu não queria que isso acontecesse.
Mas, infelizmente é a realidade do município.

E apesar de levar o município "nas costas" não tenho apoio da secretaria de esportes local.
Mas, isso não vem ao caso. Vamos seguir falando da prova...


Após dada a largada e ao sair da praça e entrar na avenida eu estava ali entre os dez primeiros e fui pegando um a um.
O Sassá, um garoto da APAE disparou, e assim como no ano passado, eu só fui alcançá-lo próximo ao Banco Itaú. Uns 800 metros após a largada e mais uns 100 metros depois assumi a liderança da corrida e segui para a vitória sem grandes preocupações.

Um atleta que poderia me dar um pouco mais de trabalho era o Clodoaldo Prestes de Juranda que foi convidado à participar dos jogos por trabalhar em uma empresa abatedora de frangos em Ubiratã.
Sabendo disso procurei manter um ritmo forte desde o início.
Passei o primeiro quilômetro com 3min17seg.
Após o primeiro retorno eu estava a uns 50 metros de distância dele e continue firme.
Pouco depois completei o quilômetro dois com 3min27seg e segui para fechar a metade da prova. Acabei não olhando o tempo nesse momento, mas a distância havia aumentado.

Lá em cima no último retorno, na Avenida dos Pioneiros, eu estava mais de 200 metros de vantagem e o que fiz foi apenas administrar essa distância na volta para cruzar a linha de chegada com o tempo de 16 minutos e 1 segundo.

Apesar da minha vitória, que garantiria 10 pontos para a minha equipe, eu tinha que torcer para não ter dois atletas do Bairro Josefina entre os seis primeiros colocados, pois, isso não nos garantiria mais o vice campeonato dos jogos municipais.

Então fui aguardando a chegada dos atletas e um minuto e seis segundos depois chegou o Clodoaldo que representava o Distrito de Yolanda e marcou 7 pontos para eles.
Em seguida veio o Baiano do Josefina marcando 5 pontos e a preocupação aumentou.
Mas, por sorte deu tudo certo. Em quarto lugar chegou o Júlio César da Recife, Roni também da Recife  em quinto e Manu do Boa Vista sexto lugar. 3, 2 e 1 pontos, respectivamente.
Com isso passamos o Josefina em 1 ponto. Mas, eu havia esquecido de um detalhe importantíssimo: A prova feminina.

Ao lembrar deste "detalhes" fui imediatamente fui ver o resultado com o pessoal da Secretária de Esportes e fiquei aliviadíssimo ao ver duas atletas do Panorama entre as seis primeiras colocadas e nenhuma do Josefina.
Enfim, o segundo lugar geral dos Jamu's 2018 era nosso. Era do Panorama.
Inclusive a confraternização está acontecendo hoje. Eu acabei não indo. Acho que não fiz por merecer.

Após a prova naquele dia. Todos foram convidados a irem no Ginásio de Esportes para a demorada cerimônia de premiação que foi criticada até pelo prefeito que alegou que a premiação das modalidades deveriam ser entregues no ato do término da modalidade e não no último dia, como é feito desde o ano passado, pois assim a demora é demais.
Concordei com ele. Mas, isso parece não entrar na cabeça do secretário de esportes.

No momento da entrega da premiação para as equipes o ginásio já estava vazio.
Nem mesmo os atletas esperaram até o final. Uma pena.

E assim foi...


Segue abaixo algumas outras fotos:

.
Parte dos corredores que representaram o Panorama nesta última prova dos Jogos Municipais.
.
.

Largada.
O Sassá é este primeiro disparando aí na frente.
O segundo também estuda na APAE de Ubiratã.
.
.

Quase chegando para a vitória
.
.

Mais uma vitória nos Jogos Abertos Municipais.
Até já perdi as contas de quantas vezes venci a última prova do Jamu's. rsrs
Vou pesquisar nas minhas anotações e depois reedito aqui.
.
.

Meio bagunçado, como o evento em si, o pódio da mini-maratona.
O de branco sou eu - CAMPEÃO
O de amarelo é o Clodoaldo - VICE
O de verde está representando - 3º Lugar
Os de azul são o Júlio e o Roni - 4º e 5º Lugares e o 6º não compareceu.
.


Classificação.
Infelizmente não marcaram os tempos de ninguém.
O pessoal tem muito o que aprender.
.
.

O pódio feminino.
Só quatro atletas apareceram.
A de azul estava representando a Pirinha. Bi-campeã da Mini-Maratona.
.
Essa foi a classificação feminina.
.
.

O troféu de vice-campeão da equipe Panorama.
.
.

Com o Vanderlei que insistiu para que eu participasse dos jogos estes ano.
.
.

