sábado, 16 de fevereiro de 2019

Corrida Nº 174 - 94ª Corrida Internacional de São Silvestre - São Paulo-SP - 31dez2018


... Postagem atrasada ...


Após a Maratona de Curitiba em meados de novembro de 2018 eu praticamente não treinei corrida.
Apesar das duas provas vencidas em dezembro eu mais pedalei do que corri neste mês. Foram mais de 1.000kms pedalando. Então, eu não podia me cobrar muito nesta que foi a minha décima terceira participação na Corrida Internacional de São Silvestre. Mas, o resultado não foi dos piores.


"Você nunca chegará ao seu destino se parar e ficar reclamando e colocando defeitos e obstáculos em tudo..."



Segue abaixo os dados gerais da prova:

Prova número: 174
Nome da prova: 94ª Corrida Internacional de São Silvestre
Cidade: São Paulo-SP
Data: 31 de dezembro de 2018
Distância: 15kms
Tempo: 1h00min23seg
Média por quilômetro: 4min01seg
Colocação geral: 208º lugar
Atletas no geral: Não divulgado
Colocação na faixa etária de 40 a 44 anos: 25º lugar
Atletas na faixa etária: Não divulgado
Número de peito: 2461



Como eu ia dizendo, quase não treinei corrida após a Maratona de Curitiba em novembro e fui para São Paulo com o intuito de apenas completar esta que seria a minha décima terceira participação na corrida mais tradicional do Brasil: a São Silvestre.

Parti para a capital paulista no sábado dia 29/12 e viajei com outros dois amigos no mesmo ônibus.
O João de Ubiratã que iria para a sua segunda participação e o Tite de Corbélia que estrearia na corrida.
Chegamos as 8:00h da manhã na rodoviária Barra Funda em São Paulo e fomos a pé até o ginásio do Ibirapuera onde, até então, tradicionalmente eram entregues os kits.
Mas, para a nossa surpresa não havia movimentação nenhuma no local.
Daí resolvemos conferir no site e vimos que a entrega este ano estava sendo feita no Centro de convenções Anhembi e isso ficava bem longe dali.
Acionamos um Uber e logo chegamos ao local.

Com o kit já em mãos, o João foi para a Mooca e o Tite e eu partimos, mais uma vez a pé, até a rodoviária e terminal metropolitano do Tietê e pegamos um metrô e seguimos para a Paulista, mais precisamente no Soul Hostel onde ficaríamos hospedado.
Feito o check-in fomos procurar um local para almoçar e depois seguimos para o Parque do Ibirapuera caminhar um pouco.

Tite, João e eu na retirada do kit.


Ficamos um bom tempo por lá tomando água de coco e só voltamos para o hostel a tarde.
Nesta caminhada fizermos quase 10kms.
Chegando no hostel, tomamos banho e saímos para jantar. Como não achamos nada legal, acabamos comendo algum lanche na Paulista mesmo.
Pouco depois retornamos ao hostel e as 22 horas fomos dormir.

Acordamos pouco antes das seis da manhã.
Tomamos café e partimos para a Paulista onde seria o local da largada.
Como foi a estreia do Tite, ele estava bem ansioso e bem antes das sete da manhã já quis se perfilar para a largada que seria as 9, talvez uns minutinhos mais.
Mesmo achando muito cedo para isso acabei o acompanhando e esperamos até o momento da Globo “liberar" o horário para a largada que se deu as 09:05h daquela manhã não muito quente, pra nossa sorte.

Antes da prova.


Na largada o Tite disparou e eu acabei ficando.
Sempre faço péssimas largadas por ser cauteloso demais e na São Silvestre o cuidado deve ser ainda mais redobrado, pois uma queda ali pode causar sérios ferimentos podendo até impedir de concluir a prova.
Acabei ficando engarrafado no meio da multidão de corredores, mas ainda assim passei pelo primeiro quilômetro com um tempo até que razoável (4’08).

Depois deste km já consegui mais espaços e procurei correr um pouco mais rápido para tentar recuperar o tempo perdido e com isso buscar mais uma sub-1h nesta prova.
Até consegui tirar alguns segundos nos kms seguintes, mas a falta de treinos de velocidade estavam fazendo falta.
Reencontrei o Tite somente no km 4, e pouco depois completei os primeiros 5kms com 19’43 e já comecei a perceber que não seria nada fácil completar a prova abaixo de uma hora.
Estava bastante sofrido manter o Pace perto dos 4 minutos por km e ainda teria a Brigadeiro lá na frente.

