segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Corrida Nº 131 Maratona de Curitiba - Curitiba-PR - 15nov2015

.
Disposto a completar mais uma maratona (a terceira em 13 semanas) lá fui eu para Curitiba em busca de mais uma prova sub-3h. Porém, o objetivo sub-3h não foi alcançado.
Mas, descobri que fazer três maratonas em três meses seguidos não é pra qualquer um. Tanto é que sofri uma barbaridade para conseguir completar este desafio. rsrs
Eu caminhando a cerca de 1,5km do final.



Segue abaixo os dados gerais da prova:


Nome da prova: Maratona Caixa de Curitiba
Cidade: Cutiriba-PR
Data: Domingo, dia 15 de novembro de 2015
Distância: 42,195kms
Tempo: 3h15min37seg 
Média por km: 4min38seg
Colocação geral masculino: 85º lugar
Atletas concluintes no geral masculino: 1.503 corredores

Colocação na faixa etária de 35 a 39 anos: 19º lugar
Atletas na faixa etária: 292 corredores
Número de peito: 624



Saí de Ubiratã com destino à Curitiba na sexta-feira dia 13 as 20:00 horas. Minha esposa Cileide foi comigo.
Primeiro passamos por Maringá onde chegamos por volta da 00:30h e de lá seguiríamos de carro até a capital paranaense na companhia mais do que agradável dos amigos Marcos e Meire.

Antes comemos um lanche para somente depois seguirmos viagem.

Chegamos em Curitiba por volta das 08:00h da manhã e fomos direto para a Loja Procorrer, local de entrega dos kits, mas ela ainda estava fechada e só abriria as 09:00h.
Aproveitamos para tomar um café e depois retornamos.
Após tendo retirado os kits, e como não poderíamos entrar no hotel antes das 13:00 horas, fomos dar uma volta por Curitiba.

Primeiro fomos no Jardim Botânico onde não vi nada de tão bonito a não ser a entrada.
Depois fomos na Ópera de Arame, um lugar já bem razoável no quesito beleza, e por fim, fomos no Parque Tanguá. Ali sim é muito bonito e vale muito a pena tirar um tempinho, ou um tempão, para visitar e conhecer o lugar.


Minha esposa e eu no Jardim Botânico.

.
.

Com os amigos de Maringá: Meire e Marcos e Eu e minha esposa Cileide no Jardim Botânico.
.
.

Eu e minha esposa na Ópera de Arame.
.
.

No Parque Tanguá.
PS: no final postarei mais fotos do parque.



Depois do passeio paramos para almoçar e na sequência seguimos para o hotel Flat Miller onde pude dormir um pouco e amenizar as trinta e uma horas acordado desde as 07:00h da manhã do dia 13 (sexta-feira) até as 14:00 horas do dia 14 (sábado).
Foram apenas quatro horinhas de sono, mas o suficiente para tirar um pouco o cansaço das horas que tinha ficado acordado por conta do trabalho do dia anterior e da viagem.
Acordei as 18:00 horas com chuva em Curitiba o que foi muito bom, pois amenizou e muito o calor que estava fazendo.

Na sequência tomei banho e fui dar uma pequena volta com minha esposa para que ela conhecesse a Catedral e a Rua XV de Novembro (Rua das Flores) e logo voltamos para o hotel para sairmos novamente. Mas, desta vez para o jantar junto com os amigos de Maringá, o Baleias Carlos Bento e suas duas amigas.
Jantamos no Shopping Müeller e retornamos para o hotel por volta das 21:30h e meia hora depois caímos na cama para mais algumas horinhas de sono até o café 'pré-prova' da manhã.

Minha esposa com a Catedral de Curitiba ao fundo.
.
.

Catedral de Curitiba por dentro.
.
.

Avenida XV de Novembro.



