domingo, 25 de janeiro de 2009

Corrida Nº 4 - XI Jogos Abertos do Município de Ubiratã (JAMU'S) - (21nov2001)



Data: Quarta-feira, 21 de novembro de 2001
Cidade: Ubiratã-Paraná
Nome da Prova: XI Jogos Abertos do Município de Ubiratã (JAMU’s)
Percurso: 3km
Tempo: 10min18seg
Número de Atletas: 8 corredores
Colocação: 2º lugar geral
Equipe: Jardim São Paulo



Post número 7

Todos os anos na cidade de Ubiratã são realizadas atividades esportivas para comemorar o aniversário do município (04/11).
Às vezes estes jogos são realizados antes, ou após este dia. Mas sempre são realizados.
E um detalhe, como os jogos são municipais, os atletas participantes só podem ser atletas que residam no município.

Os jogos são intitulados como: JOGOS ABERTOS DO MUNICÍPIO DE UBIRATÃ (JAMU’s) ou simplesmente, JOGOS ABERTOS MUNICIPAIS.


Proprietários de comércios ou representantes de bairros que tem o interesse de participar destes jogos podem formar equipes para representarem seus estabelecimentos ou suas localidades.
Neste ano de 2001, meu amigo Ricardo se inscreveu para correr na equipe do bairro do JARDIM SÃO PAULO, e me inscreveu também. Mas, faltou um detalhe.
Ele não me informou quando seriam realizadas as provas.
A única coisa que eu sabia é que seriam realizadas na pista de atletismo do Estádio Municipal Claudinão durante o período da noite.

No dia; ou melhor; na noite do dia 21 de novembro, vi que as luzes do estádio estavam acessas, mas não suspeitei de nada, achei que seria apenas um jogo de futebol, pois eu nem sabia quando começariam os jogos.
Mas como sou meio curioso, fui lá para ver o que era. E ao chegar, vi que as provas estavam sendo realizadas naquele momento, mas que já estavam quase no seu final.
Logo que cheguei, o Ricardo me viu e veio ao meu encontro perguntando se eu queria correr os 3 mil metros, (a prova final), porque ele já estava cansado devido há várias provas que havia disputado até aquele momento.
Eu disse a ele que não treinava a mais de duas semanas. (E não treinava mesmo. Pois, aquela nossa equipe de atletismo, todos pararam de correr. Uns por não terem muito apoio e outros por não terem muito tempo para os treinos.)
O Ricardo me disse que não tinha problema, e que eu podia correr sem preocupação com o resultado. E também porque era obrigatório cada equipe ter pelo menos um atleta em cada prova, pois senão poderia ser punida e perder pontos.

A prova seria dentro de 20 minutos.
Foi o suficiente para voltar à minha casa que fica a algumas quadras dali, pegar o par de tênis, um relógio cronômetro e retornar rapinho, fazer alguns segundos de aquecimento e alongamento orientados por ele e correr para a largada.

A prova contou com a participação de apenas oito atletas.

Como eu estava sem treinar, procurei ir mais na cautela, (mas sem deixar os primeiros colocados se distanciarem muito), pois seriam 7 voltas e meia na pista dentro do estádio, totalizando os 3 mil metros.
Larguei entre os últimos, e fui passando os demais atletas no decorrer das voltas.
Na terceira volta eu já estava ocupando a terceira colocação, e assim foi até poucos metros antes da curva final.
Até aquele momento o Cezar liderava, seguido pelo Prof. Sebastião e eu estava literalmente colado atrás dos dois.

Daí, achando que eu tinha pernas o suficiente para ultrapassá-los e me manter firme na frente e vencer a prova naqueles 100 metros finais, já fui fazendo a curva final ultrapassando os dois.
Quando eu saí para ultrapassar, eu também saí da raia 1 e fui para a raia 2. (As raias da pista de atletismo aqui no Estádio Municipal de Ubiratã são de pedrisco. Um tipo de pedra bem fina.)E daí como todos sempre correm na raia 1, ela fica bastante firme, enquanto as demais raias ficam com as pedrinhas bastante soltas, meio “fofas”, digamos assim.

Como eu estava na frente naquele momento eu só conseguia pensar na linha de chegada, em vencer a prova, nem passou pela minha cabeça em retornar para a raia 1, no solo mais firme, pois assim dificultaria uma possível ultrapassagem de alguém, porque ele teria que me ultrapassar por fora, ou seja, pelas pedras soltas, além de se desviar de mim.

