domingo, 22 de outubro de 2017

Corrida Nº 148 - 16ª Meia Maratona Rotary - Toledo-PR (08out2017)

.
Apesar dos treinos não estarem rendendo grande coisa após a metade do ano. Fui para Toledo encarar minha terceira meia maratona em 2017.

A corrida nos proporciona uma alegria imensa.



Dados da prova:


Nome da prova: 16ª Meia Maratona Rotary
Cidade: Toledo-PR
Data: Domingo, 08 de outubro de 2017
Distância: 19,7kms
Tempo: 1h11min47seg
Média: 3min38seg por km
Colocação geral: 26º lugar
Atletas no geral: 324 corredores
Colocação na faixa etária de 40 a 44 anos: 1º lugar
Atletas na faixa etária: 38 corredores
Número de peito: 182


Como citei acima, os meus treinos após a metade do ano não vem sendo muito bons.
Estou me sentindo um pouco desanimado, cansado, com preguiça, falta de motivação; de tudo um pouco. rsrs
O desgaste do serviço também pode estar pesando um pouco para o fraco desempenho nos treinos, e principalmente nas últimas duas meias que fiz.
Ainda assim, fui confiante para Toledo, pois de acordo com os tempos da edição de 2016, caso eu viesse a fazer um tempo bom, tinha chances de ficar em segundo ou terceiro lugar na categoria e com isso levaria alguns ‘trocados’ pra casa. rsrs


Saí de Ubiratã com destino a Toledo as 12:30h do dia 07/10. Minha esposa Cileide foi comigo.
Duas horas depois desembarcamos em Cascavel onde pegamos outro ônibus que nos levaria até o destino final.
Chegamos em Toledo as 16:00hs e nos encaminhamos até o Lago Municipal onde fiz a retirada do meu kit e do kit de outros dois amigos ubiratanenses que não iriam para a prova por que não estavam bem de saúde. Um, com problemas na coluna e o outro com o pé quebrado.
Com o kit em mãos liguei para o amigo Paulo, que mora na cidade, e onde iríamos ficar hospedados naquele final de semana.

Encontramos o Paulo pouco depois no Shopping Panambi e após dois chopps artesanais e uma porção de filé de tilápia e outra de mandioca nos encaminhamos para sua casa.
Depois ainda retornamos ao centro para algumas comprinhas e após o banho e o jantar assistimos dois filmes do Jason (Sexta-Feira 13) e por volta da meia noite fomos dormir.
Chovia uma barbaridade naquele momento.

A chuva persistiu até por vota das 05:00h da manhã.
Acordamos, ou melhor, levantamos as 06:00h com o tempo ainda muito feio e com previsão de muita chuva.
Tomamos o café da manhã e as 07:00h nos encaminhamos para a região do Lago Municipal, local da largada e chegada da prova.
Já fui pronto.
Chegamos bem cedo e quando faltava uns 15 minutos para a largada, que seria as 08:00h, fiz um breve aquecimento e fui procurar um lugar mais a frente do pelotão para não perder muito tempo na largada que é em forma de “S”.

Este ano a largada foi menos tumultuada, pois fizeram a largada da prova de 6kms cinco minutos antes da meia o que facilitou e muito o fluxo de corredores naquele “S” inicial tanto para a prova mais curta quanto para a meia maratona.
A temperatura estava na casa dos 16 graus o que tinha tudo para ser uma grande prova e obter bons tempos já que a prova não tem muitas subidas fortes.


Apesar de não vim fazendo bons treinos, estava confiante e conversando com alguns amigos eles informaram que o ideal seria seguir a atleta Marcela, pois ela poderia fazer a prova na casa de 1h17, tempo este que eu também pretendia fazer na prova.
Mas logo no início já alcancei a Marcela e a ultrapassei. Como eu sempre faço uma primeira metade melhor que a segunda, preferi seguir meu ritmo e lá na frente, quando ela me alcançasse, aí sim eu a seguiria. Coisa que não aconteceu pelo fato de que ela quebrou e acabou parando pelo caminho e acabou até prejudicando um amigo de Nova Aurora, o Jilmar, que a acompanhou e quando ela parou ele tentou recuperar o tempo perdido, mais aí já era tarde demais. Menos mal que preferi seguir os meus instintos. rsrs

.

Iniciando a primeira perna do "S" logo após a largada.
A Marcela é esta toda de azul logo a minha frente.


O que me dificultou um pouco pra mim foi não ver as plaquinhas de quilometragem, pois assim eu controlaria melhor o meu tempo. Depois percebi que não haviam as tais placas e sim, marcações no chão. Porém, só fui ver a primeira marcação lá no quilômetro 6, quando passei com 22min12seg. Média de 3min42seg por quilômetro.