Coloquei o celular para despertar as 05:30h, mas acabei esquecendo de selecionar o dia da semana. Ou seja, ele não tocou. rsrs
Por sorte os jovens de Curitiba vão embora da balada tarde da noite e com os gritos deles lá na rua a minha esposa acabou acordando e ela me acordou em seguida. Do contrário, acho que perderia a largada da prova. rsrs

Me aprontei e desci para tomar o café da manhã onde encontrei o amigo de Recife, Julio Cordeiro. Na sequência chegou o Carlos Bento e suas amigas e combinamos de irmos juntos para a largada que seria as 07:15h. Só tínhamos que chegar um pouco mais cedo pois a organização da Maratona de Curitiba teima em não entregar o chip junto com o kit nos dias que antecedem a prova.

Depois de tomado o café da manhã voltei para o quarto para pegar a câmera e o gel que usaria na prova e desci para o saguão esperar o pessoal. Nisso encontrei com o Adilson e outros dois corredores de Campo Mourão que já se direcionavam para a largada.
Como o Julio e o Carlos demoravam um pouco para descer eu liguei no quarto de cada um deles e o Carlos falou que já estava pronto e o Julio disse que estava meio ocupado e que seguiria depois. rsrs


Na saída do hotel encontrei outro Baleias, o Ailton de Belo Horizonte. A princípio eu não lembrava o nome dele. Achava que era o Ênio de BH. Só fui lembrar do nome dele quando nos encontramos no final da prova. rsrs

Saímos do hotel as 06:15h, e quinze minutos depois já estávamos no local da largada da prova. E nos espantamos com as gigantescas filas para retirar o chip. Como a largada seria somente as 07:15h achei que tinha tempo de sobra, pois em 2011 quando corri em Curitiba pela primeira vez, a retirada do chip foi rápida, apesar de haver fila parecida com a deste ano. Mas, desta vez não foi bem assim não.

A fila não andava e o horário da largada ia se aproximando.
Consegui pegar o meu chip a menos de 10 minutos da largada.
Durante a espera na fila para retirar o chip acabei encontrando as amigas de São Paulo Ivana e Mayumi. Além do Baleias anfitrião da prova, Waldeci.
Após colocar o chip no tênis ainda dei uma palavrinha rápida com a Ezilda, esposa do Waldeci, e com a irmã dela, a Tânia e depois dei uma corridinha no banheiro mais a fila também era gigantesca e acabei desistindo.


Nisso acabei encontrando com o Rinaldo e sua esposa(?) e conversei alguns segundos com eles e voltei para esperar o Marcos sair da fila do chip e sem tempo para tirar fotos corremos para a largada.
Quando adentramos na avenida já ouvi o barulho da buzina. Nesse momento ainda era enorme a fila para a retirada do chip. Muitos atletas vaiavam e gritavam. Mas, o pessoal da organização parecia que nem se preocupava muito.
Fiquei sabendo que meia hora após dada a largada tinha gente começando a prova naquela hora por conta desta demora.
Um absurdo isso acontecer.
Não sei porque não entregam o chip junto com o kit. 
Seria medo dos atletas comerem?
Em todas as corridas grandes que participo a entrega do chip é feita junto com a entrega dos kits nos dias que antecedem o evento. Porque só Curitiba quer ser diferente? Se for para entregar o chip no dia da prova pelo menos coloquem mais pessoas para agilizar a entrega. Porém. o ideal mesmo é ser entregue nos dias que antecedem a prova para não causar tumulto e transtornos aos atletas.

Bom, mas como eu não tenho nada a ver com isso e graças a Deus consegui retirar o meu chip em tempo então bora correr.

Como sempre, os meus objetivos para uma maratona são completá-las abaixo das 3 três horas e para esta de Curitiba não podia ser diferente.
Apesar do cansaço excessivo sentido na semana que antecedeu a prova e das longas horas sem dormir, além da longa viagem e mesmo não tendo feito uma boa preparação devido as várias provas, e maratonas, em sequência que venho fazendo 
achei que seria possível.
Mas, foi começar a correr para perceber que não seria nada fácil.