A medalha.
Igual a do ano passado. Porém, este ano não veio o nome da modalidade disputada.
.
.

E a classificação final do Jamu's 2018 ficou assim...




Agradeço a Deus por mais esta prova e um abraço a todos que me acompanham.


segunda-feira, 12 de novembro de 2018

Corrida Nº 169 - Jogos Abertos Municipais - Jamu's - Ubiratã-PR (11nov2018)

.
Mesmo sem querer, participei ontem (11/11/2018) dos 1.500 metros válidos pelos Jogos Abertos Municipais aqui em Ubiratã.
Estava escrito em outras distâncias, mas devido a bagunça e os inúmeros erros e falhas me fizeram desistir da competição e por pouco não vou embora da pista sem disputar nenhuma prova. Mas, acabei sendo convencido por alguns amigos da equipe do Panorama e disputei a prova dos 1.500, além do arremesso e salto.



Segue os dados gerais da prova:

Prova número: 169
Nome da prova: Jogos Abertos Municipais - Jamu's
Cidade: Ubiratã-PR
Data: 11 de novembro de 2018
Distância: 1.500 metros
Tempo: 4min51seg
Media por quilômetro: 3min14seg

Colocação geral: 1º lugar
Número de atletas: 6 corredores
Equipe representada: Panorama (Conj. Novo Ubiratã, Parques do Lago e Ipê e Jardim Panorama)



Muitos erros, panelagem, falhas que não poderiam acontecer, tudo isso e mais um pouco me desmotivou bastante na disputa das provas de pista deste ano dos Jogos Abertos Municipais. Sei que essa minha atitude de não disputar, principalmente os 400 e os 800 metros prejudicou bastante a equipe do qual represento, que é o Panorama. Mas, agora não tem mais o que lamentar. O que passou passou e não volta mais e não vou entrar em mais detalhes aqui para não disserem que sou chato. Disso eu já sei que sou. Porém, gosto das coisas certas. E esse ano fizeram lambança. Até atletas de outras cidades puderam participar. Nem parece que são jogos municipais. Mas, enfim... Deixa pra lá...

Estava prestes a vir embora, mas alguns amigos e amigas da equipe conseguiram me convencer a entrar na pista e a disputar os 1.500 metros.
Pouco antes, nos 800 metros um atleta de Juranda acabou vencendo a disputa com 2min39seg. Tempo alto. Eu venceria com tranquilidade.
Nos 400 metros não sei se daria para ajudar muito a equipe, pois venceram com 1min03seg. Porém, no ano passado em fiz um minuto cravado e fui vice campeão perdendo por apenas 28 centésimos de segundo para um outro atleta da minha equipe.
Mas, acabei não disputando estas provas este ano e entrei somente nos 1.500 metros para vencer com certa facilidade.


A prova foi disputada por volta das 11 horas da manhã e num calor, quase infernal, e saí no meu ritmo de sempre. mantendo ali na casa de 18, 19, as vezes 20 segundos a cada 100 metros.
Passei a primeira volta com 1min18seg e a segunda com 1min19seg e o atleta Clodoaldo de Juranda que representava o Distrito de Yolanda vinha na minha cola. Mas, como ele havia participado dos 200, 400 e 800 metros estava bem cansado e começou a ficar mais para trás após essa segunda volta. Depois disso ainda consegui melhorar um pouquinho o ritmo e só fui abrindo vantagem até cruzar a linha de chegada com o tempo de 3min51seg. Dez segundos mais rápido do que em 2017. Porém, no ano passado eu havia feito os 100, 400 e 800 metros antes.

Após concluída a prova segui no trotezinho por uns 100 metros e acabei nem olhando para trás e nem fui ver as súmulas depois, mas o atleta jurandense deve ter chegado quase 20 segundos depois.

No final ainda participei do arremesso de peso mais fui mal.
Lancei a bola que pesa 7 quilos e 250 gramas apenas 6,50 metros e nem olhei a colocação que fiquei.
E por fim, encarei pela primeira vez nos jogos abertos o salto em distância e por inexperiência acabei queimando os dois primeiros saltos e no último pisei bem antes da tábua que demarcava o local da pisada e saltei 4,25 metros e ainda conquistei o terceiro lugar.
o vencedor fez 4,77 metros.

Para 2019 pretendo mudar minha atitude e independente de falhas vindas da organização, que sei que vão acontecer, pois isso parecer ser uma "tradição" nos jogos aqui, irei participar de tudo que tiver direito e representarei com dignidade o meu bairro.

