quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Corrida Nº 7 - XII Jogos Abertos do Município de Ubiratã (JAMU'S) - (1 e 2dez2003)

Data: Segunda e terça-feira, 1º e 2 de dezembro de 2003
Cidade: Ubiratã-Paraná
Nome da Prova: XII Jogos Abertos do Município de Ubiratã (JAMU’s)
Distância: 400 metros rasos
Tempo: 00min57seg
Número de Atletas: 12 corredores
Colocação: 3º lugar geral
Equipe: L & F Auto Center


Voltando a minha retrospectiva, vou contar hoje como foi a minha participação nos 400 metros rasos dos Jogos Abertos do Município de Ubiratã (JAMU’s 2003).

A prova de 800m foi a primeira a ser disputada e já relatei no post 11.
Neste post 14 vou falar da segunda prova daqueles jogos: (os 400 metros rasos), a minha 7ª na carreira.

A prova teve duas baterias, com 6 atletas cada uma.
Eu corri na primeira bateria e pelo sorteio ocupei a raia de número 2.
E como todo mundo sabe, em provas de 400 metros rasos o atleta que largar em uma determinada raia, tem que permanecer nela até o final.
Mas teve um certo “atleta” que largou na raia 3, e assim que chegou na marca dos 200 metros, ele pulou diretamente para a raia 1.
Logicamente diminuindo alguns metros e conseqüentemente ganhando vantagem sobre os demais atletas. Inclusive de mim.

Quando completamos os 300 metros e restando apenas mais 100 para o final, ele estava em primeiro e eu em segundo.
Dei o máximo de mim para tentar alcançá-lo, mas não deu.
Fechei a prova com 00min58seg em segundo lugar.
Poucos centímetros atrás dele. (Não me recordo o nome do Dito Cujo).

Reclamei com os juízes, alegando que ele tinha cortado duas raias, mas eles disseram que não viram e não fizeram nada a respeito.
Mesmo com reclamações de outros atletas que foram prejudicados com aquele ato, os juízes disseram que era só a fase de classificação e que o que valeria mesmo seria a final no dia seguinte.Ou seja, fizeram pouco caso do ocorrido e não se importaram nem um pouco para quem perdeu uma vaga na final por conta do miserável que se dizia atleta.

Mas para mim naquele momento eu não tava nem aí se era fase de classificação ou não, eu queria era a vitória e consequentemente a desclassificação do corredor.
Pois, ali havia uma pessoa muito especial pra mim, (além de minha mãe é claro), que estava me assistindo e aquela vitória seria muito; mais muito especial sim.
Mas fazer o que, né?
Os juizes mesmo certos ou errados são eles quem mandam, então tive que me contentar mesmo com o segundo lugar na fase de classificação.

Mas até que valeu a pena, pois ela (aquela pessoa importante que citei a pouco), sabia que fui “roubado”, e me parabenizou muito pelo feito alcançado. E pouco tempo depois começamos a namorar, coisa que não deveria vir ao caso agora, né? Mas como já comecei vou completar. rsrs

Namoramos por dois anos e nos separamos, e esta separação veio no mesmo dia em comemoraríamos estes dois anos. Me deixando todo entristecido.
Mas, três meses depois voltamos a namorar novamente, porém, três meses depois nos separamos outra vez, e depois disso não mais voltamos.Infelizmente (eu fui do céu ao inferno em pouco tempo). hehe
Mas, como dizem por aí, que têm males que vem para bem.

Depois do término deste namoro com aquela pessoa "importante" chamada Fernanda, foi que eu comecei a me dedicar com mais dedicação aos treinos, justamente para sair um pouco da depressão em que estava e até já consegui resultados bem expressivos, como um 17º lugar na classificação geral da Maratona das Águas em Foz do Iguaçu em setembro/2008, com 2h39min50seg e 3º na faixa etária 30/34 anos.

Também em Foz do Iguaçu fui o 4º colocado na Meia Maratona das Cataratas em julho/2008 com 1h15min23seg e 1º na faixa etária de 30 a 34 anos, além de outros resultados também expressivos, no meu modo de ver, devido às dificuldades que eu encontro para treinar, devido ao trabalho e ao pouco apoio que tenho da Secretária Municipal de Esportes de Ubiratã.
Mais detalhes destes feitos vocês verão em breve relatados aqui neste blog.

Mas voltando ao relato da prova dos 400 metros rasos.
Já de imediato exigi um juiz naquele setor da prova para a final do dia seguinte.

