sábado, 3 de outubro de 2009

Corrida Número 51 - 3ª Maratona Internacional de Foz do Iguaçú

Data: Domingo, 27 de setembro de 2009

Cidade: Foz do Iguaçú-Pr

Nome da Prova: 3ª Maratona Internacional de Foz do Iguaçú

Distância: 42.195 metros

Tempo: 3hs39min20seg

Média km: 5min11seg
Atletas Concluintes na Categoria Masculina: 294
Colocação Geral: 89º lugar

Atletas Concluintes na faixa-etária 30/34 anos: 25

Colocação na faixa-etária: 12º lugar



No último domingo (27/09) aconteceu a 3ª Maratona Internacional de Foz de Iguaçu (antiga Maratona das Águas).

A prova contou com quase 600 atletas entre elites, amadores, cadeirantes e atletas portadores de necessidades especiais que vieram de diversos estados brasileiros e também de outros países.

E eu, Tutta, estive por lá pelo segundo ano consecultivo e completei a minha terceira maratona no currículo.

Vou tentar contar abaixo como foi a prova, mas aviso que o texto ficou bastante extenso, mas lhes garanto também que será mais rápido ler ele todo do que correr uma maratona.rsrsrs

Acompanhe.



O DIA ANTERIOR (26/09/09)


Foi uma correria danada.

Acordei as 8h30, almocei as 10h00 e as 11h00 embarquei para Foz.

Cheguei lá por volta das 15h30 e fui retirar meu kit nas dependências do SESC.

Mas o mesmo só seria entregue depois do Congresso Técnico onde podemos assistir a um vídeo da edição passada (2008) da até então Maratona Internacional das Águas e depois ouvimos várias autoridades responsáveis pela prova dando suas informações que seriam fundamentais para o bom andamento da prova no dia seguinte.

Vanderlei Cordeiro de Lima, que foi padrinho da maratona a exemplo da primeira edição em 2007, deu suas dicas e que foram concerteza mais que valiosas para todos os atletas ali presentes.

Ao final do congresso técnico retirei o kit composto pelo chip, camiseta alusiva ao envento (muito simples diga-se de passagem), quatro alfinetes para prender o número e uma bolsa.


A camiseta frente e costas simplesinha de tudo


Na seqüência iria tentar encontrar um dos hotéis conveniados com a prova, já que eu ainda não havia feito reserva antes justamente porque não sabia qual hotel seria mais fácil para o translado até a largada no dia da prova.

Haveria um jantar de massas ali mesmo no SESC para quem havia optado no ato da inscrição em participar do mesmo e pagando uma taxa de apenas 11,00 reais.

Eu não optei, mas me arrependi, pois paguei um absurdo de jantar num restaurante indicado pelo dono do hotel em que fiquei hospedado.

A minha não participação ao jantar de massas da maratona se deu por causa do jantar da meia acontecido em julho, quando na ocasião não havia lugares o suficiente para se sentar, a comida estava fria e o espaço em relação a 2007 havia reduzido pela metade.

Mas, eu havia esquecido um detalhe, na maratona a realização seria do SESC e nas provas realizadas por esta entidade, as provas e os atendimentos são impecáveis.

Mas tudo bem, agora é tarde para lamentações.

Depois de retirado o meu kit resolvo ir a pé até a rodoviária, para tomar um táxi que me levasse até os hotéis conveniados.

Mas no meio do caminho percebo que não havia visto o meu número de peito.

Retiro tudo da bolsa e não o vejo.

Retorno ao SESC novamente e antes de entrar pergunto a um atleta que vinha saído se veio o número dele.

Daí ele me diz, ta dentro do envelope do chip.

Aí é que foi cair a ficha.

E quando vou olhar, não é que o danado estava lá dentro mesmo.rsrsrs


Aí está ele: Meu Número tão procurado.hehe


Agradeço a ele e vou para o ponto esperar um ônibus ou um táxi, pois voltar para a rodoviária a pé não dava mais porque já estava escurecendo.

Na espera no ponto de ônibus aparece um rapaz (senão me engano ele é o presidente da Acorrefoz) e me pergunta para onde eu iria.

Disse que ainda não sabia.

E nisso ele respondeu que na parte de cima do SESC haveria ônibus para encaminhar os atletas até os hotéis conveniados (coisa que não foi dita no congresso técnico).