Lá pelo km 8 já comecei a tirar a ideia de buscar mais um sub-1h e ir apenas para completar mesmo.
Mais a frente passei os 10kms com 39’53. Com esse tempo e a essa altura da prova já dava pra ver que seria muito difícil terminar com uma hora. Pra não dizer impossível.
A menos que eu subisse a brigadeiro com média de 4 minutos ou menos. Coisa que eu nunca havia feito nas outras 12 participações na prova.

Apesar de já ter desistido, fiz uma boa subida. Mas, aí já era tarde pra buscar o tempo pretendido inicialmente. Ainda tentei forçar o ritmo ao chegar na Paulista, mas foi em vão. Porém, foi por pouco.
Completei a prova com uma hora, zero minuto e vinte e três segundos e com sensação de um dever cumprido. E logicamente que tenho muito o que agradecer, pois foi um ano muito bom, apesar da lesão e dos três meses de recuperação.

O Tite chegou logo depois com o tempo de 1h02min57seg na 331ª colocação na classificação geral e em 54º lugar na sua faixa etária.
Após concluída a prova, saímos da Avenida Paulista com nossas medalhas. Antes, porém, fizemos algumas fotos e depois fomos ao hostel e fizemos check’out, almoçamos e segui com o Tite até a rodoviária e aguardei até o seu embarque de volta à Corbélia e depois segui para o Bairro de Perus onde passei o reveillon na casa dos meus tios.

Em relação à participação do João, ele acabou sendo derrubado, e se machucou um pouco nos joelhos logo no início da prova, mas por sorte os ferimentos foram apenas superficiais, sem gravidades e ele conseguiu voltar e completar a prova perto de 1h40.

Após o réveillon, aproveitei e fiquei uns dias a mais em São Paulo e no dia 6 fui para Campos do Jordão onde encontrei com minha esposa, pais e vários amigos que seguiam para uma romaria em Aparecida do Norte e fui com eles e retornamos para casa somente no dia 10/01.

Em Aparecida do Norte-SP com minha esposa.



Segue abaixo mais algumas fotos:
.
Meu número.

Incrível que somando este número dá um total de 13. Parece se referindo a minha 13ª participação na prova. rss
.
.

Passando pelo Teatro Municipal de São Paulo.
.
.

Após a prova no Masp.
.
.

Minha 13ª São Silvestre.
.
.

A bela medalha da prova.
.

.
.

Na entrega de kits com o atleta Cleberson Souza que correu os 1.000km Brasil em 10 dias.
.
.

A bela camiseta da prova.
.
.

Os 10 primeiros no geral masculino.
.
.

A minha colocação no geral.
PS: este ano só foi divulgado os resultados dos 100 primeiros colocados tanto no geral como nas faixas etárias e por isso ficou impossível saber quantos completaram...
Lamentável...

.
.

A minha colocação na faixa etária.
.
.

As 10 primeiras no geral feminino.
.





E assim foi mais uma prova, com direito a férias, deste pobre, simples, humilde, mas feliz atleta que vos escreve.
Abraços e até uma próxima oportunidade.


Agradecimentos:
Primeiramente sempre a Deus pelo dom da saúde;
à Academia Boa Forma;
Tite;
João,
Tia Maria;
Minha esposa.
Além de todos os amigos, inimigos e leitores deste simples blog de corrida de rua.


#tuttamaratonista


sábado, 2 de fevereiro de 2019

Corrida Nº 173 - 3ª Etapa do Circuito da Onça - Cascavel-PR - 19dez2018

.
... Postagem atrasada ...
.

.
Ao olhar os tempos da segunda edição do Circuito da Onça em Cascavel, vi que eu tinha grandes chances de vencer mais uma prova no geral e não quis deixar escapar esta oportunidade. Me inscrevi. E lá fui para tentar mais uma vitória.
.
"Nas grandes batalhas da vida, o primeiro passo para a vitória é o desejo de vencer."



Segue abaixo os dados gerais da prova

Prova número: 173
Nome da prova: 3ª Etapa do Circuito da Onça
Cidade: Cascavel-PR
Data: 19 de dezembro de 2018
Distância: 8,4kms
Tempo: 29min32seg

Media por quilometro: 3min30seg
Colocação geral: 1º lugar
Atletas no geral: 74 corredores
Número total de pódios (fora de Ubiratã): 81
Pódios no geral: 28
Pódios na faixa etária: 53
Número de peito: 269



Sem carro para me deslocar até Cascavel e sem ninguém que se dispusesse a me levar, mesmo tendo um corredor de Ubiratã que participaria da prova, o jeito foi trabalhar até as 15 horas, ir para casa, tomar um banho e pegar um ônibus as 16 horas na rodoviária e seguir até Corbélia. De lá eu seguiria com o amigo Tite, além do Carvalho, até o Lago Municipal de Cascavel, local da prova.