Pouco depois, por volta do Km 7, mais ou menos, encontrei a primeira colocada do feminino, acho que era a Josiane Cardoso, se não me engano, e outros dois atletas que são meus amigos. O Gerson de Iporã e um excelente corredor aqui da região, o Eduardo de Cascavel.
Até estranhei encontrar ele por ali, já que o ritmo dele era pra fazer a prova com 1h10 ou menos. Porém, ele estava lesionado e vinha apenas fazendo uma rodagem. No entanto, uma rodagem bem forte, diga-se de passagem. rsrs
Acompanhei eles por uns 2 km e nisso comecei a tomar a dianteira e vendo que eu estava bem o Eduardo falou que eu poderia seguir.
E foi que fiz.

Eu vinha me sentindo tão bem e o ritmo de 3min40seg por km estava relativamente fraco pra mim.
Cheguei  no  Km 10 com 36min49seg e 3min41seg de média.
Pouco depois passei pelo ponto de revezamento (novidade este ano) para quem estava fazendo a meia maratona em dupla. E desse ponto já avistei lá na frente um atleta conhecido e corredor muito bom da região de Maringá, o Emerson.
Após vencer a leve subida do km 11 me aproximei e antes do km 12 já ultrapassei ele também.

Pouco depois ao adentramos na Avenida Parigot de Souza, de longe avistei outros dois corretores conhecidos. Um era o Adilson (Dilsinho, como é conhecido) de Campo Mourão. Atleta de ponta.
E o outro era o Rosinei de Cascavel. Outro excelente corredor.
Nunca cheguei à frente nem de um e nem do outro em uma corrida de rua. O tempo deles é absurdamente muito melhor do que o meu. Fazem entre 33 e 34 minutos nos 10km, pra ser ter uma ideia.

Mas, neste dia eu não sabia dizer o que estava acontecendo com eles ou comigo. rsrs
Pois, vinha me sentindo muito bem e fazendo uma excelente prova. Não sei dizer se seria isso, mas esta foi a primeira vez que tomei café no café da manhã. Das outras vezes era apenas água, suco ou leite. Acho que a cafeína estava me ajudando e me deixando "ligado" no 220. rsrs
Jamais imaginei conseguir chegar e ultrapassar tantos corredores bons em uma mesma prova.
E quis aproveitar o momento, pois isso não acontece todo dia. rsrs
Mas, o dia era esse. rsrs

Conforme a prova ia se desenrolando eu ia me aproximando cada vez mais deles.
No km 14 o meu tempo era de 53min23seg e 3min40seg de media.
Pouco depois eu consegui alcançar os dois. Era pouco antes do km 15.
Cumprimentei eles e perguntei, principalmente ao Rosinei (pois tenho mais amizade) e quis saber o que ele fazia por ali, já que, pelo histórico do ritmo que ele possui, ele deveria estar bem mais a frente. Ele me respondeu que vinha treinando e competindo mais em provas curtas e estava sem resistência para uma prova mais longa, como era o caso da meia maratona. Nisso o Adilson começou a abrir alguns metros de vantagem. Ouvi e explicação do Rosinei e na sequência fui atrás do Adilson que ora ou outra forçava o ritmo, talvez tentando me quebrar. Mas eu o seguia sem muito esforço. Somente depois é que fiquei sabendo que nós éramos da mesma categoria e que estávamos disputando posição, primeiro e segundo, respectivamente. Mas, fiquei sabendo disso só na hora da chamada ao pódio. E acredito que seja por isso que ele acelerava um pouco e depois diminuía. Acelerava de novo e diminuía. Estava querendo me quebrar mesmo. Mas, aquele era o meu dia e quem acabou quebrado, foi ele. rsrs

Chegamos no km 16 e o meu tempo ali era de 58min45seg. Media de 3min40seg por km.
E o Adilson sempre forçando uma ‘fuga’ e eu o acompanhava até que chegou o momento que ele não conseguia mais tentar fugir e aí foi a minha vez de atacar.

.
Com o Adilson de Campo Mourão pouco antes do km 17.


Por volta do km 17 comecei a abrir vantagem e deixei ele pra trás.
No último retorno ainda na Avenida Parigot, vi a distância que estava dos demais atletas e como havia uma folga, relativamente boa, fui em busca de outros dois corredores à minha frente e consegui a ultrapassagem sobre eles no último km e pouco depois cruzei a linha de chegada da minha terceira meia maratona em 2017 com o tempo de uma hora e doze minutos pelo tempo do meu cronômetro.