Quanto a premiação destes jogos, são apenas medalhas e nunca são entregues nos dias das disputas e sim, apenas no encerramento dos jogos que está marcado para a próxima quarta-feira dia 14 após uma provinha de 5kms que eles teimam em chamar de "mini-maratona".
Se vou participar ainda não sei. Pois, o nosso bairro não tem mais chances de ser campeão e após as disputas do xadrez no último sábado, caímos para a terceira colocação.
Mas, aguardemos até lá. Talvez eu mude de ideia. rsrs

Sem mais para hoje.


Segue abaixo algumas fotos e vídeos:


Prestes a completar a segunda volta e o atleta jurandense já ia ficando para trás.
.

.

No Arremesso de Peso.
.
.

No Salto em Distância.
.
.

Um pequeno gif já na terceira volta.
.
.

Completando os 1.500 metros com o tempo de 4min51seg.
.
.

O Salto em Distância que garantiu o terceiro lugar.




Agradecimentos:
A Deus pela vitória e pela saúde de sempre.


#tuttamaratonista

quarta-feira, 31 de outubro de 2018

Maio 2018 - Resumo e Treinos

.
Em maio eu não participei de nenhuma competição. A não ser a do aplicativo Icorreu onde mais uma vez fui o terceiro que mais correu no mês.
A terceira etapa do "Desafio dos Deuses" era da "Rainha Hera" e consistia correr 150kms. Mas, entre aquecimentos, rodagens, trotes e o treino propriamente dito, acabei correndo 265,43kms.
Já na quilometragem dos treinos, propriamente dito, corri 191,7kms com pouco mais de 13 horas e 30 minutos.

.
A medalha de frente e costas e os sete atletas que mais correram no mês no aplicativo Icorreu.



Segue os dados gerais do mês:

Dias de treinos: 18 dias
Quilometragem percorrida no mês: 191,7kms

Tempo: 13h30min55seg
Media: 4min13seg por quilômetro

Sessões na academia(4)/caminhada(1)/bike(2): 7 atividades

Dias sem treinar: 10 dias


Tiros de 400mts (pista de atletismo):
Melhor tiro: 1min12seg
Pior tiro: 1min22seg
Media: 1min18seg
Total de tiros ao longo do mês: 38 tiros

Tiros de 1.000mts (Av. da Arcapu):
Melhor tiro: 3min19seg
Pior tiro: 3min32seg
Media: 3min24seg
Total de tiros ao longo do mês: 5 tiros

Tiros de 1.150mts (Av. da Arcapu):
Melhor tiro: 3min50seg
Pior tiro: 4min02seg

Media: 3min56seg
Total de tiros ao longo do mês: 10 tiros

Tiros de 1.200mts (pista de atletismo):
Melhor tiro: 3min59seg
Pior tiro: 4min08seg
Media: 4min04seg
Total de tiros ao longo do mês: 5 tiros


Segue abaixo tudo o que foi feito em cada dia do mês:


Ter/01/05/2018: Caminhada = 5,7kms
Qua/02/
05/2018: Off
Qui/03/
05/2018: 6kms = 20min27seg (6x1.000mts: 3'16, 3'29, 3'19, 3'32, 3'20, 3'31) Av. da Arcapu
Sex/04/05/2018: 13kms = 1h11min40seg - Av. da Arcapu
Sab/05/
05/2018: Pedal = 40,9kms

Dom/06/
05/2018: Pedal = 33,3kms
Seg/07/
05/2018: 6,4kms = 20min46seg (16x400mts: 1'16, 1'17, 1'18, 1'18, 1'17, 1'19, 1'19, 1'19, 1'19, 1'19, 1'18, 1'18, 1'17, 1'17, 1'18, 1'17) - pista de atletismo
Ter/08/05/2018: Academia + 6kms = 34min24seg - grama na Av. da Arcapu
Qua/09/
05/2018: 5,75kms = 19min36seg (5x1.150mts: 3'55, 3'50, 4'00, 3'54, 3'57) Av. da Arcapu
Qui/10/
05/2018: Off
Sex/11/05/2018: 10kms = 37min25seg - Av. da Arcapu
Sab/12/
05/2018: 22kms = 1h42min30seg - BR-369 sentido jandaia

Dom/13/05/2018: Off
Seg/14/
05/2018: 6,4kms = 20min55seg (16x400mts: 1'22, 1'22, 1'18, 1'18, 1'18, 1'20, 1'20, 1'20, 1'20, 1'19, 1'19, 1'18, 1'15, 1'16, 1'16, 1'12) - pista de atletismo
Ter/15/05/2018: Academia + 8kms = 42min40seg - esteira na academia
Qua/16/
05/2018: 5,75kms 19min44seg (5x1.150mts: 4'02, 3'51, 4'02, 3'52, 3'57) - Av da Arcapu
Qui/17/
05/2018: Off
Sex/18/05/2018: 14kms = 52min14seg - pista de atletismo
Sab/19/
05/2018: 14kms = 52min49seg - BR-369 sentido jandaia