Chegamos com quase uma hora de antecedência. Tempo mais do que o suficiente para retirar o numeral, ajudar o Sidney da Equipe Força Runners montar a barraca deles, conversar, se aprontar para a prova e aquecer com tranquilidade.

Todos que eu encontrava em Cascavel me diziam a mesma coisa: " - Veio para ganhar né!" rsrs
Parece que todos sabiam que a minha vitória era certa naquele dia. Ou melhor, naquela noite de quarta-feira.
O que eu achei bastante curioso foi que, ao comprar a passagem para Corbélia, o atendente da Expresso Maringá me perguntou se poderia ser a poltrona número 1. Disse que podia, sem problema nenhum. E ao pedir já a passagem de volta, só tinha uma vaga disponível no ônibus. Achei muita coincidência. Agora só faltava eu ficar em primeiro lugar na prova para que a coincidência ficasse perfeita. rsrs


As 20:05h foi dada a largada.
Sempre costumo sair bem cauteloso para evitar algum toque e consequentemente uma queda que prejudicaria tudo o desenrolar da prova. Mas, apesar da cautela, saí bem. Porém, perdi algumas colocações logo na primeira curva e que fui recuperando depois no retão da avenida que faz a barragem do lago e quando entramos em definitivo na pista do lago eu já havia recuperado todas as colocações perdidas e antes de completar o primeiro quilômetro eu já era o líder da prova. Aliás, líder das duas provas. Pois, havia disputa de uma e duas voltas. Ou seja, 4,2 e 8,4kms e eu seguia na frente até de quem faria a prova menor.

.
Largada.


Passei a marca do primeiro quilômetro com 3min14seg. Bem rápido. Muito mais rápido do que normalmente eu vinha treinando.
E após assumir a liderança, não diminui muito o ritmo não. Pois, o segundo colocado veio junto e o tempo do segundo quilometro também foi bem forte (3min23seg). Dali em diante eu já comecei a abrir certa vantagem e ao passar pela ponte eu já tinha mais de cem metros de distância e conforme eu ia seguindo a vantagem só ia aumentando.

No km 3 eu passei com 3min28seg. Estes foram os três quilômetros mais rápidos. Depois, todos os outros foram acima dos 3min30seg.

No quarto km o tempo foi de 3'33 e pouco depois passei pela metade da prova com o tempo corrido de 14min19seg. Bem à frente do primeiro colocado da prova menor que chegou um minuto e doze segundos depois para vencer os 4,2kms.

Sozinho na liderança dos 8,4kms e sem ninguém para ameaçar a colocação eu acabei "relachando" e perdendo alguns preciosos segundos que poderia me dar o recorde pessoal do percurso que é de 28'55, se não me falha a memória.
Ainda tentei apertar um pouco o passo nós últimos dois quilômetros mais aí já era tarde demais e não foi o suficiente para melhorar muito.
Porém, o tempo ainda foi muito bom: 29 minutos e 32 segundos para os 8,4kms de prova. Media de 3min30seg por quilometro e mais uma vitória no geral pra conta. A terceira ali no Lago de Cascavel. Só preciso agora fazer uma contagem total de quantas vitórias no geral já tenho na minha carreira. Pois, não sei ao certo. rsrs
O segundo colocado chegou com 30min40seg. Ou seja, 1min08seg depois.

Concluída a prova recebi minha medalha e fui me hidratar comendo algumas frutas, tomando água, pois o calor era intenso, apesar de ser noite e na saída da tenda ainda houve distribuição de sorvetes.
Depois fiquei esperando os amigos chegarem e ficamos conversando até o momento da premiação. Antes porém, encontrei com o ubiratanense João que correu e completou a prova de 8,4kms com o tempo de 48min39seg obtendo a 59ª colocação na classificação geral.
E após premiados, voltamos para Corbélia onde jantei na casa da mãe do Tite, quinto colocado geral dos 8,4kms, e as 00:10h embarquei em definitivo para Ubiratã onde cheguei em casa por volta das duas da manhã.


E assim foi mais uma prova completada com êxito na vida deste pobre e humilde atleta amador que vos escreve...


Segue abaixo algumas fotos:
.

Meu número.

.
.

Antes da prova.
.
.

Depois da prova.
.
.