Espera aí! Uma hora e doze minutos? Está certo isso?
Na verdade está certo sim. Tempo oficial corrigido: 1h11min47seg.
O que não estava certo era a distância da prova, pois o batedor que guiava os primeiros colocados passou do ponto que deveria virar à direita e seguiu em frente. Depois que passou pelo ponto de virar não teve mais como corrigir e duas quadras após onde deveria virar, aí sim ele virou, mas já era tarde demais. O pórtico de chegada já estava quase em frente e aí o jeito foi continuar e o percurso que seria de 21kms acabou sendo de apenas 19,7kms.


Lamentável este erro. Mas, como herrar é umano. Tá tudo certo. rsrs
Mas, pelo ritmo que eu vinha eu completaria os 21km com pouco mais de 1h16. Normalmente esse é o tempo que faço nas meias maratonas lá em Toledo.
Independente da prova não ter dado a distância correta e com isso não ser considerada uma meia maratona, fiquei muito satisfeito, pois consegui fazer uma grande prova.
A media final por km foi de 3miin38seg. Excelente pra quem vinha sofrendo pra manter quase 4min por km nos treinos.

Assim que finalizei peguei minha medalha, o lanche e fui encontrar minha esposa e o Paulo que ficaram me esperando. Neste momento começar a chuviscar. Mas, logo passou.
Depois foi só aguardar a premiação e ver o que tinha conseguido.
Demorou um pouco, pois começou pela prova de 6kms e depois pelas provas infantis e por fim a meia maratona.

Nem preciso dizer que estava ansioso, pois almejava um pódio para amenizar um pouco os gastos que tive com a viagem e inscrição.
A princípio, e de acordo com os tempos do ano anterior, eu teria chances de pegar um segundo, terceiro e de repente até um quarto lugar (200, 150 e 100 reais, respectivamente). O que me ajudaria bastante. Já que os gastos daquele final de semana, mais a inscrição, somaram em torno de 320 reais entre eu e minha esposa.
Enfim chegou a vez da categoria 40/44 anos.

Começaram a chamar do 5º colocado para baixo.
Aí chamaram o 4º, o 3º, o 2º e nada de me chamar.
Dei uma olhada para minha esposa que estava do meu lado como quem não estava entendendo nada do que estava acontecendo quando de repente chamam o meu nome em primeiro lugar.
A alegria foi imensa.
Saltei o alambrado ali mesmo e me encaminhei para o lugar mais alto do pódio.
Recebi um belíssimo troféu e uma bonificação de R$300 pela vitória na categoria.
Praticamente cobriu os gastos que tive e ainda saí como o cara a ser batido nessa categoria. Brincadeira. rsrs

Mas, sendo brincadeira ou não, que a minha reputação foi lá em cima, disso não tenho dúvida. Pois, uma coisa é você vencer uma categoria em uma prova qualquer. Outra coisa é vencer uma categoria na Meia Maratona Rotary em Toledo, onde a premiação é boa e só vem gente fera correr ali. Espero poder repetir uma boa atuação também em 2018. Não digo com vitória, pois como eu disse: vencer uma categoria na meia de Toledo não é fácil não. Mas, quero estar ali, pelo menos entre os três primeiros colocados. Porque; é bom demais estar entre os melhores. rsrs

Só recordando, este ano eu havia feito duas provas de 21km, porém com tempos altíssimos: (1h20 na meia do Shopping JL em Cascavel e 1h21 na Meia das Cataratas em Foz do Iguaçu. Todas com media acima de 3min50seg por km e com muito sofrimento. E agora em Toledo com media de 3min38seg e ainda com sobras. Fruto de bastante dedicação aos treinos. Mesmo tendo-os feito com bastante sofrimento. Mas, com dedicação constante.

Assim que recebi a premiação, retornamos para o almoço na casa dos amigos Paulo e Patrícia. Assistimos outros dois filmes do Sexta-Feira 13 com direito a muuuuito sorvete de sobremesa e as 17:40h nos encaminhamos para a rodoviária e de lá diretamente para Ubiratã onde chegamos por volta das 21:00 horas para continuar a nossa rotina normal de vida.

E assim foi mais uma corrida de rua deste atleta amador que vos escreve.


Segue abaixo algumas fotos e agradecimentos.


Meu número.
Apesar de não ter tido apoio da Secretaria Municipal de Esportes de Ubiratã eu corri com a camiseta do Município.

.
.

Com o amigo Paulo no Shopping Panambi tomando um chopp artesanal no sábado.
.
.