Aliás, durante o congresso foi dito que qualquer pessoa com o colete da organização saberia informar sobre isso. Perguntei para umas 3 ou 4 pessoas e ninguém sabia nada. E quando encontrei uma pessoa que sabia dizer a respeito dos hotéis ela simplesmente me disse: - Ta ali no mural.

Mural???

Onde???

Havia apenas um impresso numa folha de sufite de uns 20 centímetros quadrado com apenas o nome de uns 5 ou 6 hotéis.

Nem telefone e endereço tinha.

A única falha da organização a meu ponto de ver foi esta.

Pois no ano passado recebemos um panfleto com a localização exata e com mapa de cada hotel.

Mas, tudo bem.


Subi umas escadas indicado pelo rapaz que havia me avisado dos ônibus e entrei num deles que me levou até o Hotel Três Fronteiras, mas como eu não tinha feito reserva eles não me aceitaram, mas me indicaram o Hotel Maviere, (ao lado).

Paguei 60,00 reais para passar a noite e mais 4,00 reais por utilizar os servisos do hotel.

E como não havia jantar pedi uma indicação e me indicaram um restaurante de gente rica.

Resultado: 40,00 reais por um simples jantar.

Taí aí o motivo do arrependimento pela não participação do jantar de massas.rsrsrs

O jantar foi bom, não tenho que reclamar, apenas o preço é que foi bastante salgado.

Retornei ao hotel, coloquei o chip no tênis, o número na camiseta e fui dormir, ou pelo menos tentar.

Pois não consegui.

Me deitei as 21h30, mas as 23h00 resolvi levantar-me e assistir TV (O Show do Tom).

Quando era quase 1 da manhã estava que não aquentava mais de sono, daí sim, desligue a tv e conseguir dormir algumas horas (três horas pra ser mais exato).



O DIA “D”

A PROVA (27/09/09)


A realização e organização da 3ª Maratona Internacional de Foz do Iguaçu foi sob a responsabilidade do SESC-Pr, entidade integrante do Sistema Fecomércio SESC SENAC Paraná, em parceria com a Itaipu Binacional, Parque Nacional do Iguaçu e Prefeitura Municipal de Foz do Iguaçu.

Na minha opinião foi em show de organização.

Tudo perfeito, desde o Congresso Técnico no sábado a tarde até o final da prova no domingo (a não ser a respeito dos hotéis, mas isso não foi nada que desfisesse o brilho do evento).

Um exemplo de organização e respeito para com os atletas independentemente de serem elites ou amadores, pois o tratamento foi o mesmo para todos.


Houve postos de abastecimento com água a cada 3km e a partir do km 34 a cada 2km.

Houve ainda pelo menos outros 6 postos de hidratação com frutas, gatorate, coca-cola e um negócio que não sei o que é, mas me parecia com uma torrada ou coisa assim.

Três postos médicos com ambulâncias, um na largada, outro na marca da meia e um outro na chegada.

Banheiros químicos na largada, ao longo do percurso e na chegada (precisa de mais banheiros para o próximo ano na largada, pois havia apenas 5 para os homens e 3 para as mulheres).


E na chegada havia ainda uma equipe mais que preparada para o seu atendimento.

Resfriamento com gelo, massagem, ducha e fruta (laranja, melancia e banana) a vontade, além de um sanduíche especial e mais água e gatorate à vontade.


O SESC paranaense é um diferencial em relação os demais organizadores e realizadores de provas pelo Brasil.


Para quem nunca participou de uma prova com o “selo” SESC-Pr fica aqui o convite.

E para maiores informações sobre o Circuito SESC-Pr de Caminhada e Corrida de Rua, bem como da Maratona Internacional de Foz do Iguaçu é só acessar o site http://www.sescpr.com.br/#.

Pra finalizar sobre a prova quero dizer que o brasileiro Marcos Antônio Pereira foi o vencedor com o tempo de 2hs22min14seg.

Já no feminino a vitória ficou por conta da queniana Jacqueline Chebor com o tempo de 2hs52min03seg.

Para visualizar a classificação geral, bem como a classificação das outras duas edições da maratona clique aqui.



A MINHA PARTICIPAÇÃO


Como eu disse acima, consegui dormir apenas 3 horas, ou seja, como fui dormir a uma da manhã dormi até as quatro. E pra quem vai enfrentar apenas 42km195m isso é uma maravilha isso, não acham??hehe

Bom, assim que acordei já me levantei, tomei o meu “café da manhã” e desci para a saguão do hotel e fiquei esperando o ônibus que passaria ali pontualmente as 5h10 (e passou mesmo, não atrasou num um minutinho sequer).

