quinta-feira, 10 de setembro de 2015

Corrida Nº 126 - 6ª Maratona Internacional de Assunção - Assunção-Paraguai (09ago2015)

.
Em 2011, nas três últimas semanas que antecederam a prova em Assunção eu não treinei praticamente nada devido a dores no joelho
direito.
Resultado: quebrei no km 22 por sair muito forte e me "arrastei", literalmente, até o km 38 onde sem condições físicas de continuar caminhando pedi auxílio à organização e abandonei a corrida.
Neste ano de 2015, nas últimas três semanas também treinei muito pouco. Desta vez não foi o joelho, e sim, toda a musculatura das pernas. Tanto em cima quanto em baixo. Acredito que ocasionou após um treino longo de 33kms.
Resultado: fui para Assunção, com o pensamento lá em 2011, mas graças a Deus, saí mais cauteloso e completei os 42.195 metros da minha 1ª maratona internacional. Nona no total.


Na retirada do kit dia 08/09/2015



Segue abaixo os dados gerais da prova:

Nome da prova: Maratón Internacional de Asunción - MIA 2015

Cidade: Assunção-Paraguai
Data: Domingo, dia 9 de agosto de 2015
Distância: 42,195kms
Tempo: 2h59min07seg (pela organização 1:59'21)
Média por km: 4min14seg
Colocação geral masculino: 10º lugar
Atletas concluintes no geral masculino: 177 corredores
Colocação na categoria de 35 a 39 anos: 2º lugar
Atletas na categoria: 28 corredores
Número de peito: 465



Saí de Ubiratã com destino à Assunção as 03:00 da manhã de sexta-feira dia 07/08.
Primeiro fui para Cascavel onde cheguei as 05:00 horas e as 07:00 pegaria o ônibus da empresa Pluma que seguiria em definitivo para a capital paraguaia.
O ônibus vindo de São Paulo chegou duas horas atrasado em Cascavel. Ou seja, embarcamos as 09:00 horas.
Por sorte conheci um corredor cascavelense, Jairo, que também seguiria para a prova de Assunção e passamos o tempo conversando.

Já em Assunção, chegamos as 18:30h, 17:30h local, e dividimos o táxi até os nossos respectivos hotéis.
Eu fiquei no Viajero e ele seguiu até o Armele. E aí os problemas começaram.
Miguel Delgado, Wu e companhia limitada Baleias não estavam no hotel e por não saber falar e nem entender espanhol, deu um trabalhão enorme conseguir explicar que eu tinha uma reserva com um outro integrante da equipe ali. Eu não a entendia e ela não me entendia e pra complicar mais ainda eu não lembrava com quem eu iria ficar no quarto. rsr
Tentei ligar para o Miguel e nada de dar certo.
Depois de uns 10 minutos de tentativa em vão no telefone voltei a "tentar" falar com a atendente, que foi muito simpática o tempo todo, e começou a conversar comigo um pouco mais devagar e aí comecei a entender algumas palavras. Mas, não foi o suficiente para ficar tudo bem claro. rsrs
Mas, daí usei a "senha": MIGUEL DELGADO - e tudo ficou esclarecido e ela compreendeu e me levou para o quarto do Carlos Bento e quando adentrei e vi o uniforme Baleias fiquei mais tranquilo. Ufa! rsrs
Tenho que aprender espanhol o quanto antes para não passar mais por situações assim. rsrs

Já no quarto, deitei, descansei um pouco e como vi que ninguém aparecia, tomei um banho e saí a procura do pessoal.
Dei algumas voltas no quarteirão e ruas próximas para tentar me localizar e me familiarizar com o local, mas sempre voltava ao hotel. E depois de uns 30 minutos analisando o 'mapinha' que tinha levado no meu celular e por andar nas ruas próximas comecei a me localizar e daí, saí sem medo a procura do pessoal e quando cheguei na Avenida Nuestra Señora de Asunción ouvi um som alto e muitas pessoas reunidas e fui até o local e acabei encontrando a galera no Lido Bar e aí foi só festa. rsrs


Galera na sexta a noite no Lido BarMiguel Delgado, Dorotéia - irmã da Zilda, Zilda, Wu, Eu, Carlos Bento e Álvaro.