Alguns minutos antes da largada.
.
.

Com mais ou menos 1km de prova.
.
.

Em certas fotos eu tenho uma passada perfeita...
.
.

...Já em outras, fico todo "desengonçado". rsrs
Aqui, são nos metros finais.
.
.

Quase cruzando a linha de chegada "mortinho da silva" rsrs.
.
.

Eis o momento em que cruzo a linha de chegada.
O tempo marcado no cronômetro é do momento em que foi dada a largada da prova de 6kms.
O meu tempo oficial foi de 1h11min47seg para os 19,7kms.
.
.

Satisfeito por ter feito uma grande participação na prova.
.
.

Com outro corredor de Ubiratã.
O João que completou os 19,7kms do percurso com 1h56min50seg.
Ele foi o 279º no geral e o 43º na faixa dos 45 aos 49 anos.
.
.

Meu momento.
.
.

Pódio da categoria 40/44 anos.
.
.

Pódio geral masculino da Meia Maratona.
.
.

Classificação dos 10 primeiros colocados no geral masculino.
.
.

Pódio geral feminino da meia maratona.
.
.

Classificação das 10 primeiras colocadas no geral feminino.
.
.

Minha colocação no geral.
.
.

Os 10 primeiros colocados dos 6kms masculino.
.
.

As 10 primeiras colocadas dos 6kms feminino.
.
.

Meus prêmios conquistados em Toledo.
.
.

Com minha linda esposa Cileide.
.
.

Na Acadêmia Boa Forma de Ubiratã com o Ricardo,um dos professores e proprietários da acadêmia agradecendo pelo apoio na parte de fortalecimento muscular.
.
.

Não sou um grande corredor, mas me esforço para fazer sempre o melhor em cada prova...



Agradecimento sempre e primeiramente a Deus por intercessão dos santos que sou devoto: Nossa Senhora Aparecida, Jesus Misericordioso e Sagrado Coração de Jesus.
Aos amigos Paulo e Patrícia pela excelente recepção a nós dispensadas,
Aos amigos e familiares que estão sempre torcendo e incentivando de alguma forma,
Ao personal Paulão Silva pelos suplementos que sempre me fornece e a Academia Boa Forma em nome dos proprietários e professores João e Ricardo pelo apoio de sempre no fortalecimento muscular.


Abraço a todos e até a próxima...



Tutta Maratonista
www.correndocorridas.blogspot.com.br

domingo, 15 de outubro de 2017

Corrida Nº 147 - 3ª Etapa do 1º Circuito de Corrida de Rua Cidade das Flores - Corbélia-PR (07set2017)

.
No último dia 7 de setembro estive participando de mais uma corrida de rua.
Desta vez foi na cidade de Corbélia, na 3ª etapa do 1º Circuito de Corrida de Rua Cidade das Flores.
Foi uma prova simples, com poucos corredores, mas muito bem organizada pela Secretaria de Municipal Esportes daquela cidade.

Antes da prova em frente ao Ginásio de Esportes




Segue os dados da prova:

Nome da prova: 3ª Etapa do 1º Circuito de Corrida de Rua Cidade das Flores
Cidade: Corbélia-PR
Data: Quinta-feira, 07 de setembro de 2017
Distância: 8kms
Tempo: 29min38seg
Média: 3min42seg por km
Colocação geral: 4º lugar
Atletas no geral: 23 corredores
Colocação na faixa etária de 31 a 40 anos: 1º lugar
Atletas na faixa etária: não divulgado
Número de peito: 174


Saí de Ubiratã com destino a Corbélia na madrugada do dia 7 as 3:30h da manhã.
Minha esposa Cileide foi comigo.
Uma hora depois já estávamos em Corbélia e tivemos que ficar esperando na rodoviária até a hora da largada da prova que seria somente às 09:00h da manhã.
Me obriguei a viajar neste horário absurdo, pois não encontrei ninguém disposto a nos levar em um horário mais apropriado.

Por volta das 7 horas da manhã tomei um café e me enganei com minha esposa para ginásio de esportes de Corbélia.
Cerca de 20 minutos depois chegamos ao local e só encontramos o pessoal da organização montando uma simples estrutura.
Somente quase uma hora depois é que começaram a chegar alguns corredores.
Aproveitei este momento e fui pegar o meu kit que foi composto apenas pelo número (que deveria ser devolvido ao final da prova para ser reutilizado por você mesmo na sequência do circuito) e alguns alfinetes para fixar o numeral na camiseta.

