segunda-feira, 24 de janeiro de 2022

Corrida Nº 208 - Corrida Cidade das Flores - Corbélia-PR (05dez2021)


... Postagem atrasada ...

"A vitória está sempre ao redor daqueles que não param de lutar."



Mesmo não estar preparado para provas curtas, no dia 5 de dezembro fui para Corbélia participar de mais uma corrida na Cidade das Flores. E como eu não tinha pretensões de bons resultados e nem me importava se conquistaria pódio, ou não. Resolvi ir de bicicleta um dia antes.



Segue os dados gerais da prova:

Prova número: 208
Nome da prova: Corrida de Rua Cidade das Flores
Cidade: Corbélia-PR
Data: Domingo, dia 5 de dezembro de 2021
Distância: 5,8kms
Tempo: 21min36seg
Média por quilômetro: 3min43seg
Colocação geral: 10º lugar
Atletas no geral: 128 corredores
Colocação na categoria por faixa etária dos 40 aos 44 anos: 1º lugar
Atletas na categoria: 10 atletas
Número de pódios fora de Ubiratã: 108 pódios
Pódios por classificação geral: 41 pódios
Pódios na fixa etária: 63 pódios
Pódios em equipes e/ou duplas: 4 pódios
Número de peito: 068


Não visando performance nem tão pouco um bom resultado na corrida de Corbélia, já que eu vinha de uma maratona (Rio de Janeiro no dia 15 de novembro) e estava indo para outra (Sorocaba dia 12 de dezembro) resolvi ir pedalando para a Cidade das Flores no sábado a tarde. Véspera da prova. Pedalei pouco mais de 56kms e fiquei hospedado na cada do Tite onde ele preparou um churrasco para a minha chegada.

No domingo, dia 5 de dezembro por volta das 07:00h da manhã nos encaminhamos para o ginásio de esportes pegar o nosso numeral e onde seria o local de largada, chegada e premiação da corrida.

As 8 horas em ponto foi dada a largada e saí num ritmo até abaixo do esperado. Passei a marca do primeiro quilômetro abaixo de 3min30seg e o ritmo foi caindo aos poucos no decorrer da prova que tinha um percurso aproximado de 6kms. Um percurso excelente, com quase zero de subida. Porém senti falta da 'tradicional' subida final que havia em edição anteriores onde a gente passava em frente ao pórtico de largada e chegada com 5kms e corríamos 500 metros descendo e ao fazer o retorno subíamos estes mesmo 500 metros para fechar a prova. Mas, enfim... A prova foi perfeita e ao final muita fruta e até sorvete foi dado aos atletas.

Fechei os 5,8kms marcados pelo meu Strava com o tempo de 21min36seg obtendo a 10ª colocação na classificação geral e vencendo a minha categoria por faixa etária dos 40 aos 44 anos.

E sem muitos detalhes assim foi a minha participação na 5ª Corrida Cidade das Flores em Corbélia no último dia 5 de dezembro de 2021.

Nem preciso contar que voltei pedalando para Ubiratã após um delicioso almoço na casa do Tite, né? rsrs

Minha ida para Corbélia.



Segue abaixo algumas fotos:


No churrasco na casa do Tite.
.
.

Antes da largada.
.
.

Pouco antes da largada.
.
.

Largada.
.
.

Após a largada.
.
.

Depois da prova com a amiga de Cascavel, Lúcia Quadri campeã da sua categoria.
.
.

A medalha da Corrida das Flores.
.
.
Campeão da categoria 40/44 com a Bandeira da minha cidade.
.
.

O Troféu.
.
.

O certificado de conclusão da prova.
.
.

Os 10 primeiros colocados na prova masculina.
.
.

O número, medalha e troféu da prova junto com a bandeira de Ubiratã.
.
.

Meu pedal de volta.
.
.



Agradecimentos:
Primeiramente a Deus pelo dom da saúde e ao Tite e família por terem em recebido tão bem na casa deles.

domingo, 26 de dezembro de 2021

Corrida Nº 207 - Maratona Internacional do Rio de Janeiro (15nov2021)

... Postagem atrasada ...