Comi alguma coisa e "ajudei" o pessoal a tomar algumas cervejinhas e por volta das 22:00 horas, ou um pouco mais, voltamos para o hotel onde fiquei conectado no Wifi até quase a meia noite postando fotos no meu Facebook que tirei ao longo da viagem.

Uma das duas empanadas que comi no Lido Bar.
.
.

Uma das várias fotos feitas durante a viagem.As demais fotos podem ser visualizadas no meu perfil no Facebook.


No dia seguinte, acordamos as 08:00 horas, tomamos o café e durante este café da manhã o Miguel Delgado chegou com um casaco Baleias que eu havia pedido a ele dias atrás. Porém, na ocasião ele havia me dito que não tinha mais. Que tinha que mandar fazer. No entanto, um dia antes de eu viajar a Assunção ele me ligou dizendo que teria uma surpresa pra mim e apareceu com este belo casaco Baleias.


Agora acho que dá para espantar o frio que o inverno de Ubiratã teima em ter.


Após o café fomos buscar os nossos kits que desta vez foi entregue no Cabildo (antigo Palácio Presidencial) que estava aberto a visitações onde mostrava, em fotos, parte da história do Paraguai. Postarei algumas fotos no final.
O kit era composto por uma bela camiseta na cor verde limão e podíamos estampar alguma coisa nas costas por um valor de 15 mil Guaranis. Cerca de 11 reais. Vinha também o número de peito personalizado com o nome e o chip no próprio número, uma garrafinha squesee, uma garrafa de Powerade e outros presentinhos mais simples. Além de podemos assinar um seguro de vida para quem correria a maratona e caso morrêssemos, poderíamos receber alguns trocados. kkkkkkkk


Na entrega dos kits.Álvaro, Carlos Bento, Eu, Miguel Delgado, Myrta Doldan - organizadora da prova, Wu e Zilda.


Na sequência fomos almoçar e a tarde fomos visitar a Feira Cultural Brasil-Paraguai e quando retornamos ao hotel foi a conta de tomar banho e seguir para o jantar de massas.
No retorno ao hotel, já depois do jantar de massas, encontrei com o Luiz Gustavo, amigo de Cascavel que tinha chegado a poucos minutos e que no dia seguinte venceria a prova de 10kms com pouco mais de 32 minutos.
E as 22:00 horas fui dormir e descansar para o grande dia.


Ônibus "fretado" para ir à Feira Cultural Paraguai/Brasil.
.
.

Na entrada da Feira Cultural.
.
.

Cantora interpretando músicas paraguaias e brasileiras.



No dia seguinte acordei as 04:10h e as 04:30h fui tomar café junto com os demais Baleias.
A nossa saída do hotel para a largada estava prevista para as 05:00 horas, mas acabamos atrasando uns 10 minutinhos.


No café da manhã com a galera mais animada que eu já conheci.
Me orgulho de fazer parte desta equipe de amigos.



Fomos a pé até o local da largada na Avenida Costanera. Muito bonita por sinal. Demoramos uns 15 minutos aproximadamente.
Fizemos a nossa tradicional Foto Oficial as 05:37h e após encontrarmos com a organizadora da prova, Myrta Doldan, tiramos mais outra e cerca de 20 minutos depois adentramos no local de largada.


Foto Oficial 1:
Wu, Zilda, Marcelinho, Álvaro, Tutta, Miguel, Walter, Carlos Bento e José Maia.
.
.

Foto Oficial 2.
Com presença ilustre de Myrtan Doldan e chegada de surpresa do grande amigo e corredor Dário de Campo Grande-MT.