O valor da inscrição foi de apenas 20,00 reais, porém a moça que me atendeu me disse que só pagava uma vez. Como eu não entendi o que significava acabei não pagando e nem perguntando o que significava e somente depois conversando com alguns corredores é que eles me informaram que a organização só cobraria a inscrição uma vez de cada atleta, o que foi feito na primeira etapa. Depois disso o atleta poderia participar de todas as demais etapas sem pagar nada.
Porém, como eu não havia participado da primeira etapa eu deveria pagar nessa. O que não aconteceu. No entanto, me comprometi em pagar na próxima etapa.

Depois de tudo esclarecido, fui me trocar e me preparar para a prova e depois de um breve aquecimento me perfilei com os poucos corredores presentes no evento. Uns 30, no máximo 40 no total masculino e feminino.
A largada se deu pontualmente às 9 horas da manhã.
O percurso, nesta terceira etapa era de 8kms. A cada etapa a distância aumenta-se em 1 km.
O circuito começou em agosto e naquela primeira etapa a distância foi de 6kms.

O meu objetivo para esta prova era conseguir um pódio, para agradecer, em grande estilo, os 2 anos de apoio que a Academia Boa Forma tem me dado e que estava sendo completados no mês de setembro.

Assim que foi dada a largada procurei não perder muito contato com os primeiros colocados e tentar acompanhá-los meio de perto pelo menos até a metade da prova, pois saberia que não tinha condições de acompanhar o Luiz e o Rosinei de Cascavel e nem o Jilmar de Nova Aurora durante a prova toda. Os demais eu não conhecia e não sabia se corriam bem ou não. Mas, a intensão era não ficar muito pra traz.

Momento da largada.


A largada se deu em leve decida e do lado oposto ao centro da cidade e depois de cerca de 500 metros se fazia o retorno onde voltamos e passamos em frente ao local da largada e seguimos por alguns bairros e centro da cidade sempre por ruas largas e bem pavimentadas.

Como a estrutura da prova era bem simples, não havia placa de quilometragem e nem marcação no chão, então procurei dividir a prova em três tempos distintos para assim poder me orientar e saber qual seria a hora certa de atacar ou defender uma colocação, se fosse o caso.
Como o percurso era de 8kms, eu acreditava que conseguiria completar a distância com aproximadamente 30 minutos e assim dividi a prova em três tempos de 10 minutos cada.

Voltando um pouquinho mais atrás, assim que fizemos o retorno e passamos novamente pelo pórtico de largada eu era o sexto colocado no momento e no decorrer do percurso fui conquistando as posições que me levou até o quarto lugar.
Após a metade da prova eu já não conseguia mais ver os dois primeiros colocados (Luiz e Rosinei, primeiro e segundo, respectivamente). Não por que eles estavam muito longe, mas pelo fato de haver várias curvas. Se bem que, eles não estavam tão perto como no começo. rsrs
Passando em frente ao pórtico de largada e chegada do prova.

Mais ou menos 1km e eu vindo lá atrás em 6º no geral.



Quando estava com 10 minutos de prova, cerca de um terço do percurso, eu já era o 4º colocado e o terceiro, que era o Jilmar de Nova Aurora, estava cerca de 150 metros na minha frente.
Com cerca de 20 minutos de tempo corrido eu comecei a diminuir a distância para ele e pouco depois um voluntário esqueceu de orientá-lo e ele acabou errando o caminho e após um grito deste mesmo voluntário para corrigir o seu erro e re-colocar o atleta de volta a rota normal da prova eu me aproximei mais ainda.
Fora isso, eu percebia que o ritmo dele já não estava tão bom quanto no começo e procurei apertar o passo e assim, quem sabe, tentar surpreendê-lo no final da prova. Mas, não foi o suficiente para ultrapassá-lo. Mas, a diferença ficou pequena.

Cruzei a linha de chegada com o tempo de 29 minutos e 37 segundos. Cerca de 50 metros, e/ou menos de 10 segundos atrás do Gilmar que foi o terceiro colocado e campeão da sua faixa etária (41 anos acima).

Completando os 8kms do percurso com 29min38seg

Por sua vez, também foi campeão da minha faixa etária (de 31 a 40 anos).
Recebi uma bela medalha de participação após cruzar o pórtico de chegada.
Comi algumas frutas e bem depois, cerca de uns 5 minutos é que foram começar a chegar os demais competidores.

Aguardamos a chegada de todos os corredores para finalizar a corrida e assim iniciar a cerimônia de premiação onde fui chamado pela quinta vez ao pódio este ano.