Dom/20/05/2018: Off
Seg/21/
05/2018: 6,4kms = 20min58seg (16x400mts: 1'22, 1'21, 1'20, 1'20, 1'20, 1'20, 1'21, 1'19, 1'18, 1'18, 1'20, 1'16, 1'17, 1'17, 1'16, 1'13) pista de atletismo
Ter/22/05/2018: Academia + 8kms = 45min34seg - grama na Av da Arcapu
Qua/23/
05/2018: 6kms = 20min22seg (5x1.200mts: 4'08, 4'06, 4'04, 4'05, 3'59) - pista de atletismo
Qui/24/
05/2018: Off
Sex/25/05/2018: 14kms = 51min42seg - BR-369 sentido jandaia
Sab/26/
05/2018: Academia + 26kms = 2h04min05seg - BR-369 sentido jandaia

Dom/27/05/2018: Off
Seg/28/
05/2018: Off
Ter/29/05/2018: Off
Qua/30/
05/2018: 14kms = 53min04seg - Av. da Arcapu
Qui/31/
05/2018: Off



#tuttamaratnista

terça-feira, 30 de outubro de 2018

Corrida Nº 168 - Duatlo aquático - Jamu's 2018 - Ubiratã-PR (28out2018)

.
Não tinha interesse em participar dos Jogos Abertos Municipais aqui em Ubiratã neste ano de 2018 pela falta de apoio da Secretaria de Esportes.
Mas, muitos amigos acabaram me convencendo e estou participando. Não pela secretária, mas sim, para ajudar o bairro que até então era o líder dos jogos. Porém, assim como em 2017, há muita "panelagem" para o bairro Vila Recife e por conta disso acabamos perdendo a liderança neste último sábado. Detalhes logo mais abaixo.


Antes da prova.



Segue os dados gerais da prova:

Prova Número: 168
Nome da prova: Duatlo aquático (natação+corrida) Jogos Abertos Municipais - JAMU'S
Cidade: Ubiratã-PR
Data: 28 de outubro de 2018
Distância: 50mts (Natação) + 1.200kms (Corrida)
Tempo: 0min58seg (Natação) + 3min53seg (Corrida)
Media por km (na corrida): 3min14seg
Colocação geral: 2º lugar
Atletas no geral: 6 competidores em cada modalidade (natação/corrida)
Bairro representado: Jardim Panorama (Conj. Novo Ubiratã, Parque do Lago e Ipê e Jd. Panorama)



A parte de natação do Duatlo Aquático foi realizado nas dependências do Ubiratã Cowntry Club a partir das 16 horas de sábado, dia 28 de outubro. Já a parte da corrida, saía de frente a piscina e após cerca de 100 metros dentro do terreno do club seguia pela Avenida João Medeiros, sentido Vila Recife. Descíamos duas quadras, acompanhando as dependências do local, e voltávamos para o local de entrada do club completando assim a primeira volta e depois retornávamos, fazendo assim a segunda volta
 e finalizando a disputa na lombada em frente a entrada do club.

Cada bairro podia escalar um nadador e um corredor.
No caso do Jardim Panorama, meu bairro, o nadador era o Dr. Marcus e o corredor, logicamente que seria eu. rsrs

Nos primeiros 25 metros de nado, o Dr. Marcus foi muito bem e completou até bem também os outros 25 metros, voltando.
O tempo dele foi de aproximadamente 45 segundos. O primeiro nadador fez com 35.
O Dr. foi o terceiro a completar o nado, porém, ele demorou uma eternidade para conseguir sair da piscina e tocar em minha mão me liberando assim para a corrida.

Ao completar os 50 metros de natação ele bateu as mãos para sair da piscina e caiu na água novamente.
Tentou pela segunda vez e caiu de novo. Nisso todos os 5 atletas que competiam conosco já haviam saído para correr e eu ali, esperando o doutor sair da piscina. rsrs
Gritei tentando dar um incentivo pra ele e na terceira tentativa enfim, conseguiu sair.
No entanto, veio rolando pelo chão dificultado o toque em minha mão.
Quando consegui bater na mão dele saí feito um louco das dependências do club até tomar a rua e quando cheguei lá, o primeiro colocado já estava quase uns 200 metros de distância e tirar isso tudo em apenas oito quadras (1.200 metros) não seria nada fácil.