Sem uma preparação adequada nos últimos 45 dias para encarar uma maratona, mesmo assim eu fui me desafiar na Maratona Internacional do Rio de Janeiro e o resultado não poderia ser diferente, se não o pior dentre as minhas 21 maratonas oficiais completadas.

.

"A corrida nem sempre é para o mais rápido. Mas sim, para aquele que continua correndo ..."!
Ou andando. kkkkk



Segue os dados gerais da prova:

Prova número: 207
Nome da prova: Maratona Internacional do Rio de Janeiro
Cidade: Rio de Janeiro-RJ
Data: Segunda-feira, 15 de Novembro de 2021
Distância: 42,2kms
Tempo: 3h57min28seg
Média por quilômetro: 5min36seg
Colocação geral: 630º lugar
Atletas no geral: 1.545 corredores
Colocação na faixa etária 40/44 anos: 169º lugar
Atletas na faixa etária: 357 corredores
Número de peito: 1935


Fiz excelentes treinos no mês de setembro e completei dentro do previsto a Meia Maratona Univel em Cascavel no dia 10 de outubro. Mas, não dei  uma sequência legal no treinamento após essa prova. Rodei apenas 100kms no mês de outubro e no início de novembro peguei um resfriado e fiz apenas dois treinos leves de 12kms.

Pedalei bastante nesse período (outubro/novembro). Mas, não foi o suficiente para fazer uma boa "reestreia" em maratonas oficiais depois de praticamente dois anos sem correr essa distância em uma prova oficial e presencial por conta da maldita pandemia do covid-19.
É claro que, as quase 23 horas de viagem também pesaram um pouco.
Outro erro foi o de ter saído mais forte do que o pretendido.

Mas, vamos do início...

Saí de Ubiratã com destino ao Rio de Janeiro na sexta-feira dia 12 de novembro de 2021 às 19 horas.
Com problemas no ônibus, durante as primeiras horas de viagem tivemos que parar e trocar de condução em Londrina.
Menos mal, pois este segundo ônibus era bem mais confortável do que o primeiro.
Mas, a viagem foi longa demais. O ônibus passava em muitas cidades e deve ter dado mais de 1.500kms percorridos.

Cheguei na rodoviária Novo Rio no Rio de Janeiro somente às 17:30h do dia 13. Ou seja, 22 horas e 30 minutos de viagem.
Muito cansativo. 

Me encaminhei direto para um hotel bem simples onde dormi até quase às 10 da noite. Nem jantei naquele dia. Apenas comi alguma coisa que havia levado de casa. Tomei banho e voltei a dormir e só acordei às 08:30h do dia 14. Domingo.

Tomei o meu café, fiz check'out no hotel. Assisti uma missa na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro e me encaminhei para a Marina da Glória retirar o meu kit.
.

Já após a Missa na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro.


Com o kit em mãos, segui para o hotel Vitória, que ficaria mais perto da largada e chegada da prova no dia seguinte, e após fazer o check-in às 13 horas fui almoçar e retornei ao hotel para descansar mais um pouco. 

Estava até com planos de assistir Fluminense e Palmeiras no Maracanã pelo Brasileirão. Mas, acabei mudando de ideia e passei parte da tarde e início de noite com alguns amigos Baleias.


Eu, Carlos Bento, Shriley, Izabel, João, José Maia e Tinil.

Retornei ao hotel por volta das 21 horas e cerca de uma hora depois fui dormir, pois precisava acordar às 4. Porque as largadas começariam às 5 da manhã. No entanto, o meu setor, que foi o amarelo, largou às 5:20h.


Acordei bem cedo e cheguei no local da largada bem antes das 5 da manhã
Na ida encontrei com o Tinil e fomos conversando e antes da largada ainda encontramos com o Júlio Cordeiro e pouco depois adentrei ao meu setor e antes de de iniciar a prova ainda reencontrei o Carlos Bento com a Shirley e em seguida com o Maia e pouco depois foi dada a largada da onda amarela.