E continuei ali.

Acho que abri uns 10 metros de distância dos dois que disputavam a vitória até a curva final. Mas, faltando uns 50 metros mais ou menos para a linha de chegada, as minhas pernas parecem que não tinham mais forças o suficiente para me manter naquele ritmo alucinante que eu havia imposto metros atrás.
Parece que a linha de chegada ao invés de se aproximar, ela se distanciava cada vez mais de mim.

A preocupação bateu pois, dali em diante, a cada passada que eu dava eu olhava para trás e só via o professor se aproximando, e aquela “tal” linha de chegada CADÊ???.rsrsrs
De repente só vi um vulto passando igual uma flecha por mim.
Era o “danado” do Prof. Sebastião. rsrs
Faltava apenas uns 10 ou 15 metros e eu não consegui segurar a liderança, mesmo depois de ter aberto boa vantagem.
Resultado: Perdi a chance de vencer pela primeira vez uma corrida.

Cheguei com 10min18seg, em segundo lugar.
O professor chegou um segundo antes (10:17).
Todos que estavam na arquibancada assistindo me disseram depois que eu havia aberto uma distancia enorme dele e achavam que ele não tinha mais condições de me ultrapassar. Mas infelizmente me ultrapassou. rsrs

O Cezar que liderou a prova por várias voltas acabou sendo o terceiro, ficando bem para trás do professor e de mim. Ele não conseguiu impor um bom sprint final.

Muitas pessoas ainda me disseram que eu dei aquele sprint final antes da hora.
E o pior que foi mesmo.
Comecei antes do tempo e conseqüentemente também cansei antes.
Fiquei remoendo aquela “derrota” por um bom tempo.
Aliás, acho que não conseguir esquecê-la ainda. rsrs
Eu estava tão perto de uma primeira vitória mas deixei escapar por entre os dedos.
Ou por entre as pernas, sei lá.rsrsrsrs

Mas o “troco”, no bom sentido é claro, no Prof. Sebastião, veio nas provas nos anos seguintes, que serão postadas e comentadas aqui em breve.

Obs: Não foi tirado fotos nesta prova.

Notas:1 - Muitas pessoas depois me perguntaram se eu deixei o professor vencer a prova, pois por ele ter disputado mais provas pensaram que ele tinha mais pontos e assim eu teria o ajudado a conquistar melhor resultado.
Eu disse que não, pois nós não fazíamos parte da mesma equipe.
E mesmo que fizéssemos, se eu tivesse condições de vencer, eu venceria, independentemente do que poderia acontecer.

2 - A equipe do JARDIM SÃO PAULO foi à campeã geral dos jogos.
Houve uma grande festa de confraternização para os atletas que há representaram.
Recebi o meu simples troféu dado pela Secretária de Esportes neste dia e fui bastante aplaudido.
.

Meu primeiro trófeu.
É bem simples, mas é uma lembrança bem gratificante, pois das quatro provas já disputadas até essa data (21/11/2001), este é o primeiro "prêmio" que recebo como atleta, (amador é claro) mas com muito orgulho de ser o que sou.


3 – Os Jogos Abertos do Município de Ubiratã compreendem inúmeras modalidades de esportes, não só atletismo.


Abraço a todos!



...tuttA...
ubiratã-Pr.

http://www.correndocorridas.blogspot.com.br

3 comentários:

Jorge disse...

Grande camarada Tutta realmente é emocionante vir aqui e ler seus relato de suas provas, que legal uma corrida diferente em que só pode participar os moradores da cidade é isso ae amigo, lhe desejo que muitos pódios virão. Parabéns, lindo o troféu hein. Continue nesta força e nada de desânimo hein. DESISTIR JAMAIS CAMARADA.

Boas passadas,

JORGE CERQUEIRA

Carlos Lopes disse...

parabens pela prova e relato. fiz o add deste blog ao meu.

...tuttA... disse...

Muito obrigado Jorge.
Pode ficar tranqüilo, eu posso diminuir o ritmo, mas desistir é uma palavra que não existe no meu dicionário.
Valeu pela força.

Agradeço também ao Carlos Lopes por ter me add ao seu blog.
Também irei add o seu blog, ok?
Abraços...


...tuttA...
ubiratã-Pr.
www.correndocorridas.blogspot.com