Com cerca de uma quadra na rua pulei da última para a penúltima colocação (de 6º para 5º) e após o primeiro retorno, já subindo, conquistei mais duas colocações praticamente de uma única vez e uns 30 metros depois assumi a vice liderança da prova.
Nisso o primeiro colocado já havia completado a metade do percurso e seguia para a sua segunda e última volta.

Quando completei a minha primeira volta e peguei novamente a descida tentei acelerar o máximo que pude para tentar tirar um pouco a diferença e pegar o tal atleta na subida.
No último retorno o atleta do bairro Josefina estava a uns 50 metros de distância, fiz a curva e mantive-me no mesmo ritmo que vinha da descida. Mas, a distância ainda era considerável.
Nessa altura acredito que o atleta já seguia apenas administrando a vantagem feita e percebi que ele vinha já diminuindo o seu ritmo.

Quando faltava mais ou menos uns 100 metros para ele completar a prova, percebi que ele deu uma olhada para trás e assim que ele viu que eu vinha forte e tirando a vantagem, acelerou por alguns metros para não dar chance de encostar nele, mas logo voltou ao ritmo mais lento, mais aí já era tarde demais.
Segundos depois ele completou a prova na primeira colocação e eu cheguei uns cinco ou seis segundos depois. Cerca de 25 a 30 metros com o tempo de 3min53seg.

Se o percurso fosse feito ao redor das dependências do club, como a princípio seria, eu teria chances de ultrapassá-lo sem dúvida nenhuma, pois teríamos ainda mais quatro quadras pela frente e essa vantagem, de no máximo 30 metros, seria fácil tirá-la. Mas, de última hora resolveram fazer apenas na avenida alegando facilidade para controlar o trânsito, que nem havia, se tivesse feito nas ruas ao redor do club. Enfim. Fui prejudicado, pois não sou muito veloz. Minha especialidade é mais resistência.

E fui, de certa forma "prejudicado"  pelo doutor. Se bem que ele não fez aquilo por querer e, consequentemente, não teve culpa. Mas, se ele tivesse conseguido sair da piscina logo na primeira tentativa, esse atleta do Josefina não teria feito toda aquela vantagem e aí eu conseguia buscar o primeiro lugar.
Mas, enfim... Fiz o que pude e a minha colocação foi considerada como boa. Pois, saí em último e cheguei em segundo lugar, marcando assim 7 pontos para o Jardim Panorama.

Mas, como dito lá no início. está havendo muita "panelagem", novamente, para o Bairro Vila Recife.
Nesse duatlo podia se inscrever um atleta para o nado e um para a corrida e no caso da Vila Recife haviam dois no nado e dois na corrida o que beneficiou e muito a pontuação da equipe deles. E infelizmente não conseguimos mudar a situação, pois os organizadores e árbitros desta modalidade eram todos de lá.
Argumentamos muito. Mas, eles disseram que estava no regulamento. Porém, ninguém nos mostrou este regulamento. O representante do Panorama disse que participou de todas as reuniões e em nenhuma delas haviam dito algo sobre isso. Os juízes até ficaram meio confusos na hora e acabaram desconversando.
Ainda estamos na briga para rever esta modalidade. Mas, duvido que teremos boas notícias.
Nas, demais categorias na natação também fomos prejudicados e das seis modalidades disputadas naquele sábado, cinco delas foram beneficiadas, quer dizer, vencidas pela Vila Recife e acabamos perdendo a liderança dos jogos naquela ocasião.
Mas, ainda tem muitos jogos e várias modalidades. Ainda dá para reverter.
Os jogos terminam somente dia 11/11.
Aguardemos...


Eu e o Dr. Marcus após a disputa do duatlo.
.
.

Percurso via satélite
.
.

Tempo registrado pelo aplicativo Strava.




Agradecimentos:
A Deus pelo dom da saúde e a todos que torceram por mim.





#tuttamaratonista


quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Corrida Nº 167 - 3ª Meia Maratona Internacional das Três Fronteiras - Ciudad Del'Este-PY, Foz do Iguaçu-Bra, Puerto Iguacú-Arg (14out2018)

.
Mesmo não estando bem preparado para encarar provas mais longas estive participando no último dia 14 de outubro da 3ª edição da Meia Maratona Internacional das Três Fronteiras.
O tempo de conclusão não foi lá essas coisas. Mas, o resultado final foi fantástico.



"Eu faço da dificuldade a minha motivação.
Dos obstáculos o degrau para chegar ao topo..."