Como comentei acima: a prova em Corbélia teve uma estrutura bem simples, mas a sua organização foi perfeita. Com exceção apenas do horário de largada que na minha opinião poderia ter sido uma hora mais cedo. Se bem que, pra quem acordou as duas da manhã para correr somente as nove, uma hora a mais ou uma hora a menos não iria fazer muita diferença. rsrs

 Em relação ao percurso, como eu disse também: as ruas eram bem largas e bem conservadas, porém, com algumas várias subidas. No entanto, eu me senti bem nestas ‘tais’ subidas, que na maioria das vezes davam pouco menos que 100 metros, e não achei elas tão difíceis como relataram os três primeiros colocados.

A prova que só premia com medalhas especiais para os três primeiros colocados, tem um sistema de pontuação que na soma geral das seis etapas premiará em dinheiro para os três maiores pontuadores. Só achei o sistema de somatória errado. Já que, eles somam os pontos no geral e das categorias.
Por exemplo, se o atleta vence a prova no geral, automaticamente ele também vencerá na categoria, o que totalizará 20 pontos. Dez pontos pela vitória no geral e mais dez pontos pela vitória na categoria. Sendo assim, você chegando todas as provas em terceiro ou quarto lugar no geral, por exemplo, e vencendo sua categoria, pode somar mais pontos do que quem chegar todas as provas em segundo no geral e segundo nas categorias.
Resumindo, você pode chegar todas as provas atrás de um determinado atleta, mas caso vença a sua categoria em todas as etapas estará somando mais pontos do que um atleta melhor que você. Que na minha opinião não é justo.
Como a premiação em dinheiro (1º = R$700, 2º = R$500, 3º R$300) é só no geral, deveria ser somado somente os pontos do geral.
Fiz uma simulação nesta terceira etapa que se eu estivesse participado de todas as três etapas e ficado sempre em quarto lugar no geral e vencendo sempre a minha categoria (31/40 anos), eu estaria, praticamente, em segundo lugar na somatória de pontos. Ou seja, melhor do que atletas que estavam sendo melhores do que eu na prova.
Mas, enfim... regulamento é regulamento. Porém, espero que eles revejam isso para a edição de 2018 caso tenham vontade de manter o circuito.
Mas, chega de comparação e vamos finalizar o texto.

Após a premiação fui me trocar no ginásio de esportes que fica em frente ao local de largada e chegada da prova e segui com minha esposa até a rodoviária onde deu tempo de comer um lanche, tomar um refrigerante e depois comprar a passagem para pegar o ônibus que nos traria de volta para Ubiratã onde dormimos quase toda a tarde para recuperarmos um pouco o sono perdido na madrugada. rsrs


E assim foi mais uma corrida de rua na carreira deste simples atleta amador que vos escreve...


Segue abaixo algumas fotos e agradecimentos:

Com o amigo de Nova Aurora, Jilmar, 3º no geral e 1º no categoria 41 anos acima.
.
.

Após a prova.
.
.

Luiz, Rosinei, Adriana, Jilmar, ??? e Tutta.
.
.

Categoria 16 a 30 anos (1º Luiz; 2º Rosinei, 3º Gabriel).
.
.

Categoria de 31 a 40 anos (não sei os nomes do 2º e 3º colocados)
.
.

Categoria 41 anos acima (1º Jilmar, 2º não sei, 3º Márcio - Vereador de Corbélia)
.
.

Categoria 16 a 30 anos feminino.
.
.

Categoria 31 a 40 anos feminino.
.
.

Categoria 41 anos acima feminino.
.
.

Com a camiseta da Acadêmia Boa Forma agradecendo o apoio.
.
.

O numeral, e as medalhas de participação e de campeão da categoria.
.
.

Minha esposa e eu.
.
.

Pontuação após a 3º etapa.
Clique na imagem para ampliar.



Agradecimentos:
Primeiramente a Deus pelo dom da saúde, à minha esposa por estar sempre presente, aos amigos e familiares que estão sempre na torcida e em especial à Academia Boa Forma de Ubiratã pelos dois anos de apoio na parte de fortalecimento.

Abraço e até a próxima...


Tutta Maratonista
www.correndocorridsa.blogspot.com.br

sábado, 9 de setembro de 2017

Corrida Nº 146 - 10ª Meia Maratona das Cataratas Foz do Iguaçu-PR (04jun2017)

.
E lá vem mais um relato de uma prova realizada a muuuuito tempo atrás que só agora trago alguns detalhes sobre ela. rsrs
É; ando muito lento, ou preguiçoso demais para escrever. rsrs
Mas, vamos parar de enrolar então e vamos ao que interessa.

Passando em frente as Cataratas pouco depois do km 20.