Com o Tinil (3h30'00) e Júlio Cordeiro (4h29'39).
Ambos com mais de 100 maratonas cada um.
.
.

Me encaminhando para o setor de largada.
.
.

Já dentro do setor amarelo aguardando a largada.


Larguei num ritmo bem tranquilo, pois eu não havia feito treinos adequados nos últimos 45 dias.
No entanto, por volta do quilômetro 5 emparelhou comigo um atleta de Sete Lagoas-MG e me perguntou pra quanto eu queria fechar a prova. Disse que o objetivo era 3h30 e ele me disse que então eu estava muito modesto, pois ele queria fechar com 2h59 e vinha mantendo o ritmo que daria o sub-3h.

Até respondi que então eu precisaria diminuir. Mas, não diminui. Não vinha fazendo esforço algum para manter o ritmo entre 4'10 e 4'15 que estávamos correndo. E fui seguindo com ele.

Em determinado momento ele me disse que se não conseguisse fazer com 3 horas era pra mim puxar ele. Mas, r
espondi dizendo que eu não havia treinado para o sub-3h e que mais cedo ou mais tarde eu teria que diminuir o ritmo.


Com o atleta de Sete Lagoas-MG, Álvaro Carvalho, que fazia a sua estreia em maratonas e graças a Deus conseguiu o seu objetivo de fechar sub-3 (2h55'42). Parabéns.

Mas, demorou um pouco para que eu pudesse me dar conta que aquele ritmo forte poderia me prejudicar lá no final. E após o km 24 eu disse para ele seguir porque eu precisava diminuir, pois eu já vinha fazendo algum esforço para manter o ritmo.
Desejei boa prova pra ele, ele retribuiu e seguiu.

Logo fizemos o retorno lá no Leblon e ele já havia aberto uns 400 metros de distância.
Todo o meu retorno foi meio sofrido.
O ritmo caiu drasticamente.
Vinha rodando próximo aos 5 minutos por quilômetro e logo precisei dar uma caminhada de uns 100 metros e depois começou a ser constante até que cheguei no km 34 e o corpo não conseguia mais manter-se correndo. 
Tinha fôlego. Faltavam pernas.
Estavam muito doloridas. E qualquer movimento mais forçado queria dar câimbras.
O jeito então era caminhar e logo muitos corredores começaram a me passar.
Alguns até me incentivavam a voltar a correr. Mas, eu não estava em condições e dizia que não dava.
E não dava mesmo. rsrs

Até tentei dar um trotezinho na saída de um túnel quando avistei um fotógrafo fazendo fotos e queria sair, menos 'feio' na foto.
Mas, mal dei dois passos e deu câimbras no pé esquerdo. E ficou meio torto por uns 5 minutos. Kkkkk 
Não conseguia ter forças para endireitá-lo. E tive que caminhar com ele meio "aberto pra fora" até amenizar a câimbra.

Depois disso nem fiz mais movimento de corrida e segui caminhando mesmo.
Só fui "ensaiar' um trote faltando uns 400 metros para o final e só fiz isso de tanto o público incentivar e para não passar a linha de chegada caminhando. rsrs
 Porém, o ritmo de corrida era tão lento quanto uma caminhada.

E assim cruzei a linha de chegada da minha 21ª maratona oficial com o pior tempo dentre todas 3h57'28.
Mas, satisfeito por poder ter voltado a completar uma maratona presencial depois de praticamente 2 anos devido à pandemia.

No entanto, durante a pandemia eu fiz alguns treinos de 42kms (6 ou 7) uma maratona virtual, além de alguns treinos de 50, 51, 52, 53 e 62kms.

Mas, enfim. Cada momento é um momento e foi isso que deu para fazer no Rio de Janeiro naquele dia 15 de novembro de 2021.