Segue abaixo os dados gerais da prova:

Prova Número: 167
Nome da prova: 3ª Meia Maratona Internacional das Três Fronteiras
Cidades: Ciudad Del'Este-Paraguai, Foz do Iguaçu-Brasil, Puerto Iguaçú-Argentina
Data: 14 de outubro de 2018
Distância: 21,4kms
Tempo: 1h23min49seg
Média por km: 3min55seg
Colocação geral: 17º lugar
Atletas no geral (total): 761
Colocação na faixa etária de 40 a 44 anos: 3º lugar
Atletas na faixa etária: não divulgado

Número total de pódios (fora de Ubiratã): 78
Número de peito: 147




Como citei logo no início, eu ainda não estava preparado para participar de provas longas, pelo fato de estar voltando aos treinos agora após a lesão no joelho esquerdo e do período de três meses parado.
Estava apenas na minha quinta semana de treinos antes desta corrida e só participei dela pelo fato de ser uma prova diferente e única na América do Sul.
O seu percurso passa por três países saindo de Ciudad Del'Este no Paraguai onde percorremos aproximadamente 2 quilômetros.
Depois, cruzamos a Ponte da Amizade e percorremos mais uns 14 quilômetros por Foz do Iguaçu no Brasil e após cruzarmos mais uma ponte, a Tancredo Neves, entramos em Puerto Iguaçu na Argentina e percorremos aproximadamente mais 6 quilômetros para finalizar os 21,4kms de prova no Marcos das Três Fronteiras daquele país.
Uma prova fantástica. Porém, muito desafiadora. Principalmente na parte brasileira onde tem muitas subidas.
Já na parte argentina o percurso não muda muito. Porém, fica um pouco mais "fácil" do que os quilômetros percorridos no Brasil.
No Paraguai não tem nem como reclamar, pois os quase dois quilômetros percorridos lá é muito fácil e no início de prova, com toda aquela adrenalina, a subidinha para se chegar à Ponte da Amizade não faz nem refresco. rsrs
É uma prova extraordinária que vale a pena participar.

Quanto a minha participação, ela foi além do esperando. Se bem que eu queria conquistar um pódio ali. Mas, sabia que não seria nada fácil, pois ainda não venho fazendo muitos treinos de velocidade e correr distâncias longas está sendo muito sacrificante. Mas, acabou dando tudo certo e valeu a pena, em dobro, participar desta corrida.

Embarquei para Foz do Iguaçu na madrugada de sexta para sábado as 03:00h da manhã.
A viagem durou cerca de quatro horas e meia e cheguei em Foz com uma chuva imensa.
Por sorte, a entrega de kits seria somente a partir das 10 horas e aproveitei e tomei um café da manhã ali na rodoviária mesmo e assim que a chuva deu uma diminuída peguei um ônibus até o terminal e depois até o Shopping Catuaí Paladium na Avenida das Cataratas.
Cheguei lá e o shopping ainda estava fechado e assim como muitos outros corredores, fiquei esperando dar o horário de abertura do shopping.
E quando abriu, as 10 horas, entramos e retiramos os nossos kits.

Na volta, para o centro da cidade, resolvi vir a pé e caminhei quase 10kms até o Super Mufatto para o almoço e depois para a Pousada El Shaddai onde fiquei hospedado.
Após fazer check'in, fui para o quarto mais logo saí a procura de um carregador para o celular, pois o que eu havia levado deu problemas e não carregava.
Como eu já tinha visto uma feirinha de 'importados' antes da pousada. Fui até lá e comprei um.
Aproveitei também e comprei uma capa de chuva, pois havia previsão para o horário da largada no dia seguinte.
Após "as compras", retornei para a pousada e dormi boa parte da tarde.
A noite nem saí para jantar. Comi apenas algum lanche que eu havia levado de casa e as oito da noite tentei dormir.
Mas, não consegui.
Fiquei um bom tempo acordado e acho que peguei no sono somente lá pelas 10 da noite.

E cansado como estava, só acordei as 03:10h porque havia programado o alarme no horário errado.
Depois que acordei quase não dormi mais e as 04:15h me levantei em definitivo, tomei o meu café e me aprontei e as 04:40h fiz check'out e fui para o local onde sairia os ônibus que levaria os atletas até a largada.
Lembrando que a prova não oferece transporte. Este serviço foi contratado anteriormente ao valor de 35 reais. Os ônibus levaria para a largada no Paraguai e buscariam na chegada na Argentina.