Saí em um ritmo mais tranquilo no primeiro km (4min09seg) mas não consegui melhorar nada no km seguinte e nem nos seguintes.
Pouco após o km 4 tive que fazer uma parada estratégica em um dos banheiros químicos e perdi ali uns 40 segundos mais ou menos. Esta foi a primeira vez que tive que parar durante uma prova. Tudo por conta de não ter conseguido ir ao banheiro antes da largada.


Um pouco mais aliviado, senti que o ritmo melhorou um pouquinho. Já na sequência completei o km 5. Neste momento estava com 20min59seg de prova. Em torno de 4min04seg por km descontando o tempo perdido na parada do banheiro.

No Museu (do Olho) Oscar Niemeyer. Mais ou menos km 5.



No km 10 estava com 41min37seg de tempo total. Não muito ruim. Mas, manter este ritmo não estava sendo muito fácil. Parecia que eu estava fazendo um esforço enorme. E isso que estava mais lento do que planejara anteriormente. O 'planejado' seria manter um ritmo de 4min por km até a metade da prova. Mas, manter o ritmo atual (4min09seg) não estava sendo nada fácil e já comecei a pensar no sofrimento que seria, principalmente, após o km 30 ou 32.

No km 15 o ritmo permanecia o mesmo de 4min09seg por km e o tempo total era de 1h02seg17seg. Só que dali em diante eu sabia que não teria mais condições de mantê-lo. Tanto é que passei a marca da meia maratona com 1h28min (media de 4min11seg por km) e percebia que o ritmo ia caindo aos pouquinhos.
Em Foz do Iguaçu, sete semanas antes, por exemplo, eu passei a marca da meia com 1h25. Ou seja, três minutos mais rápido e na ocasião eu completei a prova com 3h05.

Por volta do km 22 tomei o meu único gel de carboidrato que havia levado e senti que melhorei um pouquinho, mas, voltei a cair de 'produção' após o km 25, aproximadamente.

Tirando o "coelho" da cartola. Ou melhor: o gel do boné. kkkkkkk


No km 30 (com 2h08 de prova) pensei em caminhar, mas vi que o percurso era ida e volta e na volta (km 32) tinha um viaduto e nele uma subida. Daí pensei em correr até chegar na subida do viaduto e caminhar nela. Neste ponto tinha um grupo de pessoas dando apoio aos atletas e entre eles o amigo Luiz de Curitiba que me incentivou bastante tanto na ida quanto na volta.


Já na volta, antes de completar o km 32 e em um ponto de hidratação da prova com água, Gatorade, Coca Cola  e melancia não exitei e peguei um pedaço de melancia, um copo de Coca e outro de Gatorade e comecei a caminhar dali mesmo.
Caminhei durante uns 150 metros aproximadamente e quando chegou na subida do viaduto caminhei mais uma vez e dali em diante as caminhadas foram constantes.

Por volta do km 37 para o 38 cinco atletas mulheres me alcançaram e me ultrapassaram. Uma delas me incentivou a seguir com ela e me disse que vinha de uma sequência de quatro maratonas desde junho, se não me engano. Apesar de dizer a ela que eu vinha de uma sequência exagerada de provas e que já estava "sem pernas" desde o km 30, parece que o incentivo dela me deu um pouco de ânimo e fui. Devagar mais fui. rsrs

Lembro que próximo do km 38 tinha um posto de hidratação que estava oferecendo até sorvete em saquinhos (aqui em Ubiratã conhecidos como Geladinho). Como eu vinha comendo até gelo durante os últimos postos de hidratação não pensei duas vezes e peguei um e subi uma pequena subida caminhando e "comendo" o geladinho. A tal atleta que havia me incentivado pouco antes também começou a caminhar neste ponto vindo a correr em seguida e eu fui junto.
Em certos pontos da prova ela abria alguns metros, em outros eu seguia na frente dela mas sempre estávamos meio lado a lado.

Pouco antes do km 41 caminhei pela última vez na prova. Naquela hora parecia que não tinha mais forças para voltar a correr. Mas, um número grande de pessoas começaram a me incentivar naquele momento e mesmo eu dizendo que não tinha mais pernas, que estava muito cansado e que não dava mais, o pessoal não parava de me incentivar e então resolvi começar a trotar bem devagarinho e recebi inúmeros aplausos de todo mundo. Isso foi o "empurrão" que eu precisava para seguir em frente e completar a prova.