A expectativa era enorme.
Confesso que senti uma grande emoção ao adentrar naquela "arena" montada especialmente para nós corredores e algumas, porém, rápidas lágrimas foram inevitáveis. Nunca na minha vida de corredor eu havia sentido aquilo antes da largada de uma corrida. Acho que era o sinal de que desta vez tudo daria certo e que, diferente de 2011, eu não quebraria novamente ali em Assunção.

A princípio, e pelos poucos treinos feitos nas últimas três semanas que antecederam esta prova, eu me propus a correr mais devagar para não correr o risco de ficar pelo caminho. O meu objetivo é sempre fazer maratonas abaixo das 3 horas, mas, para esta em especial eu fui com o pensamento menos otimista e coloquei como objetivo completar entre 3h10 e 3h15. Ou na pior das hipóteses, só o fato de completar eu já estaria satisfeito.

Dada a largada, as 06:30h eu saí bastante cauteloso. Completei o km 1 com 4min15seg o que daria 3 horas no final da maratona caso mantive o mesmo ritmo. No entanto, a ideia era cair um pouco de produção principalmente após o km 30.


Largada.


Já no km 2 passei com dois segundos mais rápido e neste momento eu seguia com a companhia do grande amigo Dario. Até comentei com ele naquele momento que o ritmo tava ótimo.
Corremos mais alguns minutos juntos e vendo que eu me sentia bem, procurei acelerar um pouquinho mais. E apesar do vento contra eu ia super bem.
Teve certos momentos que passei os kms abaixo de 4 minutos. E além disso, o que me dava mais confiança era que eu não sentia nenhuma dor muscular. Diferente dos poucos treinos feitos nas três semanas que antecederam esta prova.


Passei a marca dos 10kms com pouco mais de 40 minutos. Neste momento pensei em tomar um gel de carboidrato, mas ficou mesmo só no pensamento. Achei que tinha muita energia ainda e que não precisava repor nada naquele momento.
Cheguei nos 15kms com 1h00min13seg e na marca da meia maratona com 1h24seg03seg. Média de 4 minutos por quilômetro. Muito abaixo do que eu imaginava e esperava.

Chegou no km 22 e aí sim resolvi tomar um gel que foi o único durante a prova toda.
Na parte final, principalmente após o km 35, eu senti necessidade de um reforço extra, mas sentia que meu estômago não iria aceitar e decidi não arriscar.

Mas, voltando um pouquinho lá atrás. Até o km 25 eu mantive mais ou menos o mesmo ritmo. Ou seja, 4 por 1. Já do km 25 em diante preferi tirar um pouco o pé do "acelerador" e trabalhar apenas para administrar o tempo que eu havia ganho nos kms anteriores para fazer a prova na casa das 3 horas.

Após o km 30 comecei a calculei o tempo final da prova, caso eu mantivesse um ritmo de 5 minutos por km. Neste momento, com pouco mais de 2h02 de prova, o meu tempo projetado para o final seria de 3h02. E assim fui seguindo sempre fazendo as contas com o ritmo médio na casa dos 5min/km. Se eu conseguisse seguir um pouquinho mais rápido já seria lucro. Do contrário, mantendo esta media até o final já estaria mais do que ótimo.

Apesar de estar fazendo os cálculos tendo como base os 5 minutos por km, eu seguia um pouquinho mais rápido que isso e estes cálculos feitos no km 35 me levariam para uma conclusão na casa de 2h58min.
E deste km 35 em diante o cansaço bateu mais forte e por isso diminuí ainda mais o ritmo. E em cada posto de hidratação após a metade da prova eu parava e jogava água nas pernas para ver se amenizava um pouco o cansaço e para tentar evitar possíveis cãimbras. Que inclusive deram um sinal no km 33. Porém, por sorte, só veio um sinal fraco e já foi embora.
Lembrando também que em todos os postos de hidratação com água ou Powerade desde o início da prova eu sempre pegava o copo, que foi distribuído aberto, e bebia caminhando devagar para somente depois descartar o copinho fora e voltar a correr. E isso me fez perder alguns bons preciosos segundos.