Ao chegar no local, ainda não havia chegado nenhum atleta.
Estavam lá somente os ônibus.
Os primeiros corredores só foram aparecer uns 15 minutos depois e praticamente veio um atrás do outro. Até parece que haviam combinados de chegarem todos juntos. rsrs
Assim que foram chegando os atletas já fomos entrando nos ônibus e quando encheu o primeiro já partimos para Ciudad Del'Este.
Demoramos cerca de 40 minutos, ou mais, para chegar no local da prova. O motorista acabou errando o caminho no Paraguai e demos uma volta enorme. Muitos já estavam até ficando preocupados com o horário, pois a largada seria as 07:00h e já beirava as 06:00h e nós ainda estávamos procurando o lugar. rsrs
Mas, no final deu tudo certo e chegamos com tempo de sobra para ir ao banheiro, deixar os pertences no guarda volumes, fazer fotos e aquecimentos.


A largada foi dada pontualmente as 07:00h da manhã.
Saí cauteloso. Porém, o objetivo era tentar manter quatro minutos por quilômetro. Ou seja, cauteloso, mas nem tanto. rsrs
Logo após a primeira curva cheguei na elite feminina e procurei acompanhá-las, pois achava que daria conta de manter o ritmo delas até a metade da prova ou quem sabe até um pouco mais.
A atleta alvo era a Marcela Cristina. Já corri algumas provas mantendo o ritmo dela e me dei muito bem.
O ritmo inicial parecia estar tranquilo.
Acabei não ouvindo o tempo no aplicativo Strava, mas depois vi que foi 3'35. Bem rápido. rsrs

Já no segundo reduzi um pouco. Na verdade, reduzi não. Só acompanhei as atletas da elite feminina e o quilômetro foi completado com 3'49. Nesse momento já estávamos cruzando a Ponte da Amizade sentido ao Brasil e o grupo formado por elas, da elite feminina, e por atletas amadores era grande. Acho que tinha de 12 a 15 corredores ali juntos.

Mas, ao chegarmos no Brasil, e ao começar a aparecer as subidas o grupo foi se desfazendo.

Após uns cinco ou seis quilômetros só havia as cinco atletas de elite, um outro corredor que acredito ser o treinador ou preparador físico da Marcela, pois ele a acompanhava o tempo todo e até água ele pegava nos pontos e passava pra ela, e eu. Ou seja, o grupo de quase quinze corredores reduziu para apenas sete.

O percurso não dava trégua e ora ou outra aparecia uma rampinha, ou uma subida mais longa para quebrar o ritmo. Inclusive, o km 6, que se não me engano, foi na rampa da Avenida Brasil, local onde também passa o percurso da Maratona de Foz, e este km foi completado em 4'25.
Sempre nestas subidinhas eu ficava um pouco pra trás, mas recuperava a distância logo depois.

Após a subida da Avenida Brasil a Marcela acabou parando para amarrar seu tênis e acabou ficando bem pra trás e eu seguia as outras três ou quatro que seguiam na ponta.
Antes do km 8, já na subida da Avenida das Cataratas a Marcela me ultrapassou novamente e seguiu na cola das demais concorrentes e eu acabei ficando.
A subida era muito longa e intensa.
As atletas abriram mais de cem metros de mim e assim permaneceu.

Passei a marca dos 10kms com 39min22seg.
Abaixo dos quatro minutos por quilômetro, mas não sei se suportaria este ritmo médio até o final, porque o corpo já começava a dar sinal de cansaço e não era pra menos.
De quinta para sexta, feriado de Dia das Crianças e de Nossa Senhora Aparecida eu havia acordado as três da manhã para participar de uma caminhada em homenagem a Santa Padroeira do Brasil que teve na minha cidade.
A caminhada foi de 18,5kms que finalizei com quase três horas.
Na madrugada seguinte, de sexta para sábado, eu acordei as duas da manhã para viajar para Foz e onde caminhei mais de 10kms por lá. E na madrugada de sábado para domingo eu acordei as três da manhã para participar desta prova, então a essa altura da corrida o corpo já estava quase pedindo arrego. rsrs
Mas, não podia desistir ali e assim tão fácil.

Tentei então dar uma apertada no passo para tirar a diferença que estava das atletas de elite e consegui tirar um pouco. Não o suficiente para alcançá-las, mas tirei uma boa distância.
Aproveitei a descida do Shoppin Paladium e mandei 'brasa'. rsrs
Já que o percurso era favorável nesse momento vamos partir pra cima.
Nos kms 12 e 13 o ritmo foi de 3'36. Tão bom como no início.

Já nos kms seguintes (14 e 15) voltei a maneirar, pois nesse ritmo eu ainda não tô pronto para manter por muito tempo. Mas, foram todos abaixo dos quatro minutos (3'51 e 3'49) e fechei os 15kms com quase 59 minutos. Muito bom!

Pouco depois, por volta do km 16, mais ou menos, cruzamos a Ponte Tancredo Neves deixando o Brasil para trás e adentrando em território argentino.