Após completada a prova, peguei minha medalha e o lanche (duas bananas, duas maçãs, uma barra de cereal e um Gatorade) e fui descansar. Mas, logo precisei dar uma "corridinha" no ambulatório médico devido a umas tonturas, náuseas e um pouco de calafrio devido a queda da temperatura. Por sorte foi só um pequeno susto e não agravou. Pois, se agradasse eu estaria perdido, pois achei o atendimento muito lento e fraco. Mas, enfim... nem vou me alongar muito nisso e depois do susto fui para beira da praia ver os aviões pousaram e decolarem do aeroporto Santos Dumont e após, já bem melhor, segui para hotel e sem ânimo e condições físicas para tomar um banho, me deitei daquela forma mesmo na cama e somente lá pelas 13 horas e que consegui coragem para me levantar e ir tomar o banho.

Saí para almoçar depois disso e após o almoço fui encontrar os Baleias que ainda estavam no Rio
 e mais tarde nos despedimos e cada um tomou o seu rumo.

Eu voltaria para casa somente no dia seguinte onde aproveitei e fiz uma caminhada até o aeroporto, Museu do Amanhã e na praia próxima a Marina da Glória.

Voltei para o hotel às 11 horas, fiz check'out, almocei e me encaminhei para a rodoviária Novo Rio e embarquei às 13 horas para Cascavel onde cheguei às 13:40h de quarta-feira. Ou seja, quase 24 horas de viagem.

Em Cascavel, aproveitei para pegar o meu passaporte na Polícia Federal e ao retornar à rodoviária encontrei com o amigo Tite de Corbélia que estava comprando a sua passagem para a São Silvestre e voltei com ele até Corbélia e à
s 18 horas embarquei em definitivo para Ubiratã onde cheguei às 19:30h.

E assim se foi mais uma corrida na vida deste atleta amador que vos escreve.


Segue abaixo algumas fotos.

.

Meu numeral.
.
.

No hotel.
Momentos antes de me encaminhar para o local da largada.
.
.

Próximo ao Museu do Amanhã.
.
.

Passando ao lado do Museu do Amanhã.
.
.

No início tudo vai bem.
.
.

Aqui já estava começando a sofrer para manter o ritmo.
.
.

Em certos momentos parecia estar bem. Mas, ...
.
.

Após o retorno fiquei sozinho e daqui pra frente foi só sofrimento.
.
.

Sol, calor e hidratação só com água não dá.
.
.

A quebra é inevitável.
É claro que a péssima preparação também ajuda nestes casos de quebra. rsrs
.
.

E do km 34 em diante foi assim ...
.
.

A linha de chegada parece não chegar nunca.
.
.

E depois de quase 4 horas de sofrimento, enfim o momento de glória.
.
.

Tempo oficial líquido da minha 21ª maratona oficial: 3h57'28.
Colocação geral: 630 de 1.545 concluintes.
Faixa etária 40/44 colocação: 169 de 357 concluintes.
.
.

Após a prova.
.
.

A medalha mais sofrida.
.
.

Durante a parte final da maratona ainda reencontrei um dos Baleias que não via a muito tempo.
Marcelinho. Ele completou a maratona com 3h37'47. E isso depois de ter feito a meia maratona no dia anterior.
.
.

.
.
.
.
.
.
No Aeroporto Santos Dumont.
.

Igreja da Candelária.
.

Praia próxima à marina da Glória.
.

Os 10 primeiros colocado no geral masculino nos 42kms.
.
.

Minha colocação.
.
.

Certificado de conclusão da prova.
.

Agradecimentos:

Primeiramente sempre a Deus pelo dom da saúde e por me proporcionar  momentos únicos em cada competição que participo.
Agradecimento também às varias pessoas que seguem o meu canal de loterias no YouTube (Canal Pé Frio Loterias) por terem contribuído para que eu pudesse estar presente nesta prova.



Despesas:

Inscrição: R$ 189,90
Passagens: R$ 517,60
Hotel: R$182,00
Transporte: R$ 75,00
Alimentação: R$ 165,00
Outros: R$ 10,00

Total: R$ 1.139,50


Tutta Maratonista ...