Com os amigos Carvalho numeral 240. Ele correu os 8,4kms e completou com 33min49seg na 12ª colocação na classificação geral e conquistou o segundo lugar na sua categoria e o Valmir Marasca numeral 239, o popular Tite. Ele completou os 8,4kms com o tempo de 31min50seg e obteve a 5ª colocação geral.
.
.

Com a amiga Lúcia Quadri. Ela completou os 8,4kms com o tempo de 45min15seg obtendo a 15ª colocação na classificação geral e venceu sua categoria.
.
.

Com grandes amigos que a corrida me proporcionou.
Lucas - que não correu , Carvalho, Tite, Eu e Pesão.
.
.

Recebendo o troféu.
.
.

Pódio geral dos 8,4kms.
.
.

Pódio geral dos 8,4kms.
.


Classificação dos 5 primeiros colocados no geral masculino dos 8,4kms.
.
.


Classificação das 5 primeiras colocadas no geral feminino dos 8,4kms.
.
.


Classificação das 5 primeiras colocadas no geral feminino dos 4,2kms.
.
.


Classificação dos 5 primeiros colocados no geral masculino dos 4,2kms.
.
.


Foto feita pelo amigo João de Ubiratã.
.
.


.


.


.


O troféu e a medalha da prova.
.
.


O percurso marcado no Strava.
.
.


Certificado.
.
.
Resultados: https://www.chronomax.com.br/index.php/Maxraceresults/dados/432




Agradecimentos:
Primeiramente a Deus por intercessão de Nossa Senhora Aparecida e Sagrado Coração de Jesus pelo dom da corrida e pela saúde de sempre.

Agradecimento também ao Tite pelo translado Corbélia/Cascavel/Corbélia.
À academia Boa Forma de Ubiratã pelo trabalho de fortalecimento muscular, mas que não fui um dia sequer no dia de dezembro. rsrs
À minha esposa que ficou em casa torcendo por mim e a todos os amigos, inimigos ou leitores deste humilde blog de corrida...

Abraço e até a próxima...


#tuttamaratonista

quinta-feira, 24 de janeiro de 2019

Corrida Nº 172 - 6ª Etapa do Circuito de Corridas de Goioerê - 09dez2018

.
... Postagem atrasada ...
.

.
Querendo vencer mais uma corrida no geral, lá fui eu para a cidade de Goioerê, cidade vizinha aqui de Ubiratã.
Sabia que a prova lá era bem simples e fraca no quesito 'performance' dos atletas.
Haja vista que, o vencedor das últimas duas etapas era um amigo meu da cidade de Corbélia e eu havia chegado na frente dele em todas as vezes que participamos de uma corrida juntos.
Não quero aqui dizer que ele corre mal não. Pelo contrário. No último ano ele melhorou e muito o seu desempenho. Porém, eu ainda consigo chegar na frente dele nas nossas disputas particulares. Só não sei até quando isso vai durar. rsrs
Mas, sabendo que eu tinha chances de vencer mais uma no geral eu não podia deixar escapar esta oportunidade. rsrs


Segue abaixo os dados gerais da prova



Prova número: 172
Nome da prova: 6ª Etapa do Circuito de Corridas de Goioerê
Cidade: Goioerê-PR
Data: 9 de dezembro de 2018
Distância: 9,6kms
Tempo: 35min10seg
Media por quilômetro: 3min39seg
Colocação geral: 1º lugar
Atletas no geral: 13 corredores
Pódios na faixa etária: 53
Pódios no geral: 27
Número total de pódios (fora de Ubiratã): 80
Número de peito: 402



A princípio iríamos em quatro atletas de Ubiratã para a prova que tinha inscrição gratuita e podia-se fazer na hora. Mas, dois desistiram em cima da hora e acabamos indo somente o Júlio César e eu, além da minha esposa Cileide que foi como acompanhante, e desde já quero deixar o meu agradecimento pelo translado ao "Juninho" como ele é conhecido aqui.

Chegamos próximo das oito da manhã ao local e havia pouquíssimos atletas.
Depois ficamos sabendo que a cidade, que não é muito grande, estava tendo três eventos esportivos naquele mesmo dia. Uma caminhada, um evento de mountain bike e esta corrida. E com isso os atletas se dividiram.

Ao chegarmos pegamos os nossos numerais que eram "confeccionados" na hora, com tecido tnt, e fomos nos preparar para a corrida.
Troca de camiseta, aquecimento, etc, etc, etc...
Antes, porém, acabei tendo um "dedinho" de prosa com o Tite, o tal amigo de Corbélia que citei acima, e com outros corredores da cidade dele.