Poucos minutos depois, após duas curvas a esquerda, entrei no último km. Fixei o olhar para o local da chegada, acelerei um pouco para alcançar a atleta que havia me dado forças lá atrás e acabamos concluindo a prova juntos. Eu, com péssimos 3h15min37seg em 85º lugar na classificação geral na prova masculina e ela (Andrea Cavallini Fernandes) com 3h27min04seg em 7º lugar na classificação geral feminina.

Andrea completando a maratona a esquerda e eu a direita.
Pela minha fisionomia até parece que estou inteiraço, quando na realidade só estava o bagaço. kkkkkk




Após completada a prova tomei um copo d'água, peguei duas laranjas, uma lata de atum com batata oferecida pela organização, a medalha e fui para a tenda de massagens para somente depois encontrar minha esposa e de imediato levei ela até o Museu do Olho para conhecê-lo por fora, pois não daria tempo de entrar e depois voltei para encontrar com os demais amigos.

O Marcos, na ocasião já havia voltado para o hotel e então fiquei na espera dos Baleias e somente depois fui para o hotel onde encontrei novamente com o Rinaldo. Além de alguns integrantes da Equipe Acorja de Recife e o simpatíssimo Presidente Lula. Mas, não o Lula ex-presidente do Brasil. O Lula presidente da Equipe Acorja mesmo. rsrs


Após retornar ao hotel tomei um banho e em seguida na companhia da minha esposa Leide e os amigos de Maringá, Marcos e Meire fomos "almoçar" junto com alguns atletas da Equipe Baleias e em sequida retornamos para Maringá e depois para Ubiratã onde chegamos as 04:00h da manhã.
As 07:00h já estava de pé para mais um dia de trabalho. Ou, apenas meio dia, já que após as 12:00 horas choveu e como eu trabalho com construção civil não dá para trabalhar com chuva. Menos mal, pois assim pude descansar um pouquinho. rsrs


E assim foi mais uma corrida de rua (a 131ª) e mais uma maratona na minha carreira (a 11ª).


Segue abaixo mais algumas fotos:

Meu número.
.
.

Kit da prova composto pelo número de peito, um par de meias, camiseta, uma toalha de rosto, dois doces de amendoin e a sacola que esqueci de colocar junto. 
.
.

Jardim Botânico.
.
.

Jardim Botânico.
.
.

Jardim Botânico.
.
.

Jardim Botânico.
.
.

Ópera de Arame.
.
.

Ópera de Arame por dentro.
.
.

Ópera de Arame.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Parque Tanguá.
.
.

Com Mayumi (1h07min nos 10kms) do blog Running Kitigai
Ivana (5h20min25seg nos 42kms) do blog Status na Correria.
Na sequência vem um amigo(?) da Ivana,
Depois o Waldeci (5h02min23seg nos 42kms).
Minha esposa, que foi a passeio, e eu (3h15min37seg nos 42kms) na fila do chip.
.
.

Em algum momento da prova que mais parece perto do km 41, pois a imagem da torre lá atrás parece ser da Catedral.
.
.

Pura concentração e olhos fixos na chegada a 1 km do final.
.
.

Em frente ao Shopping Müeller a menas de 1 km do final.
.
.


Agora falta pouco.
.
.

Distraído a poucos metros da chegada.
Nem pareço estar totalmente acabado. rsrs
.
.

Enfim; terminei.
Tempo líquido 3h15min37seg.
Tempo bruto 3h17min28seg.
Quando mesmo será a próxima? rsrs
.
.

Com o amigo Dario após a prova.
Encontrei e ultrapassei ele por volta do km 6 para 7.
Ele completou a prova com 3h26min05seg.
.
.


Após os sofridos 42.195 metros da minha 11ª maratona.
.
.