As 6h30 foi dada a largada para os cadeirantes, as 6h35 para os atletas portadores de necessidades especiais e nessa hora eis que encontro o blogueiro, corredor e fotógrafo da Revista Contra Relógio Maços Viana, Pinguim na vila do banheiro.

Converso com ele algumas poucas palavras e ele ainda brincou dizendo: - Puxa, agora que imaginei, se essa barragem estoura nós estamos perdidos aqui. rsrs. E realmente estaríamos mesmo, pois pela grande quantidade de água existente ali e pela nossa proximidade do local não daria tempo nem de pensarmos no que fazermos hehe, mas pode ficar tranqüilo Pingüim, isso é uma coisa praticamente impossível de acontecer rsrs.


Eu e Marcos "Pinguim" Viana, pouco antes da largada.

.

.

Parte da barragem da qual o Pinguim se referia.

Alí contém água até o topo.

.

.

.

Este são os vetedouros (são 3), quando o limite do lago acima da barragem esta alto demais eles abrem para que as águas vazem sem ter o perigo de trasbordarem.

.

.

.

Este sou eu...hehehe...Grande coisa né???rsrsrs



Às 6h40 foi dada a largada para a elite feminina e o Pingüim preocupado, pois não pode fotografar.

E as 7h00 em ponto a elite masculina junto com a geral masculina e feminina largaram para os 42.195 metros da 3ª Maratona Internacional de Foz do Iguaçú.

E segundos antes da largada pude ver o Pingüim fotografando os atletas e ainda pelo lado e fora do pórtico de largada.

Parabéns amigo, correr já não é fácil, e correr com a obrigação de fotografar deve ser mais difício ainda.

Grande abraço a você.

E que Deus sempre lhe dê esta disposição toda.


Quando foi dada a largada procurei sair no ritmo programado, (3min55seg/km).

Porém, no km 2 passei com 3min45seg, no km seguinte com 3min50seg, até aí tudo confortável e apesar da noite, ou melhor, das duas últimas noites mal dormidas tudo caminhava bem, quer dizer, corria bem.rsrs

Após o km 3 veio o primeiro posto de abastecimento e no início do km 4 já pegamos a primeira, de muitas subidas do percurso.

Ali vi que a coisa não ia ser fácil, tinha atletas já caminhando.

Inclusive passei esse atleta e percebi que era um amigo de corrida da cidade de Pato Branco-Pr e que ao me ver passando por ele me acompanhou e me disse que não ia conseguir completar a prova num bom tempo.

Disse a ele a mesma coisa e perguntei do outro amigo também de Pato Branco e ele me disse que ele havia disparado na frente.


Assim que completei esse quinto km já pensei em abandonar a prova, o calor intenso e as noites mal dormidas começavam a fazer efeito.

Este meu amigo me acompanhou até por volta do km 8 e voltou a caminhar.

Quando fiz um retorno percebi ele a uns 500 metros atrás.

Passei os 10km em 39 minutos cravados, 1 minuto acima do tempo previsto, mas dentro do esperado, pois após o km 5 procurei manter um ritmo na casa dos 4min/km e vinha mantendo sempre ali, ora alguns segundos acima ora alguns segundos abaixo deste tempo.


No 15º km o meu tempo era de 59 minutos e 20 segundos.

No km seguinte (16) ganhamos um pouco de energia do público, pois neste ponto estava acontecendo às provas das categorias infantis e juvenis do Circuito SESC e havia muitas pessoas nas arquibancadas e ainda o locutor falava o nome de cada atleta que passava por ali no momento.

Foi algo bastante estimulante poder ouvir o meu nome e os gritos de incentivo de toda aquela galera presente.

E por falar em galera, havia poucas pessoas presentes nas ruas de Foz do Iguaçu, talvez seja pelo fator temperatura, ou talvez não houvesse tanto interesse assim pelo esporte, ou sei lá.

Mas o fato é que havia pouquíssimas pessoas mesmo.


O cansaço e o desgaste vinha batendo cada vez mais.

Até parece que eu não havia treinado para a prova.

Mas treinei sim, e muito.

Só até aquele momento tinha percorrido mais de 200kms neste mês, enquanto no ano anterior eu havia percorrido pouco menos de 170kms, mas com um diferencial, na época eu fazia reforço muscular numa academia, não sei se este foi o fato de não ter tido um bom rendimento, pois o que eu sentia não era falta de força, era falta de outra coisa que não consigo explicar.