O que também me fez perder mais alguns preciosíssimos segundos foram quatro paradas 'estratégicas' para fazer fotos.
A Avenida Mariscal Lopes, no centro de Assunção, é muito bonita e não tinha como voltar pra casa sem registrar pelo menos uma ou outra foto e por isso parei para fazer o registro. Bonito também foi o Banco Continental onde parei novamente e após isso parei outras duas vezes para registrar a passagem do pé de laranja do "mato" onde em 2011 eu peguei uma laranja para tentar matar um pouco a fome e apesar de amargar tudo chupei-a assim mesmo. rsrs
E depois fiz outra parada 'estratégica' no km 38 para registrar a placa do km que abandonei a prova naquele ano. Já na sequência voltei a correr mais um "bocadinho" para completar os últimos 4.195 metros.
E faltando dois kms para o final comecei a rezar para agradecer a Deus por me dar a oportunidade de estar ali completando mais uma maratona. A minha 9ª na carreira.


Avenida Mariscal Lopez - centro de Assunção.
.
.

Banco Continental.
Valeu a pena fazer a parada e tirar esta foto. Ou não valeu? rsrs
.
.

O pé de laranja do "mato" ao lado do atleta à frente onde peguei a laranja amarga pra matar um pouco a fome em 2011. Aqui era mais ou menos o km 36 e por pouco que não sentei neste banco naquele ano e esperei passar alguns Baleias. rsrs
Se tivesse feito isso acho que teria completado a prova.
.
.

Km 38, onde abandonei a prova em 2011.
Neste ano de 2015 pensei em voltar aí após completar a prova para terminar aquela corrida. Mas, o cansaço e as dores me fizeram desistir da ideia.




Quarenta e dois kms completados e só faltando 195 metros.
E estes 195 metros como foram longos. Não terminavam nunca. Acho que erraram feio ali.
Acredito que colocaram a placa de 42km no lugar errado ou a prova daria mais do que a distância de 42.195 metros. Pois após a placa que marcava 42kms havia uma distância absurda até o pórtico de largada. Demorei dois minutos e meio para completar estes metros finais.
Conversando com o Marcelinho depois da prova, ele me disse que demorou três minutos.
Nem caminhando se demora tanto assim para percorrer 195 metros. rsrs

E finalmente cruzo a linha de chegada da minha primeira maratona internacional com o tempo do meu cronometro marcando 2h59min07seg.
Já no tempo oficial ficou 2h59min21seg. Acredito que este tempo no site de classificação foi o tempo bruto, pois marquei pelo aplicativo Micoach no meu celular desde a hora da largada, bem antes de cruzar a linha, e parei ele pouco após a chegada e o tempo deu 2h59min27seg e a distância deu 42,830 metros. A distância foi exagerada, mas tem explicação: comecei a marcar um pouco antes da linha de largada e parei um pouco depois. Além de não ter tangenciado tão bem as curvas e fazer alguns zigue-zagues para ultrapassagens e fotos.
Mas, isso é o que menos importa neste momento. Só o fato de ter completado mais uma maratona, e abaixo das 3 horas, já esta de bom tamanho.
Eu achava que nem conseguiria completar. rsrs


Todo dolorido, mas feliz por completar minha primeira maratona fora do Brasil.


Após a conclusão e muito cansado fui fazer massagens para ver se melhorava um pouco as dores.
Até que foi bom. No entanto, fiquei com uma dor imensa na parte de trás do joelho esquerdo. Acho que a massagista apertou demais. Passei gelo após a massagem mais a dor persistiu por dois dias seguidos.
Devido a esta dor e o cansaço, nem fiquei na área próxima a chegada para prestigiar os amigos da equipe chegando e peço perdão a todos por isso.


Ao meio dia começaram a premiação das categorias por faixa etária da maratona e para fechar com chave de ouro a minha primeira maratona internacional fui chamado ao pódio em segundo lugar na categoria de 35  a 39 anos.