Por volta das 08:15h foi dada a largada com menos de 25 corredores somado o masculino e o feminino.
Achei estranho por não haver batedor.
Antes da prova o Tite já havia me alertado para isso e que era preciso ficar atento aos cones, pois haviam marcações próximo deles indicando o caminho a seguir.

Dada a largada tem sempre uns "loucos" que disparam na frente. Como eu não conhecia o real ritmo destes "loucos" fui no embalo deles. De um deles, mais precisamente.
No entanto, o Tite também já havia me alertado para isso antes da prova e fomos nós dois num mesmo ritmo.
Com menos de dois minutos depois da largada eu e o Tite já dividíamos a liderança da prova e por duas ocasiões eu ia passando direto. Mesmo vendo os cones. Por sorte estava junto com o Tite e ele apontou a direção a seguir nas duas ocasiões. Somente num terceiro cone foi que reparei no chão a flecha apontando para onde deveria virar.

Completamos o primeiro quilômetro com 3 minutos e 16 segundos. Bem forte.
No segundo marcamos 3 minutos e 30 segundos e dali em diante já comecei a ganhar alguns metros de vantagem do Tite que vem numa evolução fantástica neste último ano (2018).
O terceiro quilômetro completamos com 3 minutos e 39 segundos e na sequência pegamos uma forte e longa subida e com vento contra e ali abri imensa vantagem mesmo completando o quilômetro quatro com 4 minutos e 12 segundos.
Pouco depois completei a metade da prova passando pelo local da largada e não vi ninguém no local. Todos estavam dentro da Biblioteca Municipal. Só saíram quando eu já estava passando. rsrs

O Tite havia ficado bem para trás e sem ninguém mais para ameaçar a minha vitória procurei não quebrar muito o ritmo e segui para a vitória completando os 9,6kms do percurso com o tempo de 35 minutos e 10 segundos.
O Tite chegou bem depois na segunda colocação seguido do seu amigo, Carvalho, para fechar o pódio geral e o ubiratanense Juninho foi o quarto colocado.

Uma coisa que achei errado na prova foi a dupla premiação. Ou seja, quem subiu no pódio geral, também subiria nas categorias. A princípio até comentei sobre isso, mas me informaram que já começaram o circuito dessa forma e não iam mudar isso no meio da disputa. Ou no caso, na última etapa do ano.
Espero que em 2019 voltem com este circuito e que mudem o formato de premiação. Pois, assim dará oportunidade para outros corredores sentirem o gostinho de estar no pódio.
O legal também seria ter medalhas de participação. Coisa que não houve em toda as seis etapas deste circuito e só ganharia quem subisse ao pódio. Menos mal que para os atletas de Goioerê foi entregue troféus para os melhores do circuito em suas respectivas categorias.

E após os meus dois pódios, campeão na categoria e no geral voltamos para casa.
E assim foi mais uma corrida na vida deste atleta amador que vos escreve.


Segue abaixo algumas fotos:
.

Antes da prova.

.
.

Júlio César, eu, Tite, Carvalho, Rodrigo e sua mãe.
.
.


Os poucos atletas perfilados para a largada.
.
.


Chegando para completar a prova como campeão geral com o tempo de 35 minutos e 10 segundos para os 9,6 quilômetros do percurso.Já comentei outras vezes que preciso contar o número de vezes que venci no geral. Ainda vou ficar devendo desta vez. Não tive tempo de contar. rsrss
.
.


Pódio da categoria 40/49 anos.
Pódio número 53 na faixa etária e 79 no total.

.
.


Pódio geral.
2º Tite, 1º eu, 3º Carvalho.
Pódio número 27 no geral e 80 no total.

.
.


Acima a chegada do ubiratanense 'Juninho' e abaixo ele no pódio da categoria 30/39 anos.
.
.


O Juninho e eu após o pódio.
.

.


As medalhas.
A segunda dá pra perceber que foi sobra de outras etapas, pois tem uma mancha de tinta preta bem no local que indicava a etapa. rs

.
.


O numeral confeccionado com tecido tnt.
.
.


Vídeo com a chegada dos 13 atletas da prova masculina.
Lembrando que a prova feminina foi apenas uma volta. Ou seja, 4,8km.






Agradecimentos:
A Deus em primeiro lugar pelo dom da saúde.
A Academia Boa Forma pelo trabalho de fortalecimento.
Ao Júlio César pela carona.
A minha esposa Cileide que torce por mim e me acompanha sempre que dá.
E a todos os amigos e inimigos que torcem, ou deixam de torcer por mim. Que Deus lhes permitam muita paz, saúde e sucesso...


#tuttamaratonista