Talvez se eu tivesse descansado/dormido mais, principalmente na semana anterior a prova eu teria tido um rendimento melhor, ou... não sei.hehe


Mas o fato é que no km 19 as coisas não estavam mais lá essas coisas não e comecei a caminhar ao final de mais uma subida.

Foram poucos metros e na seqüência voltei a correr.

Na marca da meia maratona o meu cronômetro já marcava 1h26min, peguei um pedaço de melancia, uma banana e um copinho de água e hidratei enquanto novamente caminhava.

Dali em diante foi mais ou menos assim.

Porém, as caminhadas eram em poucas escalas, pois ainda acreditava em fechar a prova em menos de 3 horas.


Por volta do km 25 ou 26, (não lembro ao certo) encontrei um senhor caminhando e ao me ver passando ele começou a correr e me acompanhou.

Algum minutos depois ele me disse que estávamos num ritmo bom.

Disse a ele que sim e falei que no último km tínhamos passado com 4min30seg.

Daí pegamos mais uma subida (praticamente no meio desta subida virando-se a esquerda fica a rua de acesso ao Aeroporto Internacional de Foz do Iguaçu) e esse senhor me disse: - Puxa, essa subida é pesada heim?

Respondi que sim, mas a próxima seria mais pesada ainda - disse a ele - hehe, e não falei isso para desestimulá-lo não, pois a próxima subida seria mesmo a mais pesada, mas completei dizendo que seria a mais pesada do restante do percurso e que dentro do Parque Nacional do Iguaçu haveria somente subidas em menor escalas e que seria muito mais fácil de se correr.

Após vencermos esta subida encontramos um cadeirante perguntando em qual km estávamos, dizemos e mostramos a ele uma plaquinha a uns 100 metros a frente que seria o km 29 e que seria em descida - (uma pausa aqui).


Temos que tirar o chapéu para estes guerreiros. Pois correr uma maratona não é fácil, e ainda correr num percurso como a de Foz do Iguaçu se torna mais complicado e estando numa cadeira então, nossa deve ser muiiiiiiiiiiiiiiiiito mais difício.

Abaixo publico a foto do pódio destes homens e mulheres de aço sendo premiados pelo nosso ídolo maior: Vanderlei Cordeiro de Lima.


Os cadeirantes após ter recebido os seus respectivos troféus das mãos do Vanderlei.

Obs: não estou publicando os nomes destes atletas pois não encontrei no site.



Bom, voltando a minha prova.

Assim que vencemos a subida do aeroporto e descemos o km 29 pegamos a tão “esperada” ou nem tanto assim, subida.

Disse ao senhor (que por sinal já havia participado de 10 maratonas, mas a primeira em Foz) que não sei se conseguiria subi-la toda.

E não consegui, fui até pouco mais que a metade e disse a ele pra seguir que pra mim não dava mais.

Andei por alguns vários metros e antes de terminar voltei a correr, mas de costas, rsrs, não sei porque, mas assim que olhei pra tráz e vi aquel visual resolvi correr por uns metros de costas e até gostei.

Parece que corri até um pouco mais rápido do que de frente.hehehe.

Mas, na seqüência viro-me do jeito certo para mais uns metros de corrida.

E por fim, eis que surge o portal de entrada para o Parque Nacional do Iguaçu.

Agora só falta 11,5km.

Mas o meu tempo já era altíssimo, não lembro exato quanto, mas nesse momento o tempo previsto para o final seria pra 3h10 a 3h15.


No km 32 novamente caminhando encontro um atleta que pergunta a minha categoria e digo que é a 30/34 e ele me responde se ainda haveria chances pra entrarmos entre os 5 da categoria e eu disse a ele que não pois no ano anterior o quinto colocado havia marcado 2hs52min (este ano devido ao calor o quinto colocado fez 2hs59min39eg).


Continuo uns kms com ele depois de voltarmos a correr e ele mesmo tendo umas câimbras segue e eu fico.

Km 37 começo a sentir umas dores no lado esquerdo do peito, acho que pelo esforço que foi demais.

No km 38 umas garotas me dão um gatorate ou coca-cola, não lembro, e me dizem: - Toma um pouco de energático pra terminar a prova correndo.

Aquilo até que em animou.