E no dia seguinte, o dia da final, dia 2 de dezembro de 2003, assim que fomos chamados para entrar na pista para disputar a grande final dos 400 metros rasos, a primeira coisa que fiz, foi falar para os juízes que eu queria um juiz na marca dos 200 metros.
Não só fui atendido, como também houve juízes na marca dos 100 e dos 300 metros.
Além da chegada, é claro.

Pelo sorteio das raias, eu peguei o número quatro, ou seja, raia de número quatro.

Dada a largada, todos saímos numa disparada só.
Ao final da prova, Jacó foi o primeiro, o Professor Sebastião foi o segundo e eu fiquei com o terceiro lugar com o tempo de 00min57seg.


Minha 3ª medalha, frente e verso
.
.
.
O tal “atleta” que havia cortado aquelas duas raias no dia anterior na fase de classificação e conseguido a vaga para esta final, correu na última raia (raia 6) e por ironia do destino talvez, acabou sendo o sexto e último colocado da disputa.


Notas:
1 –
Jacó e Professor Sebastião fizeram a prova com 00min56seg, com Jacó chegando com poucos centésimos à frente.
.
2 - Correr é maravilhoso, estar do lado de quem a gente ama concerteza também.
Hoje não sei dizer se me sentiria mais feliz correndo ou namorando com a Fernanda.
Só sei que se eu estivesse com ela ainda, talvéz eu nem estivesse mais correndo. Pois estar ao lado dela era mais que maravilhoso. Era como se eu estivesse no céu. Nos braços de Deus.

Mas, se há uma coisa muito importante e especial hoje, é que eu me apaixonei pelas corridas de tal maneira que é muito difício eu ficar sem correr. Posso ficar, um dia, uma semana ou um mês sem correr. Mais eu sempre volto, pois não me vejo sem a corrida.

Eu procuro sempre valorizar o tempo PRESENTE, e como no tempo presente eu corro, tenho que dizer que: Eu AMO Correr.
Se eu estivesse com "ela", eu a amaria como nunca ninguém amou alguém nesta vida.
.
3 - Sinto muita falta dela, não sei se tem alguma coisa à haver, mas ando muito desanimado para os treinos.
Mas prometo não parar. Pelo menos não por enquanto. hehe
.
4 - Após o término do namoro com a Fernanda em maio de 2007 decidi treinar para correr a São Silvestre no final daquele ano. Quando voltamos em agosto, ela queria que eu não fosse correr em São Paulo, mas disse a ela que eu já havia feito o compromisso comigo antes de voltarmos e que já tinha pago a inscrição. Daí ela aceitou que eu fosse, mas em novembro, foi quando nos separamos definitivamente. Ainda bem que eu não desisti da São Silvestre. Tá certo que no dia da prova me senti mal e fiz o pior tempo da minha vida na distância dos 15km, (1h07min44seg), mas valeu pela participação. Pois eu sei que a corrida é a única que nunca vai me abandonar.
.
5 – Peço desculpas a todos que estão terminando de ler este post, pois desviei do tema do blog para contar da minha vida pessoal.
Mas eu tinha que fazer isso. Pois foi atravéz do início, ou do término deste namoro, sei lá, que eu tomei mais forças para continuar e acreditar no ATLETISMO.
Espero contar com a compreensão de todos.
Obrigado.


Bom, é isso pessoal.
Abraços e ótimos kms a todos.


...tuttA...
ubiratã-Pr.
http://www.correndocorridas.blogspot.com/

4 comentários:

Carlos Lopes disse...

Olha, é o seguinte: tá rolando uma premiação pela blogosfera, e meu blog foi indicado, e eu resolvi indicar você!

Luciane disse...

Olha...essa coisa de terminar relacionamento é sempre muito motivador para entrarmos d ecabeça em alguma coisa de maneira confiante bem mais forte. Acho que tu tá no caminho...Quanto aos resultados... TOTALMENTE EXCELENTE! rs

abraços e ótimos treinos

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
-o--oO--(_)--Ooo-
Muito boa a sua restropectiva amigo Tutta e parabéns por mais esta bela prova, belo tempo em camarada nos 400 mts, que foi sacanagem desse atleta ter pulado a raia foi, será que os juízes não era parente desse atleta. E ainda bem que vc não tinha desistido da S.Silvestre senão depois iria te bater um remorso danado amigo...rsss...
Mais valeu por mais esta bela e fantástica história.

Já lhe disse em quanto ao desânimo, de uma pernada nela e levanta a cabeça camarada.

Bons treinos,

JORGE CERQUEIRA
www.jmaratona.blogspot.com

Grazzi! disse...

Oi Tuta, obrigada por compartilhar conosco um pouco da sua vida!
Parabéns pela força de vontade!