Em meu 2º pódio em Assunção.O 1ª na maratona.




O companheiro de quarto, Carlos Bento, também subiu ao pódio e no lugar mais alto.
José Maia, apesar de não ter sido chamado ao pódio, não sei porque motivo, acabou ficando em terceiro lugar na mesma categoria do Carlos e recebeu seu troféu no dia seguinte com Myrta Doldan.
E por falar em Myrta, fomos novamente ao almoço na casa dela após a prova. E como sempre, muita bebida e boa comida.

No começo da noite voltamos para o hotel e na sequência saímos para mais bebidinha no Lido Bar e retornamos por volta das 22:00 horas, talvez um pouquinho mais.
Já aproveitei e me despedi do Miguel Delgado pois o mesmo disse que provavelmente não iria acordar tão cedo no dia seguinte, e dei um tchau para quem estava ali, pois as 09:00 horas da manhã do dia 10/08 eu teria que sair rumo a rodoviária onde embarcaria as 10:00 rumo à Cascavel e depois para Ubiratã onde cheguei por volta das 02:00h da manhã de terça-feira.
E as 07:00 da manhã do dia seguinte estava de pé rumo ao trabalho. Vida de atleta amador não é nada fácil.

E vamos seguindo ...


E assim foi mais uma corrida.


Segue abaixo fotos:



Quase chegando em Assunção.
07/08/2015
.
.

Miguel, Wu e Álvaro todos 'faceiros' com os números sequenciais.
.
.

Vista nos fundos do Cabildo (antigo Palácio Presidencial) 1.
.
.

Vista nos fundos do Cabildo (antigo Palácio Presidencial) 2.
.
.

Sofá Baleias no Cabildo.
.
.

Uma das vários foto em exposição no antigo Palácio Presidencial.
.
.

Canoa feita com o tronco de uma árvore inteira conservada e em exposição no antigo Palácio Presidencial.
.
.

Salina.
.
.

Miguel fazendo compras.
.
.

Chegando para o almoço e sendo "recepcionado" pelo "Papa Francisco".
.
.

Comida muito boa. Porém, custou caaaaaro. rsrs
.
.

Na continuação do passeio após o almoço eis que encontro o Dario (de chapéu) e seu amigo Robson Dias.
.
.

Em Assunção existe belas construções todas muito ricas em detalhes.
.
.

Detalhes calculados nos mínimos detalhes.
.
.

Detalhes caindo aos pedaços, ou quase. rsrs
.
.

Só pelos detalhes das construções vale a pena fazer uma visitinha para conhecer a capital do Paraguai.
.
.


Palácio Legislativo.
.
.

Miguel e Álvaro mostrando que são fortes e "entortando" postes nas ruas de Assunção. rsrs
.
.

Feira Cultural Paraguai/Brasil.
.
.


Shopping Mariscal.
Infelizmente não adentramos. Não sobrou tempo.

.
.


A maioria dos ônibus em Assunção são assim.
.
.


Reparem no banco do motorista. Feito com fios de cadeiras de área. rsrs
.
.


Rua 15 de Agosto que também é a data de aniversário de Miguel Delgado.
Álvaro faz um dia antes.

.
.


 Em frente a Plaza De Los Héroes e próximo ao Lido Bar.
A noite aqui lota de gente.

.
.


No magnífico jantar de massas.
.
.


O delicioso prato onde você escolhe o tipo do macarrão, o molho e sete tipos de ingredientes.
Fica "da hora".
O prato custa em torno de 30 mil Guaranis. Cerca de 18 reais.

.
.


Assunção a noite.
.
.


Assunção de dia.
.
.


Meu primeiro número de peito personalizado com meu nome mais conhecido.
.
.


Pronto pra batalha.
.
.


Avenida Costanera antes da largada.
.
.


Próximo do km 38.
.
.


Nos últimos metros olhando não sei o que. rsrs
.
.


Finalizando a minha 1ª maratona fora do Brasil e a minha 9ª na carreira.
.
.