Terminei de tomar, joguei o copinho num canto próximo a rodovia para ser recolhido depois (dentro do Parque Nacional do Iguaçu o cuidado com a natureza é algo extremamente invejável, tudo muito bem cuidado, como realmente tem que ser) e aquele incentivo me deu um ânimo extra.


Voltei a correr e num ritmo muito bom por uns 100 ou 150 metros e a dor veio insuportávelmente denovo.

Doía demais.

O jeito foi caminhar e já me preocupar com o tempo.

Queria fazer pelo menos abaixo de 3h40 pois a Revista Contra Relógio brinda seus assinantes na edição de janeiro com um “Diploma” e o tempo limite para a minha categoria é esse.

E eu se tivesse que caminhar os 4 últimos kms teria grandes chances de não chegar neste tempo.

Vez ou outra ensaiava umas passadas mas era em vão.

A dor não deixava.

Tentei caminhar mais rápido, mas também doía.

Eu estava até um tanto preocupado, pois meu último exame médico foi a mais de um ano atráz.

O jeito foi ir caminhando num ritmo médio aproximado de 9min/km.


Assim que avistei o pórtico de largada (uns 200 metros a minha frente) procurei correr num ritmo bem lentinho, pois assim não faria muito esforço, não doeria tanto, eu completaria a prova abaixo das 3h40 e ainda sairia “bonito” na foto.rsrsrsrs

Enfim, os 42.195 metros da minha terceira maratona na carreira havia chegado ao final.

Tempo líquido oficial 3hs39min20seg.

59min30seg mais lento que no ano passado, mas dentro do tempo limite da faixa etária para receber o diploma de maratonista em janeiro, caso eu não participe da Maratona de Curitiba em novembro (22), mas digo que ela está dentro dos meus planos.


No momento em que cheguei, de imediato me perguntaram se eu estava bem e disse que estava sentindo umas dores no peito mas tava legal.

Me encaminhei para o resfriamento com gelo (uma técnica fantástica em questão de resfriamento por parte do SESC. As moças passam gelo em suas pernas, braços, costas e pescoso, uma maravilha.hehe).

Depois fui me abastecer com sanduíche, gatorate, água, banana, melancia e laranja e em seguida fui devolver o chip e receber a minha “consagração”: a MEDALHA.


Minha 42ª medalha em frente e verso, a 11ª em 2009.



Esta foi à medalha mais demorada e mais difício que já ganhei.

Mais demorada pelo fato de eu ter perseguido ela por mais de três horas, e a mais difício pela temperatura estar alta e pelo percurso com muitas subidas.


Ahh, e ainda teve uma massagem.

A princípio eu não iria fazer porque estava me sentindo até que razoavelmente bem, mas uns minutos depois tudo mudou e comecei a sentir câimbras, daí achei melhor não dispensar este item.hehe

Bom, assim termina este relato da minha 51ª corrida, a minha 11ª em 2009 e a minha 3ª maratona na carreira.

E que venham as próximas.rsrsrs




Dinheiro gasto com a participação nesta prova:


Inscrição: 40,00R$

Lanches: 11,00R$

Passagem ida: 37,35R$

Táxi: 15,00R$

Hotel e servisos: 64,00R$

Jantar: 40,00R$ (um absurdo)

Viagem de volta: 30,00R$ (uns amigos haviam ido fazer compras no Paraguai e passaram nas Cataratas, daí eles me convidaram a vir embora junto e ajudei um pouco nas despesas)


Total: 237,35R$



Notas:

1 – Não fiquei para tirar fotos dos pódios desta fez não. Aliás, nem vi a premiação.
Apenas tirei a foto dos cadeirantes que postei acima e fui ver as Cataratas. Tava meio desanimado com o resultado. Mas analizando isso melhor nesta semana que passou, posso dizer que: Foi sofrido, mas valeu a pena, e que correr 42kms não é o bicho de 7 cabeças não. Apesar de tudo achei a que foi a minha melhor prova, pois a completei dentro do meu limite e treinando sozinho.

Haverá mais fotos das Cataratas no álbum do meu perfil no orkut.


2 – Fui para esta prova meio pressionado, não que alguém me pressionando, mas é que a imprensa local sabia da minha participação nesta prova e na quinta-feira (24/09) me convidaram para ser o entrevistado do programa esportivo Na Marca do Pênalti apresentado por Antônio Beckauser e Daiane Dourado na Tv Vale.

No mesmo dia o amigo Odair do Jornal O Vale do Piquiri me pediu pra tirar uma foto e que a mesma foi publicada no sábado (26/09) falando a respeito da prova e da minha participação.