Dados da prova:

Nome da prova: 9ª Meia Maratona das Cataratas
Cidade: Foz do Iguaçu-PR
Data: Domingo, 04 de junho de 2017
Distância: 21,1kms
Tempo: 1h21min30seg
Colocação geral: 17º lugar
Atletas no geral: 1.405 corredores
Colocação na faixa etária de 40 a 44 anos: 4º lugar
Atletas na faixa etária: 235 corredores



Fui para esta prova com o amigo ubiratanense Marcos, além das nossas esposas que iriam apenas fazer companhia.
Saímos de Ubiratã as 05:30h da manhã do sábado e chegamos em Foz por volta das 08:30h e fomos direto para o 'exterior' fazer algumas comprinhas. rsrs

Depois de um desencontro durante as compras na Ciudad Del Leste entre os dois casais e depois entre eu e minha esposa nos encontramos todos no estacionamento do outro lado da ponte onde havíamos deixado o carro.
Em seguida fomos almoçar e somente depois fomos buscar os kits e seguir para os hotéis.

Almoçamos no Super Muffato e após o almoço seguimos até o Marco das Três Fronteiras para fazer a retirada do kit composto por uma camiseta, o chip, número, alfinetes e algumas papeladas, uma sacola para o guarda-volumes, além de um ingresso para entrar no Marco e outro para um acompanhante entrar no Parque Nacional e acompanhar a chegada.
E em seguida fomos para os hotéis e para minha surpresa, o Hostel que eu havia reservado já não existia mais no local.
Conversei com um pessoal que estavam trabalhando na reforma do antigo estabelecimento e um deles tinha o número de celular da antiga proprietária.
Entrei em contato com ela e ela me ofereceu um outro local para hospedagem. O mesmo que eu havia ficado em 2016, mas acabei não aceitando, pois este ficava lá na entrada do Parque Nacional e ficaria muito difícil para que eu pudesse me deslocar até o local de largada no dia seguinte.
Se o Hostel que reservei ainda existisse, ficaria a menos de 500 metros da largada, o que seria uma “mão-na-roda” pra mim.

O que me deixou com muita raiva e insatisfação nisso tudo foi que ninguém do estabelecimento me avisou do fechamento do Hostel. Eles tinham todos os meus dados e nem se importaram em mandar uma notificação.
Por sorte eu cheguei com tempo para procurar outro lugar para ficar.
E por mais sorte ainda havia um quarto vago no hotel onde o Marcos e a Daiane, sua esposa, ficariam hospedados e acabei ficando por lá com minha esposa.

Na parte da tarde tiramos um bom ‘cochilo’ e a noite demos um pulinho no Shopping, mas como uma refeição lá era muito caro seguimos novamente para o Muffato para jantar e em seguida retornamos e fomos dormir para poupar um pouco de energia para o dia seguinte que prometia chuva e amanheceu bastante nublado e com uma ventania danada.

Até deu alguns pingos antes da largada, mas ficou só nisso.
O vento também diminuiu e a temperatura ficou super agradável e propícia para bons resultados.

E eu estava confiante, pois neste percurso tenho o meu recorde pessoal em meias maratonas com 1h14min12seg conquistados em 2012.
Mas, para este ano de 2017 a expectativa era mais modesta. Em torno de 1h18 pra menos.
E tinha condições para isso, pois já vinha em uma preparação de 10 semanas para a Maratona do Rio que tive que cancelar minha ida uma semana antes desta prova em Foz devido ao alto custo que eu ainda teria que desembolsar. E como eu estava com bastante coisas para pagar achei por melhor perder a inscrição e a passagem de ida e pagar as contas com o dinheiro que eu ainda iria gastar na viagem.
Mas, isso não vem ao caso e vamos seguir na prova de Foz do Iguaçu.

Como eu vinha dizendo, eu estava bem preparado e tinha condições de fazer uma boa corrida. Apesar de que, duas semanas antes eu havia ido mal em uma meia maratona na cidade de Cascavel. No entanto, lá eu estava gripado e aqui (em Foz) eu já havia melhorado quase 100%.

E saí acelerando.
Assim que foi dada a largada saí feito um louco, ultrapassando todo mundo.
Ao completar o primeiro quilometro com, 3min18seg, eu estava entre os 10 primeiros colocados.
E assim como aconteceu em 2012, quando obtive o recorde na distância, eu vinha acompanhando de perto o Rudinei de Pato Branco, pois sabia que ele faria uma excelente prova.

Mas, minha alegria durou pouco.
Por volta do km 5, já comecei a sentir muito cansaço e o ritmo, principalmente nas subidas, começava a cair drasticamente. Tanto é que fechei o km 5 com 4min11seg e nisso o Rudinei começou a se distanciar até chegar ao ponto de não o ver mais na minha frente.