Eu com 11 maratonas;
Cláudia em sua excelente estréia (4h00min54seg) e Carlos Bento (3h32min54seg) em sua 84ª maratona.

.
.


José Maia (4h49min16seg)
Ailton (4h23min34seg)
e Tutta (3h15min37seg).

.
.


Cláudia, Carlos, Tânia (1h12min13seg nos 10kms), Ezilda (1h19min33seg nos 10kms) e eu.
.
.


Carlos, Waldeci, Tutta, Tânia e Ezilda.
.
.


Com um grande amigo: Cláudio Rinaldo (4h59min20seg nos 42kms) do Blog Número de peito.
.
.


Amigo Marcos de Maringá.
Infelizmente não fizemos uma foto juntos após o término da prova, mas tá aí o registro de sua quase chegada.
Abraço, parabéns pelo ótimo tempo de 3h32min58seg e obrigado pela carona e companhia naquele final de semana.

.
.


A medalha e ao fundo o Museu Oscar Niemeyer "Museu do Olho".
.
.


E não podia faltar uma foto tendo ao fundo o Palácio Iguaçu.
.
.


Local da largada e chegada da maratona em frente ao Palácio Iguaçu.
.
.


Tinil (3h21min21seg), Tutta, Cileide, Marcos, Meire, Tânia, Waldeci, Ezilda e Júlio Cordeiro do blog Maratonista Pernambucano (4h17min44seg) no almoço em um dos vários Barzinhos de Curitiba.
Por pouco não encontramos o Ratinho do SBT por lá.
O Júlio, que chegou um pouco antes teve mais sorte.

.
.


Olha aí o Júlio com o Ratinho ao fundo.
.
.


Tomando um chopinho (500ml) e comendo uma "pequena" porção de batata frita para repor um pouco das energias após a prova. rsrs
.
.


Os 10 primeiros colocados no masculino e no feminino.
(Clique na imagem para AMPLIAR).
.
.


Classificação dos 25 primeiros colocados da faixa etária de 35 a 39 anos.
Destaque em amarelo para a minha colocação.

(Clique na imagem para AMPLIAR)
.

.


Cartão do hotel.
.

.

Mais sobre a prova e inúmeras fotos:
 eucorro.com
www.julianrunner.com.br
Número de Peito
.
.

Sobre a organização do evento:


Tirando o episódio da entrega dos chips no dia da prova ocasionando filas gigantescas, demora na entrega e irritação por parte dos atletas a organização foi muito boa.Inscrições pelos sites ( www.maratonacuritiba.com.br) e (Sportpass) a um preço não muito alto por se tratar de uma maratona (R$ 85,00 reais + taxas no kit completo que vinha composto pelo número, sacola, uma toalha de rosto e um par de meias) e (R$ 60,00 reais + taxas pelo kit básico onde não vinha nem a toalha e nem o par de meias).

Largada as 07:15h da manhã. Banheiros químicos em alguns pontos do percurso, porém poucos na largada para um número de aproximadamente 5.000 atletas nas três distâncias oferecidas (42,2kms, 10kms e 5kms). Postos de hidratação com água a cada 3kms e a cada 2 após o km 25 além de vários postos com Gatorade e Coca Cola, além de água de coco, melancia, doce de amendoim, rapadura, geladinho e sorvete em pelo menos um dos postos de hidratação. E laranja e uma latinha de atum com batata na chegada.Tenda com massagem. Posto médico não reparei se havia na chegada e nem pelo percurso que não é dos melhores. Há várias subidas. Acredito que seja o segundo pior percurso dentre as maratonas oficiais brasileiras perdendo apenas para Foz do Iguaçu. mas, por sorte este ano a temperatura ajudou bastante, ficando nublado e entre 18 e 21 graus até por volta das 11:00 da manhã. Depois abriu um solzinho e esquentou um pouco mas acho que não deva ter atrapalhado muito a performance de quem completou acima das 4 horas e a tarde, já após terminada a prova choveu.  A medalha não achei grande coisa não. É parecida com a de 2011 e a camisa achei bem legal. Porém, mesmo sendo tamanho G, veio pequena.