Meu tempo 'bruto' de conclusão.
.
.


Após completar a prova e passar por massagens para amenizar um pouco as dores.
.
.


Mais uma medalha pra coleção e mais uma maratona pra carreira.
.
.

Chegada do Carlos Bento com 3h30min14seg.
.
.


Carlos Bento campeão da categoria 60-64 anos.
Nesta categoria o Maia ficou em 3º mais não sei porque não foi chamado ao pódio.
Mas, ele recebeu seu troféu no dia seguinte.

.
.


José Maia recebendo o seu troféu de 3º lugar da organizadora da prova, Myrta Doldan.
.
.


Álvaro chegando com 3h32min43seg.
.
.


Marcelinho próximo ao km 38.
Ele completou com 4h00min09seg.

.
.


Maia próximo ao km 38.
Ele completou com 4h50min05seg.

.
.


Wu caminhando próximo ao km 38.
Ele "esperou" o Walter e o Miguel e juntos completaram com 5h14min35seg.

.
.


Walter e Miguel próximo ao km 38.
.
.
Zilda completando os 21,1kms em 2h43min19seg.
.
.


Amigo Dário de Campo Grande-MT campeão da faixa etária de 50 a 54 anos.
Ele completou a prova com 3h23min44seg

.
.


Os 5 primeiros colocados dos 42kms, 21kms e 10kms.
Destaque para o campeão dos 10kms com 32min05seg, Luiz Gustavo. Meu amigo da cidade de Cascavel.

.
.


As 5 primeiras colocadas dos 42kms, 21kms e 10kms.
.
.


Minha colocação na categoria de 35 a 39 anos.
.
.


Minha colocação no geral.
OBS: as colocações 9, 10, 11 e 13 são de atletas femininas. Portanto, na classificação geral masculina eu fui o 10º colocado.

.
.


O troféu e a medalha da prova.
.
.

 Hostel Viajero na Rua Alberdi 734
Site: www.hostelasuncion.com
Email: info@hostelasuncion.com
Telefone: +59521444563

.
.

Finalizando com a imagem da parte de trás da camiseta da prova com detalhe para a impressão: Baleias 42 Km feitas para mim, Miguel e Álvaro ao valor de apenas 15 mil guaranis. Cerca de 11 reais.
.
.


Acho que é só. rsrs
Porém, caso queiram ver estas e dezenas de outras fotos feitos durante a viagem, e em Assunção, basta clicar em Facebook e ver o meu álbum naquela rede social.







tutta/Baleias-PR
www.correndocorridas.blogspot.com.br

4 comentários:

Sergio disse...

Tutta,

Sensacional!!!! estava aguardando seu relato, e já estava começando a ficar preocupado...
Fico muito feliz que tudo tenha dado certo!
O troféu é muito bonito... esse é pra guardar para a posteridade...
grande abraço,
Sergio

tutta disse...

Resposta ao Sergio:
Graças a Deus desta vez tudo deu certo Sergio. E demorei pra postar este relato por falta de coragem pra escrever. rsrs
Quanto ao troféu, é bonito sim e será guardado com muito carinho. Afinal de contas, é o primeiro troféu que conquisto em uma maratona fora do Brasil. rsrs
Abraço e boas corridas.


tutta-Baleias/PR
www.correndocorridas.blogspot.com.br

Dalton Ferreira disse...

Parabens pela prova, ser um sub 3 hs é para poucos. A prova de Assunção é muito boa, fiz a meia, pena que geralmente esta quente, porem a Cidade é muito acolhedora.
dalton

tutta disse...

Resposta ao Dalton Ferreira:
Obrigado Dalton. Também gosto das provas em Assunção. E este ano esquentou muito. Principalmente após as 10 horas.
E ser sub-3h em uma maratona não é pra qualquer um não. Mas, com um bom treinamento se consegue sim.
Abraço e boas corridas.


tutta/Baleias-PR
www.correndocorridas.blogspot.com.br