Ainda um outro amigo da Rádio Nova Clube Am (Jabuti Faceiro) me convidou para comparecer no seu programa esportismo na terça-feira (29/09) para contar sobre a prova.

E ainda no sábado (26/09) antes do embarque para Foz do Iguaçu um outro amigo também locutor de rádio (Gil) estava fazendo a programação direto da rodoviária e me entrevistou já praticamente dentro do ônibus.rsrsrs.

E com todos estes acontecimentos eu me senti pressionado por um bom resultado, no qual não aconteceu.

Sou uma “celebridade” esportiva no meu município pessoal, tá achando o que???rsrsrsrs

Pena que não sou tão bom assim, mas sou o melhor daqui, já que ninguém se dedica tanto quanto eu.

Aliás, o atletismo não tem vez por parte da administração municipal.

A grande maioria das minhas participações em provas, vou por conta própria, e em outras oportunidades amigos de lojas e empresários do município colaboram.

Claro que isso acontece quando o amigo corredor Magaiver vai junto, porque daí ele "mete" literalmente a cara atráz de patrocínio.

Já eu não não sou assim.

Uma por ter vergonha de sair pedido e outra por achar que estou mendigando esmola pra fazer algo que gosto, daí prefiro ir por conta própria ou ficar em casa se não tenho condições financeiras.


3 – Dos 567 atletas inscritos na maratona apenas 356 completarm o percurso.


4 - Agradecimentos:

Ao amigo locutor Jabuti Faceiro pelos 10,00 reais oferecido para um lanche.

Valeu Jabuti.

Ao Sistema de Comunicação do Vale (Tv Vale, Jornal O Vale do Piquiri e Rádio Nova Clube Am) pela divulgação de todos os meus resultados em provas.

E a todos que torceram por mim (amigos reais, virtuais, do blog, do orkut, do msn e familiares).

E um agradecimento especial a Deus e a Nossa Senhora, nossa Querida Mãezinha Aparecida na qual tenho grande devoção a ela.

Agradeço por toda a saúde a mim dispensada.


Obrigado.

Abraços e até sempre...


Segue abaixo fotos:


Eu, cerca de meia hora após a conclusão da minha terceira maratona.

.

.

.

As Cataratas do Iguaçú 1

.

.

.

As Cataratas do Iguaçú 2

.

.

.

As Cataratas do Iguaçú 3

.

.

.

As Cataratas do Iguaçú 4 (vista do alto do elevador)

.

.

.

As Cataratas do Iguaçú 5 (vista do alto do elevador)

E a passarela que liga a terra firme ao ponto chamado de " A Garganta do Diabo", onde você pode ficar a centímetros de um precipício, mas com uma imagem sensacional, sem contar que aqui você se molha completamente devido a neblina causada pela queda postada acima.

.

.

.

Eu, a medalha e ao fundo as Cataratas do Iguaçú




Curiosidades com os números:

Esta foi a edição da Maratona Internacional de Foz do Iguaçu.

Também foi a minha maratona na carreira.

O meu tempo médio por km foi de 5min11seg,

5, foi o número de vezes que já corri em Foz do Iguaçu,

11, é o total de provas que já corri este ano, e pegando os dois primeiros números do tempo médio por km (5min:11seg à51), este número indica quantas provas já corri em toda a minha vida de corredor.

Curioso, não???hehe




tutta

ubiratã-pr.

http://www.correndocorridas.blogspot.com/



7 comentários:

Diego da Costa disse...

Grande Tutta,meus parabéns!Em todos os lugares que eu li sobre a maratona de Foz o principal comentário era a respeito da dificuldade do trajeto, o que demonstra que apesar de você não ter feito o tempo esperado, você mandou muito bem.
Excelente relato, apesar de extenso ele conseguiu me manter interessado pelo que estava por vim a seguir. Espero que as dores no peito não seja nada de mais, se puder vê se vai ao médico. Bom descanso e recuperação após esse esforço tremendo.


Abraços!!!

Superpinguim disse...

Olá Tutta !