Apesar dos pesares e das subidas da entrada do aeroporto e do Parque Nacional cheguei no quilômetro 10 com um tempo até bom: 36min31seg.
Mas, dali em diante foi um desastre total.
Quase todos os quilômetros seguintes estavam batendo na casa dos 4 minutos e dois deles passou acima desse tempo.
Não imaginava que dentro do Parque Nacional pudesse haver tantas subidas. rsrs

Faltou pernas.
Faltou forças.
Faltou tudo. Inclusive treinos em subidas e mais reforço muscular na academia.
Nas últimas três ou quatro semanas que antecedeu esta prova em Foz do Iguaçu eu vinha fazendo apenas treinos em pista, sem pegar ladeiras e fazendo apenas uma sessão semanal de exercícios na academia.
Acho que faltou mais disciplina por minha parte.
Mas, enfim... Agora é tarde para se lamentar.

Nem mesmo as belas imagens das quedas d’água no quilômetro 20 foram o suficiente para me animar a fazer um último quilometro perfeito que fechei com 3min58seg e a prova toda em 1h21min30seg.

A expectativa inicial era de vencer a categoria 40/44 e pra isso 1h18 era mais que o suficiente. Mas, com quase 1h22 no ‘lombo’ seria difícil até de conseguir ficar entre os 5 melhores nesta faixa etária.
Em todo caso, já estava ali mesmo e mais nada poderia ser feito o jeito então foi esperar e a satisfação foi grande quando vi meu nome em 4º lugar.

Fui mal na prova, mas ainda assim sair com um pódio foi extraordinário, pois este seria o quarto pódio em quatro provas no ano. Nada mal, não acham. rsrs

Esperei até ser chamado no pódio e depois dei uma pequena passeada na Trilha das Cataratas com  minha esposa.
Em seguida subimos para a entrada do Parque. De lá para o almoço, novamente no Muffato e de lá para casa e pegamos uma ‘baita’ chuva em quase toda viagem de volta.

Ah, o Rudinei foi o 6º colocado geral com 1h16min29seg. Não falei que ele faria uma boa prova!. Pena que não tive condições de acompanhá-lo.
Mas, corrida é assim mesmo: em um dia a gente corre bem; em outro nem tanto.
O Marcos finalizou a prova com 1h43min45seg.

E assim foi mais uma corrida deste simples atleta amador que vos escreve...


Segue abaixo mais algumas fotos:


Meu número e a empresa de Ubiratã que representei por patrocinar a minha inscrição para a prova.
.
.

Na retirada do kit.
.
.

No Marco das Três Fronteiras.
.
.

No Marco das Três Fronteiras.
.
.

Pouco antes da largada.
.
.

Marcos e eu esperando antes da largada.
.
.

Largada.
.
.


Pouco após o km 20.
.
.

Pouco depois do km 20.
.
.

Prestes a ser ultrapassado após o km 20. rsrs
.
.

Quase chegando 1...
.
.

Quase chegando 2...
.
.

...Chegando para completar...
.
.

...E completando com 1h21min30seg.
.
.

Super suado e cansado.
.
.

Recomposto após a prova.
.
.

Eu, minha esposa Cileide, Daiane e Marcos.
.
.

Pódio da categoria 40 a 44 anos.
Mais um pódio no ano, nas Cataratas e na carreira.
.
.

Classificação dos 17 primeiros colocados no geral dos 21km na prova masculina.
.
.

Classificação das 10 primeiras colocadas no geral dos 21kms na prova feminina.
.
.

Classificação dos 10 primeiros colocados no geral dos 8kms na prova masculina.
.
.

Classificação das 10 primeiras colocadas no geral dos 8kms na prova feminina.
.
.

.
.

Medalha da prova.
.
.

O troféu da categoria.
.
.

.
.
.



Agradecimentos:
Primeiramente a Nossa Senhora Aparecida e Sagrado Coração de Jesus pela intercessão a Deus pela dom da saúde;
Ao José Bocalon do BCA Postos pelo patrocínio na inscrição;
A Acadêmia Boa Forma em nome dos proprietários e professores João e Ricardo, além dos professores Paulão e Eltinho pelo apoio no trabalho de fortalecimento;
Ao Marcos por ter me levado a Foz;
A minha esposa pela companhia de sempre
E a todos os amigos e leitores deste humilde espaço.

Abraço a todos e até a próxima.


Tutta Maratonista
www.correndocorridas.blogspot.com.br