Agradecimentos:
Parece ser repetitivo, mas não há porque não agradecer a
 Deus em primeiro lugar por intercessão de Nossa Senhora Aparecida e Sagrado Coração de Jesus por me guiarem no caminho do bem e me proporcionarem muita saúde para fazer o que mais gosto: Correr...
Agradecimentos também aos parceiros: amigo Batata pelos suplementos, Acadêmia Boa Forma, além da minha esposa, família e amigos que sempre torcem por mim.

Abraços e até a próxima ...


tutta/Baleias-PR
www.correndocorridas.blogspot.com.br

3 comentários:

Julian Divino disse...

Tutta,

Que bom que veio correr em Curitiba.
Três maratonas em três meses não é para qualquer um.
Também estava lá. Só que com objetivos bem mais modestos.
Infelizmente a entrega do chip retornável no dia da prova foi um ponto negativo na Maratona de Curitiba.
Ninguém mais usa chip retornável e a entrega no dia da prova, antes da largada, acredito que somente a Latin Sports e a Ativo (Estações) tem esta prática. E também acredito que não seja exclusividade de Curitiba.
Como vc escreveu, formaram-se filas enormes a alguns corredores pegaram eus chips somente após a largada. Comentei isso no minha publicação. veja aqui: http://www.julianrunner.com.br/2015/11/maratona-de-curitiba-fotos.html
Espero que os organizadores nos leiam e mudem no ano que vem.
Em relação ao desempenho também não tive o esperado e ouvi de vários outros corredores que também não foram bem. Acredito que a umidade do ar muito elevada e tempo abafado tenha prejudicado a todos.
Parabéns pelo excelente resultado.
Quando vier novamente a Curitiba entre em contato para nos encontrarmos.

Abraços.

Julian
www.julianrunner.com.br

Sergio disse...

Parabéns, amigo! show de bola! 3 maratonas em um tempo tão curto não são para qualquer um.
Espero te ver no RJ no ano que vem!
abraço,
Sergio corredorfeliz

tutta disse...

Resposta ao Julian:
Ando bastante desatento nas atualizações dos blogs dos amigos e até acabei me esquecendo que você era de Curitiba. Mas, para 2016 pretendo dar mais atenção, tanto ao meu blog como nos dos amigos e quando eu retornar a Curitiba entro em contato para nos encontrarmos.
Quanto a entrega dos chips no dia acho um absurdo isso. E comentei que só em Curitiba é assim porque das provas que já corri até hoje só vejo Curitiba fazendo isso e desconhecia que há outros organizadores que fazem a mesma coisa.
Já em relação a umidade do ar, eu particularmente gosto de correr do jeito que estava aí. E o que me prejudicou na prova foi a loucura que fiz em tentar fazer 3 maratonas em 13 semanas de intervalo entre a primeira e a terceira. E entre este período eu ainda corri uma meia, uma de 10k e outra de 5k. Caso tenha interesse em saber como fui é só ver as postagens atrasadas na sequência ok?
Abraço e boas corridas.
Vou dar uma passadinha lá no sue blog, ler o seu relato e citar ele aqui no meu, tudo bem?
Sucesso.


Resposta ao Sergio:
Muito obrigado sergio.
Fiz esta loucura de fazer estas três maratonas em sequência porque Miguel Delgado quer que eu vá para a Comrades na África do Sul em 2018 e 2019 e fiz estas provas para sentir como me sentiria. E acho que não darei conta dos 89kms de lá não. Só não sei como falar isso pro Miguel. rsrs
Quanto a ir no Rio em 2016 na maratona acho que já não dá mais, pois fiquei sabendo que já encerram as inscrições. E os meus planos é para 2017 correr os 42kms aí.
Se houver e se eu tiver condições, queri ir na Meia da Ponte Rio Niterói. Tá sabendo alguma coisa em relação a esta prova?
Abraço e boas corridas pra você.


tutta/Baleias-PR
www.correndocorridas.blogspot.com.br