Parabens pelo seu relato detalhado da prova, considero tão dificil fazer isso quanto correr uma maratona.
Fiquei muito feliz pela atenção e consideração pela minha pessoa, inclusive citando meu nome no seu Blog, fiquei mais feliz em saber que você "postou" a foto onde aparece você e eu juntos.
Quantos aos gastos realmente você pagou um preço alto no restaurante que te indicaram R$40,00, quanto ao valor do Hotel encontrei até por R$40,00 a diária no Centro, se chama Hotel King Kong e fica na Av. Brasil bem no centro de Foz, inclusive quando voltei de ônibus para São Paulo com o Decio, o famoso maratonista várias vezes campeão nas categorias veterano, ele disse que pagou apenas R$25,00 por duas diarias num hotel perto da rodoviaria, mas nesse caso dividindo o quarto com mais 4 atletas. Fiz amizade com o maratonista Benis que me indicou varias lugares no centro para almoçar a vontade por apenas R$8,00.
Fica ai a dica para o ano que vem.
Quero te avisar que já atualizei meu Blog, coloquei várias fotos e inclusive mapas (navegaveis) que mostram os principais pontos turísticos do percurso, você pode arrastar eles, aproximar ou afastar, usando o mouse e os sinais de + ou -, inclusive você pode fazer todo o percurso da maratona via mapa. Da uma olhada que você vai gostar, se quiser deixa lá sua mensagem.

http://marcosvianapinguim.blogspot.com/2009/10/maratona-de-foz-do-iguacu-unica.html

Abraços !

tutta disse...

Diego,
Obrigado.
E quanto ao percurso, lá é bastante díficio sim.
Há várias subidas e na maioria delas são bem longas e compridas.
Não fiz o tempo esperado mesmo, mas pelo menos a completei né???hehe
Obrigado também por ter gostado do relato, que foi longo demais..rsrs
Mas é muito bom saber que você gostou e que te manteve interessado pra saber o que vinha na seqüência.
Logo eu que sou péssimo no quesito: redação, saber que consegui manter alguém ligado e interessado em saber o resultado final é muito gratificante.
E sobre as dores no peito, acho que deva ter sido somente pelo esforço e pelo desgaste da prova.
Já estou bem, graças a Deus, e pronto pra outra.hehe
Abraços e tudo de bom pra vc.



Pinguim,
Obrigado pelo elogio quanto ao meu relato.
Concerteza foi difício escrever isso sim.
Acho que prefiro correr uma maratona do que escrever sobre uma.rsrsrsrs
E quanto a atenção e consideração por você no meu blog, acho que não fiz nada mais do que o meu dever, pois você é realmente o "cara".
Como citei no relato, correr não é tão fácil, e correr com a obrigação de tirar fotos e fazer a cobertura fotográfica completa de uma prova como foi a Maratona de Foz deve ter sido muito mais difício.
Você realmente tá de parabéns amigo.
Ahh, e como citei no relato também, só te reconheci por causa do chapéuzinho.rsrs
Mas foi muito bom te conhecer pessoalmente, não sei o que você achou de mim, pois sou um cara bastante tímido e de poucas palavras, mas sou legal. Pelo menos eu acho...rsrsrs
E sobre os meus gastos, é que sou burro mesmo.hehe
Esta é a quinta prova que faço em Foz do Iguaçú nos últimos dois anos e já devia ter decorado os hotéis mais em conta.
No ano passado fiquei no Hotel Sol, em frente a rodoviária e paguei 40 reais, mas na ocasião os ônibus da prova passavam por lá, e este ano quiz ficar mais próximo o possível destes tais ônibus, mas analizando depois, se eu tivesse ficado no mesmo hotel do ano passado e no dia da prova tivesse tomado um taxi até a Usina Hidrelétrica eu tinha gastado menos do que gastei ficando onde fiquei.
Mas isso serve de aprendizado para os próximos anos, não é mesmo??rsrs
Mas de qualquer forma obrigado pela dica.
E quanto a atualização do seu blog, prometo que o mais tardar amanhã estarei lendo-o, ok?
Ás vezes fico meio afastado daqui e quando volto procuro ler todas as atualizações dos amigos blogueiros, mas vou ler o seu texto concerteza e deixarei comentário sim.
Abraços, muito obrigado por comentar aqui e sucesso na sua carreira de corredor/fotografo, ou fotografo/corredor, rsrsrs.
Foi um prazer conhecê-lo, você é o quinto blogueiro que conheço desde que criei o Correndo Corridas.
Tudo de bom pra você...

tutta
ubiratã-pr.
www.correndocorridas.blogspot.com

Jorge disse...

Tutta, meu amigo bom dia, hj vou fazer um comentário diferente do que eu faço aqui, comentando a prova pelo que eu li.