Com um pé em território brasileiro. O próximo já seria na Argentina.



Após cruzar a ponte, não mais consegui acompanhar as atletas de elite que, literalmente, 'sumiram' de vista após a primeira curva que apareceu. E o meu ritmo passou a ser acima dos quatro minutos por quilômetro, com exceção dos kms 18 e 20, onde havia um pouco mais de descida e marquei 3'43 em ambos.


O km 21 foi completado com 4'01 e o tempo total nesse momento era de 1h22min e alguma coisa e apesar de já ter feito 21 quilômetros, eu não via o pórtico de chegada.
No site oficial dizia que o percurso oficial teria 21.030 metros. Mas, deu mais. Bem mais. rsrs
Mas, sabendo que estava no fim, acelerei o que dava, aproveitando a descida, para completar os 21,4kms, anotados no meu Strava, com o tempo oficial de 1h23min49seg e 3'55 de média.


Após concluir a prova, tomei um pouco de água, comi algumas frutas e fui dar uma passeada pelo Marco das Três Fronteiras da Argentina e somente depois fui pegar os meus pertences no guarda volumes e tirar a camiseta toda molhada.
Achei muito bonito o local. Dá de dez a zero, no Marco brasileiro.
Vale a pena visitar.

E por volta das 10 horas, enquanto eu estava sentado em um banco da praça ao lado do pórtico de chegada, ouvi alguém comentando que havia saído a classificação das faixas etárias e perguntei onde estavam publicados e me apontaram o local e fui rapidinho lá ver e se eu já estava feliz por ter voltado a competir e conquistado um pódio na minha re-estréia uma semana antes. Feliz por ter completado mais uma meia maratona, imagine como fiquei feliz por ver o meu nome ali, estampado em 3º lugar na faixa etária dos 40 aos 44 anos naquela prova inesquecível.

Só não dei gritos e pulos de alegria para não me chamarem de louco. kkkkkk
A felicidade foi gigantesca.

Os três primeiros da faixa etária de 40 a 44 anos.


Parece que nunca uma premiação demorou tanto para acontecer como aquela. rsrs
Se bem que, tinha uns e outros que demoravam demais para chegar no pódio e quando chegavam, enrolavam demais lá em cima e sempre era chamada a atenção pelo locutor argentino que cobrava atenção e agilidade aos atletas para não atrasar a premiação.


E enfim, chegou a hora da minha categoria. Como não tinha ninguém para fazer uma foto minha no pódio, acabei pedindo para uma argentina que muito gentilmente me ajudou a eternizar aquele momento que ficará gravado eternamente em minha memória.
Nem mesmo a quebra do ônibus na volta pra casa, que me fez atrasar quase duas horas, me fez entrar em desespero. rsrs



Cumprimentando o segundo colocado da categoria.
O primeiro não apareceu para receber o seu troféu.




E assim finalizo esta postagem.
Espero que tenham gostado.


Segue abaixo mais algumas fotos:

.

O kit da prova.
O valor da inscrição custou R$ 107,89.

.

.

Antes da prova.
.
.

Em algum lugar do percurso prestes a fazer mais uma ultrapassagem.
.
.

Nos metros finais.
.
.

Quase completando.
.
.

Concluindo.
Momento eternizado pelo amigo Léo Nunes de Foz.
.
.

Mais uma pra conta.
Ao fundo o Marco das Três Fronteiras da Argentina.
.
.

.
.

A bela medalha com o Marco das Três Fronteiras da Argentina ao fundo.
.
.

.
.

.
.

Brasil à direita, Paraguai ao fundo e Argentina à esquerda.
.
.

.
.

.
.

.
.

Pódio da elite feminina.
.
.

Classificação das 5 primeiras colocadas no feminino.
.
.

Pódio da elite masculina.
.
.

Classificação dos 20 primeiros no geral masculino.
.
.

Recebendo mais um troféu e que considero um dos mais importantes da minha carreira de atleta amador.
.
.

Pena que a foto principal do pódio ficou meio "poluída" por esse rapaz aí. Mas, tá valendo.
.
.

.
.

.
.

Percurso da prova.
.
.

Videozinho da prova no Relive.cc.
.
.

.
.

Problema no ônibus na volta pra casa.




Agradecimentos:
Primeiramente sempre a Deus, pois sem Ele nada seríamos, por intercessão de Nossa Senhora Aparecida e do Sagrado Coração de Jesus pelo dom da saúde e por me proporcionar tantas coisas boas que nem sei se mereço tudo isso.
Agradecimentos também à Academia Boa Forma, minha esposa, família e amigos.

Abraço a todos e até a próxima.




#tuttamaratonista