Bom meu amigo, fico imaginando a raiva que vc sentiu quando vc teve que voltar por causa no número e depois descobriu que o número estava dentro do envelope, quanto ao jantar foi bem carinho para uma pessoa hein, será que o restaurante não serviu caviar para vc...rsss...Bom vc comentou também sobre o cansaço, apesar de vc morar quase perto da prova, alguns atletas quando viajam para correr em outro local se sente cansado sim pois o bom seria se o atleta chegasse no local da prova alguns dias antes, pelo que eu vi essa maratona deve ter sido showww, que horário bom de se largar, será que essa quebra nessa prova foi pq vc largou forte demais? pois pelo que eu li aqui no seu blog vc disse que o percurso foi dificil e que alguns kms vc andou e nos km 15 vc passou forte com 59 min e poucos e nos 21K com 1h26minutos, pelo percurso eu acho que vc passou rápido demais, realmente esse caldeirantes também estão de parabéns, caracas se vc caminhou por alguns minutos eu fico imaginando as forças que ele tem para subir nas subidas fenomenal, bom meu amigo as vezes planejamos algo e não sai certo, foi o seu caso, pois no ano passado vc fez uma boa maratona e esse ano vc não conseguiu, por causa do cansaço e dores, mais fazer o que nessas horas, lhe digo para olhar em frente e seguir a sua jornada, parabéns celebridade do paraná....rsss...
Que Deus te abençoe.

Um abraço,

Jorge Cerqueira
http://jmaratona.blogspot.com

tutta disse...

Jorge,
Obrigado pelo comentário.
Realmente me deu uma raiva sim, pois não conferi o kit na hora em que recebi e por isso tive que voltar depois mesmo com o número já estando comigo..hehe
E sobre a comida no restaurante, foi uma coisa simples até.
Um pouquinho de arroz, feijão, farofa, e tinha mais umas coisinhas lá que não sei te explicar o que era, mas era gostoso, rsrs
Tinha também uma ou outra folhinha de alface e batata frita.hehe

Já sobre a prova, me senti cansado mas não acho que tenha sido por causa da viagem não, pois moro bem perto, em torno de 200km de distância de Foz do Iguaçu.
Eu acredito que tenha sido as noites pouco dormidas, já que na noite anterior a prova eu consegui dormir apenas 3 horas, e uma noite antes (na sexta-feira) fiquei assistindo filme até as duas da manhã, não porque eu quiz, mas é que tinha um amigo em casa e eu tava sozinho daí achei chato em perdir pra ele ir embora.
Acho que foi isso o não sucesso na prova, e não acho que saí forte, pois no ano passado saí na casa de 3min40seg pra menos, e este ano tava na média de 3min55seg.
Passei a marca da meia no ano passado pra 1h17 e este ano 1h26, não acho que tava forte, o que eu acho é que tenho que descansar mais.
Tô indo dormir quase todo dia, ou melhor, toda noite, hehe, quase a meia noite e acordo as 7 horas pra ir trabalhar, tenho que me adaptar mais nestes horários de descanso noturno, daí sim acredito fazer provas um pouco melhores.

E quanto aos cadeirantes os caras são fenomenais mesmo, porque subir as ladeiras da Maratona de Foz do Iguaçú não é fácil não e numa cadeira deve ser muitíssimo mais difício.

Mas eu, apesar de não ter ido bem na prova, não me abati não e continuarei firme, seguindo sempre em frente amigo.
Muito obrigado pelo apoio e incentivo que você tem me dado sempre.

Ahh, e não sou celebridade do Paraná não, apenas de Ubiratã...rsrsrs

Tudo de bom pra vc.
Abraço.


tutta
ubiratã-pr.
www.correndocorridas.blogspot.com

Tiago Antunes disse...

Daeee, parabéns por mais esta bela corrida! Muito obrigado também pelas felicitações que recebemos.

Desculpe-me o atraso na resposta é que este mês a coisa pegou, muito serviço, muita encomodação hehehehe e pouco treino...

Ainda esta semana, preisamente amanhã vou recomeçar... para no domingo,18, poder correr com conforto os 10k.

Meu abraço e bons treinos

tutta disse...

Tiago,
Obrigado e de nada amigo.
E não precisa se desculpar por atraso nenhum não, ok?
Sei muito bem como é corrida nossa vida...hehe
Abraços e desejo boa prova amanhã.



tutta
ubiratã-pr.
www.correndocorridas.blogspot.com